domingo, 27 de dezembro de 2009

O Natal de Rivaldo


(texto de Roberto Vieira, publicado originalmente no Blog do Juca)

Véspera de Natal.

O treinador Betinho olhou pro menino raquítico e gritou:

"Vai-te embora, moleque! Tu é muito perna-de-pau!"

O pequeno Rivaldo pegou sua chuteira velha.

Seu meião rasgado nos dedos.

E foi assim sem jeito de volta pra casa no Jardim Paulista.

Dona Marluce vê o filho chorando e fala pro pai.

O pai encontra o filho num canto da casa.

"Pai, eu não sei jogar futebol!"

O pai enxuga os olhos do filho e pergunta:

"Quem te disse isso? O tal de Betinho?"

Rivaldo observa os olhos do pai úmidos.

"Não ouça o que eles falam, meu filho! Teu destino é fazer gol!"

E voltam pra sala humilde onde brilha uma árvore de Natal.

É hora de comer o frango com farofa de Dona Marluce.

Dias depois Rivaldo segue com as chuteiras e o meião.

Nos braços do pai chega ao Paulistano.

O primeiro jogo dos meninos do Paulistano é contra o Santa Cruz.

Rivaldo está escalado.

Ante o olhar incrédulo de Betinho.

Rivaldo marca uma, duas, três vezes.

Suas pernas tortas equilibrando-se nas chuteiras velhas.

As bolas balançando as redes tricolores.

O olheiro Zé Custódio se vira pra Betinho:

"Tu endoidou? Mandar esse moleque embora?"

Rivaldo volta para o Santa Cruz.

O pai morre num desastre de trânsito.

Rivaldo chora novamente.

Uma dor infinita.

Muito maior que a dor de não saber jogar.

O Santa Cruz manda Rivaldo pro Mogi-Mirim.

Porque a torcida e a diretoria têm certeza que Rivaldo não sabe jogar.

Dona Marluce vê o filho chorando.

"Ta com medo, Rivaldo?"

Rivaldo olha o tempo e sussurra no ouvido da mãe:

"Estava sonhando com o pai..."

Rivaldo sai fazendo gol pela vida.

Gols tortos, gauches, estranhos, metafísicos.

Gols de bicicleta.

Gols do meio campo.

Gols de pernas tortas e sorriso tímido.

Gols aprendidos no velho campo dos Eucaliptos.

Gols de Maria Farinha.

Gols do tamanho do Camp Nou.

Do tamanho de uma Copa do Mundo.

Todos os gols.

Dedicados aos olhos úmidos de um pai.

"Não ouça o que eles falam, meu filho! Teu destino é fazer gol!"

6 comentários:

  1. Se o Rivaldo não estivesse no time de 2002 certamente a promessa do Felipão de chegar no mínimo às semifinais estaria furada...

    Naquela copa ele jogou demais!

    ResponderExcluir
  2. Rivaldo foi um dos maiores que vi jogar.

    Na Copa de 2002, como disse o Vinicius, ele jogou uma barbaridade. A deixadinha dele no segundo gol é uma pintura que Van Gogh assinaria.

    ResponderExcluir
  3. Super craque!
    Em 2002 ele, o Ronaldo e o Ronaldinho jogaram uma barbaridade e a seleção sobrou.

    ResponderExcluir
  4. Outro vídeo excelente de jogadas do Rivaldo:
    http://www.youtube.com/watch?v=GY6IOQtilgc

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.