quinta-feira, 31 de maio de 2012

História - Fluminense no Campeonato Brasileiro de 1971

Cafuringa em ação no jogo Fluminense 0 x 0 América Mineiro.


No Campeonato Brasileiro de 1971, o Fluminense realizou ao todo 19 partidas, com 5 vitórias, 6 empates e 8 derrotas, 12 gols-pró e 13 gols-contra. O treinador do Tricolor no certame foi Zagallo. Os artilheiros do Fluminense foram Jeremias (3 gols), Ivair (2), Jair Pereira (2), Lula, Cafuringa, Silveira e Marco Antônio. O são-paulino Jurandir marcou um gol-contra a favor do Tricolor.

Segue abaixo a lista com os 9 primeiros jogos do Tricolor no Nacional:
08/08/1971 - Beira-Rio (Porto Alegre) - Internacional 0, Fluminense 0
15/08/1971 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Vasco 1 (Dé), Fluminense 0
18/08/1971 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Ivair e Lula), Coritiba 1 (Tião Abatiá)
22/08/1971 - Presidente Vargas (Fortaleza) - Ceará 1 (Vítor), Fluminense 0
25/08/1971 - Ilha do Retiro (Recife) - Santa Cruz 2 (Betinho e Luciano), Fluminense 2 (Jeremias 2)
29/08/1971 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Corinthians 1 (Mirandinha)
01/09/1971 - Palestra Itália (São Paulo) - Portuguesa 1 (Basílio), Fluminense 0
04/09/1971 - Palestra Itália (São Paulo) - Palmeiras 1 (Eurico), Fluminense 0
11/09/1971 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Cruzeiro 1 (Dirceu Lopes)

Inicialmente, estavam previstas no regulamento apenas as partidas entre clubes do mesmo grupo, e a classificação levaria em conta não apenas os resultados dos jogos, mas também as rendas obtidas (!!!). Com as fraudes tentadas pelas diretorias de alguns clubes (notadamente o Vasco, cuja direção comprou 115.193 bilhetes do jogo contra o Palmeiras, no Maracanã, enquanto o público presente não ultrapassou 30.000), a CBD resolveu modificar o regulamento, eliminando o critério das rendas e incluindo os confrontos entre os clubes dos dois grupos (eis a primeira virada de mesa da história do Campeonato Brasileiro).

Nesta segunda parte, o Fluminense disputou mais 10 partidas:
19/09/1971 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, América 0
26/09/1971 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Botafogo 0, Fluminense 0
03/10/1971 - Ilha do Retiro (Recife) - Sport Recife 0, Fluminense 1 (Cafuringa)
10/10/1971 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Flamengo 0, Fluminense 1 (Jeremias)
16/10/1971 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Marco Antônio e Ivair), Atlético Mineiro 0
24/10/1971 - Olímpico (Porto Alegre) - Grêmio 1 (Alcindo), Fluminense 0
27/10/1971 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, América Mineiro 0
31/10/1971 - Fonte Nova (Salvador) - Bahia 0, Fluminense 0
06/11/1971 - Morumbi (São Paulo) - São Paulo 2 (Toninho Guerreiro 2), Fluminense 1 (Jurandir contra)
13/11/1971 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 3 (Silveira (p) e Jair Pereira 2), Santos 1 (Mazinho)

O Fluminense não conseguiu se classificar às fases seguintes. O Atlético Mineiro foi o grande campeão.

PC

quarta-feira, 30 de maio de 2012

História - Fluminense no Campeonato Brasileiro de 1970

Em pé: Oliveira, Félix, Denílson, Galhardo, Assis e Marco Antônio.
Agachados: Cafuringa, Didi, Mickey, Samarone e Lula.

Em 1970, a Seleção Brasileira encantou o planeta e conquistou a Copa do Mundo do México, vencendo todas as partidas disputadas. Após o Mundial, todos os atletas do escrete tricampeão voltaram ao país, e disputaram o mais espetacular Campeonato Brasileiro de todos os tempos. Dois daqueles recém-coroados deuses do futebol tiveram o privilégio de vencê-lo: Félix e Marco Antônio levantaram a Taça de Prata pelo Fluminense.

O Tricolor foi treinado pelo rigoroso Paulo Amaral durante todo o Campeonato. Além dos tricampeões Félix e Marco Antônio, o Fluminense contava com o centroavante Flávio, artilheiro nato; o meia-atacante Samarone, craque de muita classe; e os velozes pontas Cafuringa e Lula, completando a linha de frente. Na defesa, a sólida linha formada por Oliveira, Galhardo, Assis e Marco Antônio era protegida por Denílson e Didi. Na reserva, ainda havia o grande centroavante Mickey, que seria decisivo após a lesão de Flávio.

Na fase inicial, o Fluminense enfrentou uma vez cada adversário, num total de 16 jogos, 8 vitórias, 4 empates e 4 derrotas. Flávio marcou 11 gols importantíssimos, 7 deles em 3 jogos na mesma semana. Confiram a lista de partidas:
26/09/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 1 (Flávio (p)), Corinthians 0
03/10/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Lula 2), Cruzeiro 1 (Evaldo)
07/10/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Lula e Marco Antônio), Grêmio 1 (Paraguaio)
11/10/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 3 (Samarone e Flávio 2 (1p)), América 0
14/10/1970 - Batistão (Aracaju) - Bahia 1 (Zé Eduardo), Fluminense 0
18/10/1970 - Ilha do Retiro (Recife) - Santa Cruz 0, Fluminense 1 (Flávio)
22/10/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 1 (Marco Antônio), São Paulo 1 (Gérson)
25/10/1970 - Beira-Rio (Porto Alegre) - Internacional 2 (Valdomiro e Mosquito), Fluminense 0
01/11/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 3 (Flávio, Silveira e Marco Antônio), Vasco 1 (Benetti)
04/11/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 6 (Lula 2, Didi e Flávio 3), Ponte Preta 1 (Manfrini)
07/11/1970 - Morumbi (São Paulo) - Palmeiras 0, Fluminense 3 (Flávio 3)
12/11/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Botafogo 1 (Paulo Cezar Lima), Fluminense 1 (Mickey)
18/11/1970 - Pacaembu (São Paulo) - Santos 1 (Abel), Fluminense 0
22/11/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Flamengo 1 (Zanata (p)), Fluminense 1 (Cafuringa)
29/11/1970 - Mineirão (Belo Horizonte) - Atlético Mineiro 3 (Ronaldo, Vaguinho e Vanderlei), Fluminense 1 (Samarone)
06/12/1970 - Belfort Duarte (Curitiba) - Atlético Paranaense 1 (Volmor), Fluminense 1 (Mickey)

O quadrangular final foi disputado por quatro verdadeiros timaços, os melhores da primeira fase: Fluminense, Palmeiras, Cruzeiro e Atlético Mineiro. Com duas vitórias e um empate, obtidos através de 3 gols do reserva Mickey, o Tricolor sagrou-se campeão brasileiro pela primeira vez em sua história:
13/12/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 1 (Mickey), Palmeiras 0
16/12/1970 - Mineirão (Belo Horizonte) - Cruzeiro 0, Fluminense 1 (Mickey)
20/12/1970 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 1 (Mickey), Atlético Mineiro 1 (Vaguinho)

PC

Posts relacionados:
- Charge de Henfil - Campeonato Brasileiro de 1970 ("O Fluminense é um chato!").
- Humildade, a nossa arma (crônica de Nelson Rodrigues, publicada às vésperas da semana decisiva).
- Livro sobre o Campeonato Brasileiro de 1970 (promoção do livro escrito por Roberto Sander).

Jailson Macedo de Freitas apitará Santos x Fluminense


Apitará Santos x Fluminense, quarta-feira que vem, na Vila Belmiro, o árbitro baiano Jailson Macedo de Freitas. Ele será auxiliado por Adson Márcio Lopes Leal e Luiz Carlos Silva Teixeira.

Jailson Macedo de Freitas apitou apenas duas partidas do Fluminense até hoje:
20/09/2008 - Fluminense 2 x 3 Coritiba - Maracanã (Rio de Janeiro)
24/02/2010 - Confiança 1 x 1 Fluminense - Batistão (Aracaju)

Em ambos os encontros, sua atuação foi ruim. No jogo do Campeonato Brasileiro de 2008, deixou de assinalar pênalti claro em Washington. Na partida da Copa do Brasil de 2010, foi conivente com a violência do Confiança.

PC

terça-feira, 29 de maio de 2012

História - Coritiba x São Paulo


Até hoje, Coritiba e São Paulo se enfrentaram 44 vezes, com 20 vitórias do São Paulo, 11 empates e 13 triunfos do Coritiba, 69 gols do São Paulo e 55 gols do Coritiba. Em 2012, o Coritiba eliminou o São Paulo na semifinal da Copa do Brasil.

Confiram a lista de partidas:
09/10/1949 - Coritiba 0 x 3 São Paulo - (Curitiba)
14/09/1969 - Coritiba 2 x 1 São Paulo - Belfort Duarte* (Curitiba)
14/11/1971 - Coritiba 2 x 0 São Paulo - Belfort Duarte* (Curitiba)
15/10/1972 - Coritiba 4 x 0 São Paulo - Belfort Duarte* (Curitiba)
13/12/1972 - São Paulo 2 x 0 Coritiba - Pacaembu (São Paulo)
03/11/1973 - São Paulo 0 x 0 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
10/11/1973 - São Paulo 2 x 2 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
29/10/1975 - Coritiba 2 x 2 São Paulo - Belfort Duarte* (Curitiba)
29/08/1976 - Coritiba 0 x 2 São Paulo - Belfort Duarte* (Curitiba)
24/05/1978 - São Paulo 4 x 1 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
19/07/1978 - Coritiba 2 x 1 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
08/03/1980 - São Paulo 5 x 3 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
27/01/1985 - Coritiba 3 x 1 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
09/03/1985 - São Paulo 0 x 1 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
30/08/1986 - Coritiba 0 x 1 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
31/10/1987 - Coritiba 3 x 2 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
18/09/1988 - São Paulo 0 x 0 Coritiba [PK 4x5] - Morumbi (São Paulo)
07/09/1996 - Coritiba 1 x 1 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
19/10/1997 - São Paulo 0 x 0 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
29/11/1997 - Coritiba 1 x 0 São Paulo - Morenão (Campo Grande)
18/10/1998 - Coritiba 2 x 1 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
11/09/1999 - São Paulo 2 x 1 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
11/10/2000 - São Paulo 3 x 2 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
30/06/2001 - São Paulo 2 x 0 Coritiba - Almeidão (João Pessoa)
04/07/2001 - São Paulo 4 x 1 Coritiba - Rei Pelé (Maceió)
20/09/2001 - Coritiba 0 x 1 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
08/10/2002 - São Paulo 3 x 1 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
09/07/2003 - Coritiba 0 x 2 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
02/11/2003 - São Paulo 1 x 0 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
09/05/2004 - Coritiba 1 x 2 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
01/09/2004 - São Paulo 2 x 3 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
14/05/2005 - São Paulo 1 x 0 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
11/09/2005 - Coritiba 1 x 4 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
25/05/2008 - São Paulo 1 x 1 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
23/08/2008 - Coritiba 2 x 2 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
05/07/2009 - Coritiba 2 x 0 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
07/10/2009 - São Paulo 2 x 2 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
27/07/2011 - Coritiba 3 x 4 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
23/10/2011 - São Paulo 0 x 0 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
14/06/2012 - São Paulo 1 x 0 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
20/06/2012 - Coritiba 2 x 0 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
08/07/2012 - São Paulo 3 x 1 Coritiba - Morumbi (São Paulo)
30/09/2012 - Coritiba 1 x 1 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
08/09/2013 - Coritiba 2 x 0 São Paulo - Couto Pereira (Curitiba)
* Até 1977, o Estádio Couto Pereira tinha o nome Belfort Duarte.

PC

História - Fluminense no Campeonato Brasileiro de 1969

O jogo Fluminense x Santos em 1969 atraiu 87 mil pagantes ao Maracanã.

O Fluminense terminou o Campeonato Brasileiro de 1969 na nona colocação entre 17 participantes. A campanha tricolor teve 16 jogos: 5 vitórias, 5 empates e 6 derrotas, 20 gols-pró e 21 gols-contra. Os artilheiros do Fluminense no certame foram Flávio (10 gols), Lula (3), Denílson (2), Samarone (2), Mickey (1) e Marco Antônio (1). No jogo contra o Santa Cruz, Zé Júlio fez um gol-contra a favor do Fluminense.

Durante toda a competição, o treinador do Fluminense foi o ex-jogador e ídolo do clube Telê Santana. No primeiro semestre, o Tricolor havia se sagrado campeão carioca. No intervalo entre o fim dos Estaduais e o começo do Brasileirão, a Seleção, composta inteiramente por jogadores de clubes nacionais, conquistara a vaga na Copa do Mundo do México.

Confiram a lista de partidas do Fluminense no Campeonato Brasileiro de 1969:
07/09/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Cruzeiro 3 (Tostão 2 e Dirceu Lopes)
10/09/1969 - Fonte Nova (Salvador) - Bahia 1 (Mura), Fluminense 3 (Flávio 2 e Samarone)
14/09/1969 - Ilha do Retiro (Recife) - Santa Cruz 1 (Ramón), Fluminense 2 (Mickey e Zé Júlio contra)
17/09/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 1 (Flávio), América 2 (Edu 2)
21/09/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Denílson e Flávio), Vasco 2 (Valfrido 2)
28/09/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Flamengo 1 (Galhardo contra), Fluminense 4 (Lula 3 e Flávio)
05/10/1969 - Belfort Duarte (Curitiba) - Coritiba 1 (Paulo Vecchio), Fluminense 1 (Flávio)
11/10/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Flávio e Samarone), Grêmio 1 (Alcindo)
18/10/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Flávio e Marco Antônio), Palmeiras 0
22/10/1969 - Palestra Itália (São Paulo) - São Paulo 1 (Zé Roberto), Fluminense 0
26/10/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Santos 0
01/11/1969 - Pacaembu (São Paulo) - Corinthians 2 (Ivair e Dirceu Alves), Fluminense 0
09/11/1969 - Beira-Rio (Porto Alegre) - Internacional 1 (Scalla), Fluminense 1 (Flávio)
12/11/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Denílson e Flávio), Portuguesa 2 (Leivinha e Tatá)
16/11/1969 - Mineirão (Belo Horizonte) - Atlético Mineiro 2 (Oldair e Beto), Fluminense 0
23/11/1969 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Botafogo 1 (Roberto)

Corinthians, Cruzeiro, Palmeiras e Botafogo classificaram-se para o quadrangular decisivo. O Palmeiras sagrou-se campeão.

PC

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Divergências nos públicos pagantes dos jogos do Fluminense na Copa Libertadores


Amigos, nos últimos dias fiz uma investigação a respeito das vendas de ingressos para dois jogos recentes do Fluminense, pela Copa Libertadores: os confrontos contra Internacional e Boca Juniors, no Engenhão. Em ambas as partidas, a imprensa noticiou que todos os ingressos disponíveis foram comprados. No entanto, os públicos pagantes anunciados foram sensivelmente menores que a capacidade do Estádio Olímpico João Havelange. Por quê?

O Engenhão nunca recebeu as 46.931 pessoas que em teoria pode comportar, por motivos de segurança (o público recorde é até hoje o jogo de inauguração, Fluminense x Botafogo em 2007, cerca de 45 mil). A recomendação das autoridades é que o estádio receba apenas cerca de 40 mil torcedores. Descontados os 10% de lugares reservados por lei às gratuidades, o clube pode comercializar cerca de 36 mil entradas. (Para ser exato, a carga que o Fluminense anunciou para os jogos citados foi de 35.514 ingressos.)

Tanto no jogo com o Internacional, quanto na partida com o Boca Juniors, a imprensa noticiou que os ingressos foram todos vendidos (aqui e aqui). O público pagante esperado nos dois jogos era, naturalmente, 35.514. No entanto, para nossa surpresa, os públicos pagantes anunciados no Engenhão foram 29.430 (Fluminense x Internacional) e 31.280 (Fluminense x Boca Juniors). Trata-se de uma diferença de 6.084 torcedores no primeiro jogo, e de 4.234 no segundo.

Fazendo duas contas simples, com os preços médios dos ingressos (R$ 36,71 para Fluminense x Internacional, R$ 52,07 para Fluminense x Boca Juniors), verifica-se que essa diferença equivale, em cada jogo, a uma diferença de renda de aproximadamente R$ 220.000,00. Trata-se de quantia significativa, ainda mais no caso do Fluminense, segundo clube mais endividado do futebol brasileiro.

O assunto é sério, e precisa de explicações, por respeito aos torcedores que não conseguiram comprar ingressos, e também em nome do princípio da Transparência. Este escriba publica este texto no site do Pavilhão Tricolor e em seu blog pessoal Jornalheiros, e solicita que os responsáveis esclareçam esta situação.

Paulo Cezar Filho

Fluminense 2 x 1 Internacional

Carga de 35.514 ingressos.
29.430 pagantes anunciados.
Diferença: 6.084.
Renda anunciada de R$ 1.080.315,00.
Preço médio do ingresso: R$ 36,71.
Diferença estimada na renda: R$ 223.343,64.

Fluminense 1 x 1 Boca Juniors

Carga de 35.514 ingressos.
31.280 pagantes anunciados.
Diferença: 4.234.
Renda anunciada de R$ 1.628,740,00.
Preço médio do ingresso: R$ 52,07.
Diferença estimada na renda: R$ 220.464,38.

domingo, 27 de maio de 2012

Resenha: Tricolor 2 x 2 Figueirense


Amigos, a eliminação da Copa Libertadores naturalmente ainda dói no peito de cada pó-de-arroz. Com os ingressos relativamente caros, a torcida tricolor compareceu em número reduzido ao Engenhão (5594 presentes), para o jogo contra o Figueirense, pelo Campeonato Brasileiro.

O golpe de quarta-feira foi forte, mas não há tempo para depressão. No Brasileirão, todo jogo é decisivo, e cada ponto conquistado pode fazer a diferença entre a glória máxima e o esquecimento eterno. E, se a torcida não acorda sozinha, cabe à diretoria fazê-la voltar ao estádio, com ingressos mais baratos.

Na partida deste domingo, o Fluminense começou melhor, com mais posse de bola e atacando com ímpeto. O gol do jovem Marcos Júnior foi a consequência natural do sólido domínio tricolor. Entretanto, no final do primeiro tempo, sofremos um golpe forte, a expulsão de Wallace. A vitória, que parecia tão certa, era agora um castelo de cartas.

Com a vantagem numérica, o Figueirense lançou-se ao ataque no segundo tempo, e empatou. O Fluminense ainda conseguiu encaixar um ataque perfeito, passe de Thiago Neves, assistência precisa de Marcos Júnior e finalização de Wagner para o gol. Mas a equipe catarinense voltaria a empatar, dando números finais ao placar: 2 a 2.

Cabe exaltar mais uma grande atuação do goleiro tricolor Diego Cavalieri. Pararam em suas mãos pelo menos três perigosos ataques do Figueirense. A verdade é que o arqueiro garantiu o empate, impediu a trágica derrota. Diego Cavalieri e Marcos Júnior foram os melhores em campo pelo Fluminense neste domingo.

Confesso que, nos meus cálculos para o título, contava com os 3 pontos deste jogo com o Figueirense. No entanto, dadas as circunstâncias da partida, o empate foi o menor dos males.

Após o descanso dos próximos dez dias, o Fluminense voltará a campo na Vila Belmiro, para enfrentar um Santos provavelmente desfigurado. Eis uma boa chance de recuperar os pontos perdidos neste triste empate.

PC

sábado, 26 de maio de 2012

Golaço do dia #171 - Alecsandro



O chute acrobático de Alecsandro foi o único gol da vitória do Vasco sobre a Portuguesa, no Canindé, em partida do Campeonato Brasileiro, disputada em 26/05/2012. O vídeo é do Esporte Interativo.

Mengão mantém invencibilidade de mais de um mês, e pontua novamente no Brasileirão!


Amigos, o Flamengo segue em ótima fase:  após empate em 3 a 3 com o Internacional no Engenhão, o rubro-negro segue invicto há mais de um mês, e já soma dois pontos no Campeonato Brasileiro.

A máquina de Joel começou a todo vapor: logo no começo, o meia Airton mostrou toda a sua qualidade técnica, ao executar lindo chute de voleio: 1 a 0. Pouco depois, o zagueiro colorado Índio cometeu pênalti em Ibson, e Ronaldinho converteu a cobrança: 2 a 0. A massa rubro-negra já começava a sonhar com a goleada. O Internacional chegou a reagir, com um gol de Gilberto. Mas logo o Flamengo voltou a mostrar quem manda no Rio de Janeiro: Vagner Love fez 3 a 1 no começo do segundo tempo.

Depois disso, o Flamengo pagou um preço caro pela ousadia de seu treinador, que escalou quatro meias armadores (Airton, Ibson, Kléberson e Luiz Antônio). Com a zaga tão desprotegida, o Internacional se aproveitou e marcou dois gols em chutes de fora da área, primeiro com Fabrício, depois com Dátolo. O jogo estava empatado em 3 a 3, e terminou assim mesmo.

Mesmo no Rio de Janeiro, e mesmo com o Internacional sem seus três principais jogadores - Oscar, D'Alessandro e Leandro Damião - o resultado não pode ser considerado ruim para o Flamengo. O importante é a manutenção da invencibilidade, que já dura um mês e quatro dias: a última derrota foi para o Vasco, na semifinal da Taça Rio, quando o árbitro Marcelo de Lima Henrique prejudicou o Flamengo (ele sempre sacaneia o rubro-negro). Depois dessa derrota para o Vasco, houve a vitória no jogo-treino contra o Duque de Caxias, e o empate com o Sport Recife na primeira rodada.

Algumas pessoas maldosas dizem que Joel não conseguirá se manter muito tempo no cargo. Deve ser inveja da longa sequência invicta do Flamengo, e também da ousadia do treinador rubro-negro. Não é qualquer um que tem a coragem de levar a campo uma formação tão ofensiva no meio-campo (repito! Airton, Ibson, Kléberson e Luiz Antônio! E depois ainda entrou o Renato Abreu!).

As vaias da torcida são exageradas e injustas. Quanta ingratidão com Ronaldinho, autor do gol do título da Taça Guanabara de 2011, contra o Boavista! Quanta ingratidão com o time que eliminou o Real Potosí da Copa Libertadores, e quase conseguiu fazer o mesmo com o Lanús e o Emelec! Quanta ingratidão com a equipe que não perde um jogo sequer há mais de um mês! Quanta falta de paciência, povo!

PC

Tabela do Brasileirão 2012

1ª rodada (19-20/05)
Palmeiras 1 x 1 Portuguesa - Pacaembu (São Paulo)
Sport Recife 1 x 1 Flamengo - Ilha do Retiro (Recife)
Figueirense 2 x 1 Náutico - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
Ponte Preta 0 x 1 Atlético Mineiro - Moisés Lucarelli (Campinas)
Internacional 2 x 0 Coritiba - Beira-Rio (Porto Alegre)
Corinthians 0 x 1 Fluminense - Pacaembu (São Paulo)
Botafogo 4 x 2 São Paulo - Engenhão (Rio de Janeiro)
Bahia 0 x 0 Santos - Pituaçu (Salvador)
Vasco 2 x 1 Grêmio - São Januário (Rio de Janeiro)
Cruzeiro 0 x 0 Atlético Goianiense - Parque do Sabiá (Uberlândia)

2ª rodada (26-27/05)
Atlético Goianiense 1 x 1 Ponte Preta - Serra Dourada (Goiânia)
Portuguesa 0 x 1 Vasco - Canindé (São Paulo)
Flamengo 3 x 3 Internacional - Engenhão (Rio de Janeiro)
Náutico 0 x 0 Cruzeiro - Aflitos (Recife)
Coritiba 2 x 3 Botafogo - Couto Pereira (Curitiba)
São Paulo 1 x 0 Bahia - Morumbi (São Paulo)
Santos 0 x 0 Sport Recife - Vila Belmiro (Santos)
Atlético Mineiro 1 x 0 Corinthians - Independência (Belo Horizonte)
Fluminense 2 x 2 Figueirense - Engenhão (Rio de Janeiro)
Grêmio 1 x 0 Palmeiras - Olímpico (Porto Alegre)

3ª rodada (06-07/06)
Sport Recife x Palmeiras - Ilha do Retiro (Recife)
Atlético Goianiense x Grêmio - Serra Dourada (Goiânia)
Coritiba x Portuguesa - Couto Pereira (Curitiba)
Vasco x Náutico - São Januário (Rio de Janeiro)
Atlético Mineiro x Bahia - Independência (Belo Horizonte)
Santos x Fluminense - Vila Belmiro (Santos)
Internacional x São Paulo - Beira-Rio (Porto Alegre)
Ponte Preta x Flamengo - Moisés Lucarelli (Campinas)
Botafogo x Cruzeiro - Engenhão (Rio de Janeiro)
Corinthians x Figueirense - Pacaembu (São Paulo)

4ª rodada (09-10/06)
Portuguesa x Atlético Goianiense - Canindé (São Paulo)
Flamengo x Coritiba - Engenhão (Rio de Janeiro)
Palmeiras x Atlético Mineiro - Pacaembu (São Paulo)
São Paulo x Santos - Morumbi (São Paulo)
Bahia x Vasco - Pituaçu (Salvador)
Grêmio x Corinthians - Olímpico (Porto Alegre)
Fluminense x Internacional - Engenhão (Rio de Janeiro)
Cruzeiro x Sport Recife - Dilzon Melo (Varginha)
Náutico x Botafogo - Aflitos (Recife)
Figueirense x Ponte Preta - Orlando Scarpelli (Florianópolis)

5ª rodada (16-17/06)
Fluminense x Portuguesa - Engenhão (Rio de Janeiro)
Internacional x Botafogo - Beira-Rio (Porto Alegre)
São Paulo x Atlético Mineiro - Morumbi (São Paulo)
Cruzeiro x Figueirense - Independência (Belo Horizonte)
Bahia x Sport Recife - Pituaçu (Salvador)
Palmeiras x Vasco - Arena Barueri (Barueri)
Flamengo x Santos - Engenhão (Rio de Janeiro)
Náutico x Grêmio - Aflitos (Recife)
Coritiba x Atlético Goianiense - Couto Pereira (Curitiba)
Ponte Preta x Corinthians - Moisés Lucarelli (Campinas)

6ª rodada (23-24/06)
Vasco x Cruzeiro - São Januário (Rio de Janeiro)
Atlético Mineiro x Náutico - Independência (Belo Horizonte)
Portuguesa x São Paulo - Canindé (São Paulo)
Sport Recife x Internacional - Ilha do Retiro (Recife)
Grêmio x Flamengo - Olímpico (Porto Alegre)
Corinthians x Palmeiras - Pacaembu (São Paulo)
Figueirense x Bahia - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
Atlético Goianiense x Fluminense - Serra Dourada (Goiânia)
Santos x Coritiba - Vila Belmiro (Santos)
Botafogo x Ponte Preta - Engenhão (Rio de Janeiro)

7ª rodada (30/06-01/07)
Cruzeiro x São Paulo - Independência (Belo Horizonte)
Corinthians x Botafogo - Pacaembu (São Paulo)
Vasco x Ponte Preta - São Januário (Rio de Janeiro)
Náutico x Fluminense - Aflitos (Recife)
Coritiba x Sport Recife - Couto Pereira (Curitiba)
Bahia x Internacional - Pituaçu (Salvador)
Portuguesa x Santos - Canindé (São Paulo)
Palmeiras x Figueirense - Arena Barueri (Barueri)
Grêmio x Atlético Mineiro - Olímpico (Porto Alegre)
Flamengo x Atlético Goianiense - Engenhão (Rio de Janeiro)

8ª rodada (07-08/07)
Internacional x Cruzeiro - Beira-Rio (Porto Alegre)
Botafogo x Bahia - Engenhão (Rio de Janeiro)
Ponte Preta x Palmeiras - Moisés Lucarelli (Campinas)
Atlético Goianiense x Náutico - Serra Dourada (Goiânia)
Figueirense x Vasco - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
Santos x Grêmio - Vila Belmiro (Santos)
Fluminense x Flamengo - Engenhão (Rio de Janeiro) [Fla-Flu do Centenário]
São Paulo x Coritiba - Morumbi (São Paulo)
Sport Recife x Corinthians - Ilha do Retiro (Recife)
Atlético Mineiro x Portuguesa - Independência (Belo Horizonte)

9ª rodada (14-15/07)
Corinthians x Náutico - Pacaembu (São Paulo)
Figueirense x Atlético Mineiro - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
Ponte Preta x Coritiba - Moisés Lucarelli (Campinas)
Botafogo x Fluminense - Engenhão (Rio de Janeiro)
Bahia x Flamengo - Pituaçu (Salvador)
Internacional x Santos - Beira-Rio (Porto Alegre)
Cruzeiro x Grêmio - Independência (Belo Horizonte)
Vasco x Atlético Goianiense - São Januário (Rio de Janeiro)
Sport Recife x Portuguesa - Ilha do Retiro (Recife)
Palmeiras x São Paulo - Arena Barueri (Barueri)

10ª rodada (18-19/07)
Santos x Botafogo - Vila Belmiro (Santos)
Grêmio x Sport Recife - Olímpico (Porto Alegre)
Portuguesa x Cruzeiro - Canindé (São Paulo)
Náutico x Ponte Preta - Aflitos (Recife)
Flamengo x Corinthians - Engenhão (Rio de Janeiro)
São Paulo x Vasco - Morumbi (São Paulo)
Atlético Mineiro x Internacional - Independência (Belo Horizonte)
Fluminense x Bahia - Engenhão (Rio de Janeiro)
Coritiba x Palmeiras - Couto Pereira (Curitiba)
Atlético Goianiense x Figueirense - Serra Dourada (Goiânia)

11ª rodada (21-22/07)
Sport Recife x Atlético Mineiro - Ilha do Retiro (Recife)
Vasco x Santos - São Januário (Rio de Janeiro)
Corinthians x Portuguesa - Pacaembu (São Paulo)
Palmeiras x Náutico - Arena Barueri (Barueri)
Internacional x Atlético Goianiense - Beira-Rio (Porto Alegre)
Cruzeiro x Flamengo - Independência (Belo Horizonte)
Figueirense x São Paulo - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
Ponte Preta x Fluminense - Moisés Lucarelli (Campinas)
Botafogo x Grêmio - Engenhão (Rio de Janeiro)
Bahia x Coritiba - Pituaçu (Salvador)

12ª rodada (25-26/07)
Ponte Preta x Sport Recife - Moisés Lucarelli (Campinas)
Figueirense x Internacional - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
Náutico x Coritiba - Aflitos (Recife)
Vasco x Botafogo - Engenhão (Rio de Janeiro)
Grêmio x Fluminense - Olímpico (Porto Alegre)
Corinthians x Cruzeiro - Pacaembu (São Paulo)
Atlético Goianiense x São Paulo - Serra Dourada (Goiânia)
Palmeiras x Bahia - Pacaembu (São Paulo)
Atlético Mineiro x Santos - Independência (Belo Horizonte)
Flamengo x Portuguesa - Engenhão (Rio de Janeiro)

13ª rodada (28-29/07)
Internacional x Vasco - Beira-Rio (Porto Alegre)
Coritiba x Grêmio - Couto Pereira (Curitiba)
Botafogo x Figueirense - Engenhão (Rio de Janeiro)
São Paulo x Flamengo - Morumbi (São Paulo)
Sport Recife x Atlético Goianiense - Ilha do Retiro (Recife)
Cruzeiro x Palmeiras - Independência (Belo Horizonte)
Fluminense x Atlético Mineiro - Engenhão (Rio de Janeiro)
Portuguesa x Náutico - Canindé (São Paulo)
Bahia x Corinthians - Pituaçu (Salvador)
Santos x Ponte Preta - Vila Belmiro (Santos)

14ª rodada (04-05/08)
Palmeiras x Internacional - Arena Barueri (Barueri)
Flamengo x Atlético Mineiro - Engenhão (Rio de Janeiro)
Atlético Goianiense x Botafogo - Serra Dourada (Goiânia)
Portuguesa x Figueirense - Canindé (São Paulo)
Vasco x Corinthians - São Januário (Rio de Janeiro)
Grêmio x Bahia - Olímpico (Porto Alegre)
São Paulo x Sport Recife - Morumbi (São Paulo)
Coritiba x Fluminense - Couto Pereira (Curitiba)
Náutico x Santos - Aflitos (Recife)
Cruzeiro x Ponte Preta - Independência (Belo Horizonte)

15ª rodada (08-09/08)
Figueirense x Flamengo - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
Internacional x Náutico - Beira-Rio (Porto Alegre)
Bahia x Portuguesa - Pituaçu (Salvador)
Corinthians x Atlético Goianiense - Pacaembu (São Paulo)
Botafogo x Palmeiras - Engenhão (Rio de Janeiro)
Santos x Cruzeiro - Vila Belmiro (Santos)
Sport Recife x Vasco - Ilha do Retiro (Recife)
Fluminense x São Paulo - Engenhão (Rio de Janeiro)
Atlético Mineiro x Coritiba - Independência (Belo Horizonte)
Ponte Preta x Grêmio - Moisés Lucarelli (Campinas)

16ª rodada (11-12/08)
Bahia x Cruzeiro - Pituaçu (Salvador)
Sport Recife x Figueirense - Ilha do Retiro (Recife)
Flamengo x Náutico - Engenhão (Rio de Janeiro)
Internacional x Ponte Preta - Beira-Rio (Porto Alegre)
São Paulo x Grêmio - Morumbi (São Paulo)
Atlético Mineiro x Vasco - Independência (Belo Horizonte)
Coritiba x Corinthians - Couto Pereira (Curitiba)
Santos x Atlético Goianiense - Vila Belmiro (Santos)
Portuguesa x Botafogo - Canindé (São Paulo)
Fluminense x Palmeiras - Engenhão (Rio de Janeiro)

17ª rodada (15-16/08)
Grêmio x Portuguesa - Olímpico (Porto Alegre)
Cruzeiro x Fluminense - Independência (Belo Horizonte)
Ponte Preta x Bahia - Moisés Lucarelli (Campinas)
Atlético Goianiense x Atlético Mineiro - Serra Dourada (Goiânia)
Náutico x São Paulo - Aflitos (Recife)
Botafogo x Sport Recife - Engenhão (Rio de Janeiro)
Palmeiras x Flamengo - Pacaembu (São Paulo)
Corinthians x Internacional - Pacaembu (São Paulo)
Vasco x Coritiba - São Januário (Rio de Janeiro)
Figueirense x Santos - Orlando Scarpelli (Florianópolis)

18ª rodada (18-19/08)
Náutico x Bahia - Aflitos (Recife)
Fluminense x Sport Recife - Engenhão (Rio de Janeiro)
São Paulo x Ponte Preta (Morumbi)
Santos x Corinthians - Vila Belmiro (Santos)
Atlético Mineiro x Botafogo - Independência (Belo Horizonte)
Grêmio x Figueirense - Olímpico (Porto Alegre)
Coritiba x Cruzeiro - Couto Pereira (Curitiba)
Atlético Goianiense x Palmeiras - Serra Dourada (Goiânia)
Flamengo x Vasco - Engenhão (Rio de Janeiro)
Portuguesa x Internacional - Canindé (São Paulo)

19ª rodada (25-26/08)
Vasco x Fluminense - Engenhão (Rio de Janeiro)
Palmeiras x Santos - Arena Barueri (Barueri)
Ponte Preta x Portuguesa - Moisés Lucarelli (Campinas)
Figueirense x Coritiba - Orlando Scarpelli (Florianópolis)
Corinthians x São Paulo - Pacaembu (São Paulo)
Botafogo x Flamengo - Engenhão (Rio de Janeiro)
Internacional x Grêmio - Beira-Rio (Porto Alegre)
Sport Recife x Náutico - Ilha do Retiro (Recife)
Cruzeiro x Atlético Mineiro - Independência (Belo Horizonte)
Bahia x Atlético Goianiense - Pituaçu (Salvador)

No returno, as rodadas se repetem na mesma ordem do turno, com os mandos de campo invertidos. A última rodada acontecerá no dia 2 de dezembro.

PC

Brasil 3 x 1 Dinamarca




26/05/2012 - Brasil 3 x 1 Dinamarca - Volksparkstadion (Hamburg, Alemanha)
Brasil: Jefferson; Danilo (Rafael), Thiago Silva, Juan e Marcelo (Alex Sandro); Sandro (Casemiro), Rômulo, Oscar e Lucas (Giuliano); Hulk (Bruno Uvini) e Leandro Damião (Wellington Nem). Técnico: Mano Menezes.
Dinamarca: Sorensen (Andersen); Wass, Kjaer, Agger e Simon Poulsen; Christian Poulsen (Jakob Poulsen), Zimling, Eriksen (Rommedahl) e Schöne (Kahlenberg); Krohn-Dehli e Bendtner. Técnico: Morten Olsen.
Árbitro: Felix Brych (Alemanha).
Gols: Hulk (BRA), aos 8'; Zimling (contra) (BRA), aos 12'; Hulk (BRA), aos 39' do primeiro tempo; Bendtner (DIN), aos 26' do segundo tempo.

Sandro combate firme (foto: Fabian Bimmer/Reuters)

PC

História - Portuguesa x Vasco



Vasco e Portuguesa são ambos clubes de origem lusa, fato que torna a rivalidade entre eles especial. Ao todo, houve 66 jogos entre as duas agremiações, com 35 vitórias do Vasco, 14 empates e 17 triunfos da Portuguesa, 129 gols do Vasco e 87 gols da Portuguesa.

Em 1958, o Vasco conquistou seu primeiro Torneio Rio-São Paulo, ao vencer a Portuguesa por 5 a 1 no Pacaembu. Em 1984, o Vasco eliminou a Portuguesa nas quartas-de-final do Campeonato Brasileiro. Em 1988, houve um duelo no Estádio do Porto, em Portugal. No mesmo ano, Vivinho marcou um golaço espetacular em São Januário. Em 1989, Roberto Dinamite jogou pela primeira vez contra o Vasco. Em 1997, Vasco e Portuguesa estavam no mesmo grupo na fase semifinal do Campeonato Brasileiro. Em 2001, a Portuguesa venceu uma partida emocionante, por 5 a 4.

Confiram a lista de partidas entre Portuguesa e Vasco ao longo da história:
06/08/1933 - Portuguesa 3 x 1 Vasco - Rua Cesário Ramalho (São Paulo)
19/11/1933 - Vasco 1 x 0 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
02/08/1934 - Vasco 3 x 2 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
17/07/1940 - Vasco 2 x 0 Portuguesa - Campos Sales (Rio de Janeiro)
04/01/1950 - Vasco 5 x 2 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
17/03/1951 - Portuguesa 2 x 2 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
28/03/1952 - Vasco 1 x 1 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
15/06/1952 - Portuguesa 4 x 2 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
19/06/1952 - Vasco 2 x 2 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
12/04/1953 - Vasco 1 x 0 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
03/07/1954 - Vasco 3 x 2 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
11/05/1955 - Vasco 0 x 0 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
18/05/1957 - Portuguesa 2 x 5 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
06/04/1958 - Portuguesa 1 x 5 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
09/05/1959 - Portuguesa 1 x 4 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
03/04/1960 - Portuguesa 0 x 5 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
12/03/1961 - Portuguesa 2 x 3 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
13/05/1962 - Portuguesa 1 x 2 Vasco - (São Paulo)
24/03/1963 - Portuguesa 2 x 1 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
09/05/1964 - Portuguesa 3 x 3 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
17/04/1965 - Portuguesa 1 x 0 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
16/05/1965 - Portuguesa 1 x 0 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
26/09/1965 - Portuguesa 1 x 0 Vasco - (Salvador)
24/03/1966 - Vasco 1 x 0 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
18/03/1967 - Vasco 3 x 3 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
15/09/1968 - Portuguesa 0 x 2 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
23/08/1969 - Portuguesa 1 x 0 Vasco - (São Paulo)
22/11/1969 - Vasco 0 x 1 Portuguesa - General Severiano (Rio de Janeiro)
22/08/1971 - Vasco 0 x 3 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
03/02/1972 - Vasco 2 x 3 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
06/02/1972 - Portuguesa 3 x 1 Vasco - (São Paulo)
18/11/1972 - Vasco 3 x 1 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
19/09/1973 - Vasco 0 x 1 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
14/09/1975 - Vasco 2 x 0 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
24/06/1978 - Portuguesa 1 x 1 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
01/05/1984 - Portuguesa 2 x 5 Vasco - Pacaembu (São Paulo)
05/05/1984 - Vasco 4 x 3 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
28/05/1986 - Vasco 2 x 0 Portuguesa - Municipal (Juiz de Fora)
06/08/1988 - Vasco 2 x 0 Portuguesa - Estádio das Antas (Porto, Portugal)
11/09/1988 - Vasco 4 x 2 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
21/10/1989 - Vasco 0 x 0 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
11/11/1990 - Vasco 2 x 1 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
03/04/1991 - Portuguesa 1 x 1 Vasco - Canindé (São Paulo)
06/04/1992 - Portuguesa 1 x 1 Vasco - Canindé (São Paulo)
04/07/1993 - Vasco 0 x 2 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
21/07/1993 - Portuguesa 2 x 2 Vasco - Canindé (São Paulo)
19/10/1994 - Vasco 1 x 0 Portuguesa - Municipal (Juiz de Fora)
03/09/1995 - Portuguesa 3 x 3 Vasco - Palestra Itália (São Paulo)
28/08/1996 - Vasco 2 x 1 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
28/09/1997 - Portuguesa 1 x 2 Vasco - Canindé (São Paulo)
26/11/1997 - Vasco 2 x 1 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
29/11/1997 - Portuguesa 1 x 3 Vasco - Morumbi (São Paulo)
02/09/1998 - Vasco 1 x 2 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
20/10/1999 - Portuguesa 1 x 1 Vasco - Canindé (São Paulo)
27/08/2000 - Portuguesa 2 x 2 Vasco - Canindé (São Paulo)
04/11/2001 - Portuguesa 5 x 4 Vasco - Canindé (São Paulo)
02/03/2002 - Vasco 4 x 1 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
29/09/2002 - Vasco 4 x 0 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
17/05/2008 - Vasco 3 x 1 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
21/08/2008 - Portuguesa 0 x 1 Vasco - Antonio Guimarães (Santa Bárbara d'Oeste)
15/08/2009 - Portuguesa 1 x 3 Vasco - Canindé (São Paulo)
21/11/2009 - Vasco 0 x 1 Portuguesa - Maracanã (Rio de Janeiro)
26/05/2012 - Portuguesa 0 x 1 Vasco - Canindé (São Paulo)
01/09/2012 - Vasco 2 x 0 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
25/05/2013 - Vasco 1 x 0 Portuguesa - São Januário (Rio de Janeiro)
11/09/2013 - Portuguesa 2 x 0 Vasco - Canindé (São Paulo)

PC

Golaço do dia #170 - Vivinho



Atleta: Welves Dias Marcelino (Vivinho).
Jogo: Vasco 4 x 2 Portuguesa (11/09/1988 - Campeonato Brasileiro).
Local: São Januário (Rio de Janeiro).

PC

sexta-feira, 25 de maio de 2012

História - Fluminense no Campeonato Brasileiro de 1968

O tricolor Wilton utiliza a mão para driblar Marco Aurélio,
e marcar o gol da vitória no Fla-Flu.

No Campeonato Brasileiro de 1968, o Fluminense disputou 16 jogos, obtendo 6 vitórias, 1 empate e 9 derrotas, 19 gols-pró e 23 gols-contra.

O treinador do Fluminense durante todo o torneio foi Evaristo de Macedo. Os artilheiros do Tricolor na competição foram: Lula (5), Wilton (5), Samarone (3), Suingue (3), Nélio (2) e Cláudio Garcia (1).

Segue a lista de jogos do Fluminense no Campeonato:
14/09/1968 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Samarone 2), Botafogo 1 (Roberto)
18/09/1968 - Durival de Brito (Curitiba) - Atlético Paranaense 3 (Zé Roberto e Madureira 2), Fluminense 1 (Suingue)
21/09/1968 - Morumbi (São Paulo) - Santos 2 (Pelé e Toninho), Fluminense 1 (Lula)
26/09/1968 - Pacaembu (São Paulo) - Palmeiras 2 (Denilson contra e César), Fluminense 0
29/09/1968 - Mineirão (Belo Horizonte) - Atlético Mineiro 0, Fluminense 0
02/10/1968 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 1 (Suingue), Cruzeiro 2 (Natal 2)
17/10/1968 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 5 (Lula 2, Nélio, Wilton e Cláudio Garcia), São Paulo 2 (Babá e Dias)
20/10/1968 - Ilha do Retiro (Recife) - Náutico 0, Fluminense 1 (Samarone)
23/10/1968 - Fonte Nova (Salvador) - Bahia 1 (Moraes), Fluminense 3 (Wilton 2 e Nélio)
26/10/1968 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Portuguesa 2 (Leivinha e Rodrigues)
17/11/1968 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Vasco 2 (Eberval e Nei), Fluminense 1 (Lula)
21/11/1968 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Bangu 1 (Dé), Fluminense 0
24/11/1968 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Suingue e Wilton), Corinthians 1 (Eduardo)
27/11/1968 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Internacional 1 (Dorinho)
01/12/1968 - Olímpico (Porto Alegre) - Grêmio 3 (Renato, Sérgio Lopes e Babá), Fluminense 1 (Lula)

Vasco, Palmeiras, Santos e Internacional disputaram o quadrangular final. O Santos, liderado pelo já experiente Pelé, conquistou seu sexto título nacional na década (de 1961 a 1965, conquistara a Taça Brasil cinco vezes seguidas).

PC

História - Fluminense no Campeonato Brasileiro de 1967

Durante todo o Campeonato Brasileiro de 1967,
o Fluminense foi treinado por seu ídolo Tim.

A campanha do Fluminense no Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1967, o primeiro Campeonato Brasileiro, foi de 14 jogos, com 4 vitórias, 3 empates e 7 derrotas, 21 gols-pró e 29 gols-contra. Dos 15 participantes, o Tricolor acabou em 13º lugar, com 11 pontos ganhos.

Os artilheiros do Fluminense na campanha foram: Mário (5 gols), Jorge Costa (3), Roberto Pinto (3), Cláudio Garcia (3), Gilson Nunes (2), Lula (2), Jardel (1), Amoroso (1) e Samarone (1).

Segue a lista de partidas do Fluminense no Campeonato:
05/03/1967 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 2 (Amoroso e Mário), Palmeiras 4 (Rinaldo 2, Ademir da Guia e César)
12/03/1967 - Mineirão (Belo Horizonte) - Cruzeiro 3 (Tostão 2 e Dirceu Lopes), Fluminense 1 (Jorge Costa)
19/03/1967 - Pacaembu (São Paulo) - Corinthians 3 (Tales, Rivellino e Nair (p)), Fluminense 3 (Samarone, Lula e Roberto Pinto (p))
26/03/1967 - Pacaembu (São Paulo) - São Paulo 1 (Dias), Fluminense 2 (Mário e Gilson Nunes)
01/04/1967 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Vasco 2 (Oldair e Moraes), Fluminense 2 (Cláudio Garcia e Gilson Nunes (p))
05/04/1967 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Atlético Mineiro 2 (Buião e Décio Teixeira)
09/04/1967 - Durival de Brito (Curitiba) - Ferroviário 1 (Humberto), Fluminense 2 (Cláudio Garcia e Roberto Pinto)
15/04/1967 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 4 (Jardel, Roberto Pinto e Mário 2), Botafogo 3 (Enos 2 e Roberto)
19/04/1967 - Olímpico (Porto Alegre) - Internacional 3 (Bráulio, Dorinho e Didi), Fluminense 0
23/04/1967 - Olímpico (Porto Alegre) - Grêmio 3 (Alcindo 3), Fluminense 1 (Cláudio Garcia)
03/05/1967 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Fluminense 0, Portuguesa 1 (Augusto (p))
07/05/1967 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Bangu 2 (Jair e Norberto), Fluminense 0
13/05/1967 - Maracanã (Rio de Janeiro) - Flamengo 1 (Ademar), Fluminense 1 (Mário)

O quadrangular final foi disputado por Corinthians, Grêmio, Internacional e Palmeiras, e este último sagrou-se campeão.

PC

Nielson Nogueira Dias apitará Fluminense x Figueirense


Amigos, apitará Fluminense x Figueirense, domingo, no Engenhão, pelo Campeonato Brasileiro, o árbitro pernambucano Nielson Nogueira Dias. Ele será auxiliado por Jossemmar J. Diniz Moutinho e José P. Wanderlei da Silva.

Nielson Nogueira Dias só apitou um jogo do Fluminense até hoje: foi em 04/08/2011, uma vitória por 2 a 0 sobre o Internacional.

PC

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Vamos tratar do tetra!

1970

1984

2010


Vamos tratar do tetra!

A Festa dos Tolos


(texto do leitor Fábio Barbosa de Araújo)


A cada insucesso do Fluminense, os rivais proliferam em provocações que buscam nos lembrar, de diversos modos, que já estivemos na série C do Campeonato Brasileiro, ou terceira divisão, como fazem questão de destacar alguns. Impossível não se compadecer, a cada ocasião em que isto se repete, com a ingenuidade dos que acreditam que, com estas atitudes, atingem e minam nosso orgulho de ser tricolor. Tolos.

Ao nos lembrar de que já estivemos na Série C, ou terceira divisão, como preferirem, nenhum de nossos rivais consegue nos incomodar. Pelo contrário, ao evocar tais lembranças, apenas nos recordam do espírito guerreiro deste clube e de sua torcida, que se reergueu a partir de seus próprios esforços e que assusta, com suas seguidas demonstrações de força, aqueles que um dia imaginaram, levianamente, que o Fluminense não resistiria aos infortúnios.

Todo torcedor tricolor conhece muito bem a história de seu clube, tem exata consciência de seu passado, dos momentos bons e ruins. Cada um sabe onde este clube já esteve em seus 110 anos de história e de onde retornou. E cada um tem a consciência da força e união que adquirimos com este renascimento. Não temos vergonha de nosso passado. Temos, ao revés, um orgulho inexcedível das incessantes demonstrações de superação que proporcionamos.

A cada insucesso, demonstramos que estamos mais unidos e mais conscientes do que precisa ser feito para que continuemos em nosso caminho de glórias. A cada correção de rota que se faz necessária, estamos a postos para superar novos obstáculos e batalhar em outros campos e terras, com ainda mais afinco e vontade de vencer.

Graças a nossos rivais, não esmoreceremos jamais, pois a cada vez que os eles nos lembram de nossas maiores adversidades, nos recordam ao mesmo tempo que, se já tivemos forças para superá-los, não serão pequenas pedras no caminho que irão nos impedir de seguir adiante, pois já movemos montanhas com nossa união e força.

A verdade, leitores tricolores e rivais, é que hoje o Fluminense incomoda, e muito, os que um dia ousaram sonhar que o veriam sucumbir. A presença tricolor surge diante de cada rival como um fantasma a recordá-los de que não, não irão jamais ver este clube e sua fanática e fiel torcida rendidos, e que cada batalha perdida renova em nós o ânimo de vencer mais e mais guerras.

A cada jogo épico que fazemos, nossos rivais se angustiam ao relembrar que, se nossas vitórias são heróicas e arrebatadoras, em nossas derrotas demonstramos e o espírito de que, ainda que em alguns casos a vitória não venha, é possível não desistir nunca e necessário lutar sempre. Diante disto, nada podem fazer a não ser realizar a vã tentativa de nos fazer desanimar, mas que inconscientemente apenas renovam nossas convicções e determinações. 

Não somos uma torcida comum, e nossos rivais sabem e temem isso. Ver nossa torcida mobilizada e nosso time guerreiro em campo provoca pesadelos em muitos. Voltamos do inferno e não sucumbiremos jamais. Estivemos com o Fluminense ontem e permaneceremos ao seu lado hoje e sempre.

Obrigado, rivais, por nos lembrarem, a cada oportunidade, do muito que já fizemos e nos inspirar a, repetidamente, demonstrar que estamos muito mais fortes do que vocês podem imaginar.

Resenha: Tricolor 1 x 1 Boca Juniors

Ricardo Ayres/Photocamera

Amigos, a dor maior de uma eliminação como essa não é a perda do título. A dor maior é a certeza de que o Fluminense tem um time muito melhor que o Boca Juniors, jogou muito melhor que o Boca Juniors, e merecia ser semifinalista. É esta a dor maior.

Jamais esqueceremos o segundo tempo heróico do Tricolor na Bombonera, jogando com dez contra doze. Jamais esqueceremos o primeiro tempo agressivo do Tricolor no Engenhão, que poderia ter rendido um placar até de goleada. Jamais esqueceremos as defesas monumentais de Diego Cavalieri em Buenos Aires. Jamais esqueceremos o golaço de Carleto. Jamais esqueceremos a luta de Edinho. E também jamais esqueceremos o cruel e injusto gol que adiou nosso sonho. Um gol de um time que jogou sujo em sua casa, e foi covarde fora dela (finalizaram quantas vezes à nossa meta? Uma ou duas?).

Peço que não culpem o Profeta, que em sua distante caverna previu o título do Fluminense, num vaticínio épico. O velho e barbudo homem, com sua visão da taça sorrindo ao ser erguida aos céus do Rio de Janeiro, errou ao não considerar os tantos fatores extra-campo que mancham a Copa Libertadores. Ele não tinha como saber, por exemplo, que o larápio colombiano não marcaria o pênalti de almanaque na Bombonera, que mudaria a história do confronto.

Os sem coração logo dirão que estou enganado, que o Fluminense não venceu porque não merecia a Copa Libertadores. Ao que respondo: enganados estão eles.

Com as nojentas, criminosas e cínicas arbitragens anti-brasileiras...

Com as torcidas que atiram pedras nos visitantes, sem que seus estádios sejam interditados...

Com os times que apelam, jogam contra as regras e não são punidos...

Com as equipes que usam os 3 ou 4 mil metros de altitude como arma...


É a Copa Libertadores que não merece o Fluminense.

Pior para ela.

PC

quarta-feira, 23 de maio de 2012

A camisa tricolor e a bandeira ao vento...


Meu Fluminense, eu vim aqui pra te apoiar.

Não importa que do outro lado esteja o famoso multicampeão Boca Juniors. Nós já vencemos o Bayern de Munique tricampeão europeu, com Beckenbauer, Gerd Müller e companhia.

Não importa que nos digam que é impossível. Nós demonstramos que o impossível não existe.

Não importa que os árbitros e bandeirinhas nos maltratem. Isto só aumenta nossa vontade de vencer.

Não importa que os adversários nos atirem pedras. Nós damos o troco na bola.

Não importa que zombem de nosso passado. Nós sabemos que ele traduz nossa predestinação para a glória.

Não importa a situação momentânea da partida. Nós não vamos parar de cantar.

Não importa que o cronômetro esteja correndo contra nós. O último minuto já mostrou que é tricolor.

Meu Fluminense, eu vim aqui pra te apoiar.

PC

terça-feira, 22 de maio de 2012

Do grená, nosso amor



Há mais de um século nosso amor se faz presente
Antes mesmo de nascermos ele já nos esperava.
Nossa fé em cada vitória, nossas glórias na memória
Faz tanto tempo que essa história é contada.

Ele está nas minhas rimas, nos meus sonhos
No meu desejo mais profundo de lutar por um ideal.
Ele move e gira um mundo, vai além de todos e tudo
Ultrapassa nossos sonhos e se torna real.

Não um clube apenas, uma bola, uma arena:
Quem tem esse amor sabe que vai muito além.
São os gritos, a revolta, o apoio
A certeza de que ele pode contar com alguém.

É esse alguém que somos, e somos por ele.
A certeza de que estaremos sempre juntos,
Na alegria ou nas dores.
Amor: Uma palavra, duas sílabas,
Quatro letras e três cores.

(poema de Mariana Stofel)

Do verde, a esperança




Hoje uma esperança ainda resta
No peito calado, grita a vontade de todos nós
E que a torcida levante e comande a festa
E que não se junte aquele que não tiver voz.

Porque somos do clube mais grandioso
Somos as lembranças das antigas conquistas, e das lindas vitórias
E não há de ser agora com o futuro duvidoso
Que vamos parar de escrever nossa história.

Temos nas mãos e no grito
Um sentimento lindo
Que não há de cessar.

Somos o conjunto mais bonito
O clube das glórias
Que não vão acabar.

E cada queda que houver,
Aonde você estiver
Será aonde a torcida estará.

Porque não importa situação qualquer
Quem vem junto com o Flu
Não vai deixar de cantar!

(poema de Mariana Stofel)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Tradição



Quem é pior?

O "parceiro" que propõe o estupro da tradição?

Ou o "Conselho" que o aprova?

A Europa é azul


Na noite de 21 de maio de 2008, no Estádio Luzhniki, em Moscou, o capitão John Terry caminhou lentamente até a área. Aquele seria o chute mais importante da história do Chelsea. Quando ajeitou a bola na marca de cal, Terry estava a onze metros da glória. Mas ocorre o escorregão improvável, e o chute de Terry vai para fora. Os azuis de Londres estavam tão perto da conquista, que já podiam sentir seu cheiro. Mas tiveram que ver a taça ir embora, escapando por entre seus dedos. É difícil imaginar dor maior para um torcedor.

Quatro anos depois, quem diria, o Chelsea voltaria ao grande jogo. Se jogar em campo neutro contra o Manchester United já havia sido difícil, agora a missão parecia ainda mais complicada: o Bayern de Munique, em seu próprio estádio. Para piorar a situação, havia os importantes desfalques de Terry, MeirelesRamires e Ivanovic. A aposta natural era no título do gigante alemão.

Durante toda a partida, o Chelsea utilizou uma estratégia perigosamente defensiva. Dava campo ao Bayern, deixava a posse de bola com os alemães. A esperança azul era acertar um contra-ataque fatal. Mas o Bayern não dava chances, impunha seu estilo de jogo agressivo. Entretanto, não conseguia furar a retranca londrina.

Até que, aos 38 minutos do segundo tempo, o cérebro alemão Schweinsteiger descobriu uma brecha, e deu assistência irretocável para Thomas Müller. A cabeçada foi como manda a cartilha, para o chão, sem chances para Petr Cech, o goleiro do Chelsea. O Bayern fazia 1 a 0, com pouquíssimo tempo restante. O Chelsea teria que abdicar de sua proposta, e lançar-se desesperadamente ao ataque. Aos 43, a pressão azul deu resultado: Drogba completou cobrança de escanteio com uma tijolada de cabeça para o gol, sem chances para o goleiro Neuer. O sonho ainda era possivel.

A prorrogação traria ainda mais crueldade para os corações londrinos: impossível imaginar o sofrimento do torcedor ao ver aquele pênalti ser assinalado. Mas Petr Cech voou para defender o tiro de Robben. O sonho ainda era possível.

Encerrado o tempo extra, o desempate teria que ser na disputa de pênaltis. O Bayern fez 1 a 0 com Lahm, Neuer defendeu a cobrança de Juan Mata, e Mario Gómez fez 2 a 0. O Chelsea precisaria virar a disputa de pênaltis, jogando contra um goleiro que parecia tapar o gol inteiro, com seus braços tão grandes que mais parecem asas.

David Luiz e Lampard conseguiram vencer Neuer (que também converteu sua própria cobrança). O Bayern ganhava por 3 a 2: se o croata Olic fizesse o gol, as chances do Chelsea seriam reduzidas a quase zero. Petr Cech sabia que precisava defender a cobrança, e executou seu segundo milagre em Munique. Na sequência, Ashley Cole empatou para o Chelsea. O sonho ainda era possivel.

Para a quinta cobrança do Bayern, apresentou-se Schweinsteiger, o melhor jogador do time alemão, o ídolo da torcida. Petr Cech fez mais uma defesa monumental, e Schweinsteiger chorou.

Na noite de 19 de maio de 2012, na Allianz Arena, em Munique, o craque Didier Drogba caminhou lentamente até a área. Aquele seria o chute mais importante da história do Chelsea. Quando ajeitou a bola na marca de cal, Drogba estava a onze metros da glória.

A Europa é azul.

PC
(crédito da foto: Mike Hewitt/Getty Images)

Copa Libertadores - Confrontos com o primeiro jogo 1-0


A derrota por 1 a 0 fora de casa, na primeira partida, parece um resultado muito ruim, tendo em vista o critério de desempate que valoriza os gols marcados como visitante. O que será que dizem as estatísticas? Os torcedores de Fluminense e Santos podem ter esperanças de virar o placar, respectivamente contra Boca Juniors e Vélez Sarsfield?

Desde que o critério do saldo qualificado foi adotado na Copa Libertadores, 19 partidas de ida terminaram com o placar de 1 a 0 para o mandante. Em 13 vezes, o time em vantagem confirmou sua classificação (12 no tempo normal, 1 nos pênaltis). Em 6 ocasiões, o mandante do segundo jogo conseguiu reverter a situação (5 no tempo normal, 1 nos pênaltis).

A situação não está fácil para os clubes brasileiros, mas é longe de ser missão impossível. O próprio Fluminense é exemplo de que a virada é possível. Em 2008, após derrota por 1 a 0 para o São Paulo no Morumbi, o Tricolor conseguiu uma suada vitória por 3 a 1 no Maracanã, garantindo a vaga na semifinal daquela edição.

É importante ter paciência, se os gols demorarem a sair. Uma vitória simples por 1 a 0 leva a disputa para os pênaltis, e tanto Fluminense quanto Santos têm condições de vencer nesse tipo de desempate (os goleiros Diego Cavalieri e Rafael já demonstraram confiança em momentos decisivos).

Além disso, uma vitória por 2 gols de diferença pode ser construída com calma. Em 2007, o Grêmio fez 1 a 0 sobre o São Paulo aos 17 do primeiro tempo, mas o segundo gol só foi acontecer aos 30 da segunda etapa. Em 2008, o Fluminense também abriu cedo o placar contra o São Paulo, sofreu o empate aos 24 do segundo tempo, e ainda assim teve forças para buscar os dois gols que faltavam.

Seguem abaixo os resultados dos 19 confrontos analisados.

Copa Libertadores 2006
- quartas-de-final: Estudiantes/ARG 1-0 0-1 São Paulo/BRA (definição por pênaltis).

Copa Libertadores 2007
- oitavas-de-final: São Paulo/BRA 1-0 0-2 Grêmio/BRA.

Copa Libertadores 2008
- fase preliminar: Olmedo/EQU 1-0 0-3 Lanús/ARG.
- fase preliminar: Cienciano/PER 1-0 0-0 Montevideo Wanderers/URU.
- quartas-de-final: São Paulo/BRA 1-0 1-3 Fluminense/BRA.

Copa Libertadores 2009
- fase preliminar: Universidad de Chile 1-0 1-2 Pachuca/MEX.
- oitavas-de-final: Palmeiras/BRA 1-0 0-1 Sport Recife/BRA (definição por pênaltis).
- semifinal: Estudiantes/ARG 1-0 2-1 Nacional/URU.

Copa Libertadores 2010
- fase preliminar: Deportivo Táchira/VEN 1-0 1-3 Libertad/PAR.
- oitavas-de-final: Flamengo/BRA 1-0 1-2 Corinthians/BRA.
- quartas-de-final: Internacional/BRA 1-0 1-2 Estudiantes/ARG.
- semifinal: Internacional/BRA 1-0 1-2 São Paulo/BRA.

Copa Libertadores 2011
- fase preliminar: Cerro Porteño/PAR 1-0 1-1 Deportivo Petare/VEN.
- oitavas-de-final: Santos/BRA 1-0 0-0 América/MEX.
- semifinal: Santos/BRA 1-0 3-3 Cerro Porteño/PAR.
- semifinal: Peñarol/URU 1-0 1-2 Vélez Sarsfield/ARG.

Copa Libertadores 2012
- fase preliminar: El Nacional/EQU 1-0 1-4 Libertad/PAR.
- fase preliminar: Internacional/BRA 1-0 2-2 Once Caldas/COL.
- fase preliminar: Unión Española/CHI 1-0 2-2 Tigres/MEX.

PC

Posts relacionados:
- Confrontos com o primeiro jogo 0-0.
- Decidir em casa é mesmo melhor?.

domingo, 20 de maio de 2012

Resenha: Corinthians 0 x 1 Tricolor


Amigos, começou neste fim de semana a quadragésima-sexta edição do Campeonato Brasileiro de futebol. Corinthians e Fluminense estrearam no Pacaembu, no confronto entre os dois últimos campeões do certame.

Os treinadores Abel e Tite resolveram poupar praticamente todos os titulares, priorizando os jogos da Copa Libertadores na quarta-feira. Aproveito a oportunidade para criticar a postura de ambos: o Brasileirão é o principal campeonato da temporada, e não pode ser assim tão desprezado. Entenderia perfeitamente um descanso para determinados atletas, que estivessem fisicamente desgastados. Mas jogar com times inteiramente reservas é, na minha visão, um erro grave. Essa aposta na Copa Libertadores é muito arriscada, visto que a sorte é um fator decisivo em torneios mata-mata. O Fluminense parece não ter aprendido com os erros de 2008, quando deixou o Campeonato Brasileiro de lado, perdeu a Copa Libertadores na final por um triz, e depois precisou correr dobrado para escapar do rebaixamento no Nacional.

Times reservas à parte, sempre que Fluminense e Corinthians entram em campo, uma grande rivalidade está em jogo. As duas instituições estão ligadas entre si desde o nascimento do Corinthians, fundado por jovens paulistas que assistiram a uma partida do Fluminense no Rio de Janeiro, em 1910. Em 1952, no Maracanã, Fluminense e Corinthians decidiram a Copa Rio, o Mundial de Clubes da época, com triunfo tricolor. Em 1976, o Corinthians obteve contra o Fluminense a maior vitória de sua história, numa tarde de dilúvio no Maracanã. Em 1984, o Fluminense vingaria a famosa invasão vencendo a semifinal do Campeonato Brasileiro em pleno Morumbi, com direito a aula de tática de Parreira.

Neste domingo, o Fluminense obteve a grande vitória graças a uma jogada de escanteio na segunda etapa: o jovem Marcos Júnior cobrou muito bem, e Leandro Euzébio cabeceou consciente, vencendo o goleiro Cássio. Amigos, foi um gol que valeu por seis pontos, os três que deu ao Fluminense, mais os três que tirou do Corinthians (afinal, tenho o pressentimento de que Fluminense e Corinthians estarão brigando pelo título em novembro).

Agora, Fluminense e Corinthians voltam suas atenções para a Copa Libertadores, para os jogos de quarta-feira, contra Boca Juniors e Vasco. Se passarem pelos fortes oponentes, já estarão nas semifinais do torneio continental. E aí, talvez, quem sabe, poderão escrever mais um capítulo na história desta grande rivalidade.

PC

sábado, 19 de maio de 2012

História - Bahia x Santos

A final da Taça Brasil de 1961, vencida pelo Santos.

Amigos, Santos e Bahia fazem um dos duelos mais interessantes do futebol brasileiro. Os dois clubes se enfrentaram em três decisões de Taça Brasil (em 1959 com vitória do Bahia, e em 1961 e 1963 com vitórias do Santos). Em 1969, ocorreu a famosa vaia da torcida do Bahia contra seu próprio zagueiro, que impediu o milésimo gol de Pelé (e toda a festa subsequente).

O retrospecto geral do confronto inclui 54 jogos, com 25 vitórias do Santos, 12 empates e 17 triunfos do Bahia, 113 gols do Santos e 77 gols do Bahia.

Segue a lista com todas as partidas entre Bahia e Santos:
02/04/1936 - Bahia 1 x 2 Santos - Avenida da Graça (Salvador)
04/05/1939 - Bahia 1 x 3 Santos - (Salvador)
07/05/1939 - Bahia 3 x 3 Santos - (Salvador)
25/03/1956 - Bahia 3 x 1 Santos - (Salvador)
22/08/1957 - Bahia 1 x 2 Santos - (Salvador)
23/04/1959 - Bahia 1 x 2 Santos - Fonte Nova (Salvador)
10/12/1959 - Santos 2 x 3 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
30/12/1959 - Bahia 0 x 2 Santos - Fonte Nova (Salvador)
29/03/1960 - Santos 1 x 3 Bahia - Maracanã (Rio de Janeiro)
22/12/1961 - Bahia 1 x 1 Santos - Fonte Nova (Salvador)
27/12/1961 - Santos 5 x 1 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
25/01/1964 - Santos 6 x 0 Bahia - Pacaembu (São Paulo)
28/01/1964 - Bahia 0 x 2 Santos - Fonte Nova (Salvador)
02/05/1965 - Bahia 1 x 6 Santos - Mario Pessoa (Ilhéus)
05/05/1965 - Bahia 1 x 3 Santos - Fonte Nova (Salvador)
17/09/1967 - Santos 3 x 2 Bahia - ???
10/10/1968 - Santos 9 x 2 Bahia - Pacaembu (São Paulo)
16/11/1969 - Bahia 1 x 1 Santos - Fonte Nova (Salvador)
02/12/1970 - Bahia 1 x 5 Santos - Batistão (Aracaju)
04/04/1971 - Bahia 3 x 2 Santos - Fonte Nova (Salvador)
08/08/1971 - Bahia 0 x 0 Santos - Fonte Nova (Salvador)
29/10/1972 - Bahia 0 x 2 Santos - Fonte Nova (Salvador)
30/08/1975 - Santos 0 x 2 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
07/12/1975 - Bahia 1 x 1 Santos - Fonte Nova (Salvador)
16/10/1976 - Santos 0 x 0 Bahia - Pacaembu (São Paulo)
07/12/1977 - Santos 0 x 1 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
04/06/1978 - Bahia 3 x 0 Santos - Fonte Nova (Salvador)
14/09/1986 - Bahia 3 x 0 Santos - Fonte Nova (Salvador)
17/10/1987 - Santos 0 x 1 Bahia - Pacaembu (São Paulo)
07/12/1988 - Bahia 5 x 1 Santos - Fonte Nova (Salvador)
27/09/1989 - Santos 3 x 1 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
21/10/1990 - Santos 1 x 0 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
24/04/1991 - Bahia 1 x 0 Santos - Fonte Nova (Salvador)
25/05/1992 - Bahia 0 x 2 Santos - Fonte Nova (Salvador)
24/08/1994 - Santos 3 x 0 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
31/08/1994 - Bahia 2 x 1 Santos - Fonte Nova (Salvador)
26/10/1994 - Bahia 3 x 2 Santos - Fonte Nova (Salvador)
01/10/1995 - Santos 3 x 2 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
05/10/1996 - Bahia 1 x 1 Santos - Fonte Nova (Salvador)
25/10/1997 - Santos 3 x 1 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
24/03/1998 - Bahia 3 x 3 Santos - Fonte Nova (Salvador)
23/04/1998 - Santos 5 x 2 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
28/10/2000 - Santos 0 x 1 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
11/04/2001 - Bahia 2 x 0 Santos - Fonte Nova (Salvador)
18/04/2001 - Santos 0 x 2 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
23/09/2001 - Santos 5 x 1 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
30/10/2002 - Bahia 1 x 1 Santos - Fonte Nova (Salvador)
28/06/2003 - Santos 4 x 0 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
22/10/2003 - Bahia 4 x 7 Santos - Fonte Nova (Salvador)
21/08/2011 - Bahia 1 x 2 Santos - Pituaçu (Salvador)
27/11/2011 - Santos 1 x 1 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
20/05/2012 - Bahia 0 x 0 Santos - Pituaçu (Salvador)
29/08/2012 - Santos 1 x 3 Bahia - Vila Belmiro (Santos)
18/08/2013 - Bahia 0 x 0 Santos - Fonte Nova (Salvador)

PC