quinta-feira, 3 de março de 2011

Resenha: América do México 1 x 0 Tricolor

(arte de Gilberto Zavarezzi)

Ao longo dos anos, o lendário Estádio Azteca testemunhou atuações de alguns dos maiores futebolistas de todos os tempos. Em 1970, Tostão, Pelé, Rivellino, Carlos Alberto, Gérson, Jairzinho, Félix e companhia desfilaram seu talento sobre aquele tapete verde. Em 1986, foi a vez de Maradona fazer sua arte, pintar seu quadro, rabiscando defensores ingleses.

Séculos antes das Copas do Mundo, este pedaço da Terra já possuía uma rica história: às margens do lago Texcoco, estava Tenochtitlán, a capital asteca, com um desenvolvimento tecnológico muito à frente de seu tempo. Com vários conhecimentos no campo da astronomia, já sabiam até que o ano solar dura 365 dias. Não há como negar: o Estádio Azteca era um cenário inspirador para o Fluminense se livrar daquele que é seu maior medo, seu maior trauma em competições sul-americanas: a maldita altitude.

O Tricolor fez um bom primeiro tempo, seguro principalmente na defesa, especialidade do técnico Muricy Ramalho. E até teve uma boa chance de gol, em grande arrancada de Mariano pelo flanco direito. Alguns talvez critiquem a postura defensiva, mas convenhamos: o empate não seria mau resultado, de forma que não poderíamos nos expor muito mesmo.

Na etapa complementar, houve a excelente atuação de Ricardo Berna, mais uma vez realizando intervenções difíceis. No entanto, nem mesmo o grande dia do nosso goleiro conseguiu impedir a tragédia: aos vinte e cinco minutos, Daniel Márquez aproveitou o cochilo de nossos zagueiros, e apareceu sozinho para marcar o gol do América do México.

Com apenas dois pontos em três partidas disputadas, a situação do Fluminense na primeira fase da Copa Libertadores é muito delicada. Nos três jogos que restam, não há alternativa: necessitamos de três triunfos. Confesso, é apenas um Fio de Esperança, mas o Fluminense já provou, algumas vezes durante sua história, que de Fios de Esperança nascem taças.

PC

27 comentários:

  1. Como o Edinho chama gol hein? E o Adriano no Palmeiras? Não tem jeito, temos que vencer os 3 jogos que faltam.

    ResponderExcluir
  2. Fácil, quem disse que seria fácil?! Vamos novamente fazer história com sangue, suor e lágrimas.

    --

    Quanto ao jogo, o Fluminense foi bem no jogo e nos faltou sorte. (ponto)

    []'s

    ResponderExcluir
  3. Concordo com o Montanha e com o Diguinho. Faltou sorte.

    Vejam só o Argentinos Jrs! O azarão do grupo lidera graças a um gol dado pelo Nacional.

    Vamos tratar do TETRA!

    (Espero que o Flu me cale!)

    Lembrando que foi do Fio de Esperança que surgiram as 2 primeiras Libertadores do SPFC.

    ResponderExcluir
  4. Vi os vinte minutos finais do jogo. O América controlou a bola, cozinhou bem o jogo e ainda criou boas chances. Vi um Flu, tal qual meu Santos, atabalhoado em campo, sem estrutura... quero ver qual dos clubes vai fazer uma faxina na diretoria de futebol primeiro.

    ResponderExcluir
  5. Expedito,

    Ah, é disso que o Fluminense mais precisa hoje: uma faxina na diretoria de futebol...

    ResponderExcluir
  6. Uma faxina na diretoria é o que Fluminense mais precisa desde dos 80's.

    ResponderExcluir
  7. Varrer o AA seria um bom começo.

    ResponderExcluir
  8. Pra sabe menos que eu de política tricolor, AA é Alcides Antunes.

    Eu sei. Também prefiro um alcoólatra anônimo. Paciência.

    ResponderExcluir
  9. Eu prefiro ser um bebado conhecido.

    ResponderExcluir
  10. Inter, Cruzeiro, São Paulo, Santos: entra ano e sai ano eles estão na libertadores. São clubes organizados e levam muita vantagem nos pontos corridos por isso.

    E o Flu?
    1971,1986, 2008 e 2011.
    Não reclamo da quantidade, mas sim dos intervalos.

    Eu acredito no Fluminense, mesmo que tivesse 0% de chance eu ainda ia acreditar, pior para os fatos.

    --

    Fio de Esperança é uma expressão tipicamente Tricolor, mas não da pra depender de um fio em todo torneio que entramos.

    Com uma divida de 300 mi é dificil planejar qualquer coisa, mas falta ao Flu uma postura administrativa de clube grande.

    Também apoio uma faxina na casa

    ResponderExcluir
  11. Mas enquanto a faxina não vem eu proponho algo bem simples:

    VAMOS APOIAR O TIME, PORRA!

    ResponderExcluir
  12. Pra começar, QUE TAL UMA REDUÇÃO NO PREÇO DOS INGRESSOS DO JOGO CONTRA O AMÉRICA DO MÉXICO?

    ResponderExcluir
  13. PC,

    se falar que quem comprou o Vampiro vai entrar de graça nas oitavas, o pessoal vai apoiar até o ultimo minuto.

    ;)

    ResponderExcluir
  14. Concordo totalmente PC, horário e localização já são fatores muito desestimulantes.

    O preço é a única coisa que o clube pode intervir e eles estão vacilando nesse sentido.

    Melhor colocar 50 mil pagando 20 reais = 1.000.000,
    do que colocar 12.500 mil pagando 80 reais = 1.000.000.

    ResponderExcluir
  15. Taciano, guardadas algumas proporções, a lógica é por aí mesmo.

    Preço mais baixo, maior presença de público.

    Especialmente quando o jogo é de primeira fase, isto é, não tem tanto apelo quanto uma semifinal ou final.

    ResponderExcluir
  16. Esta noite assisti ao Santos-Cerro, até porque o Iturbe estava em acção e o menino já merece grande destaque deste lado do Atlântico, pois assinou pelo Porto antes do torneio de Selecções Sul-Americanas Sub-20.

    No entanto como estava assistindo por uma tv Brasileira, foram passando imagens do Fluminense, que infelizmente perdeu no México.

    Espero que consigam inverter a situação e ser felizes na competição!

    Um grande abraço!

    http://thebluefactoryofdreams.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. "...Guardada as devidas proporções..." Hehe

    --

    Espero que os torcedores do Fluminense tenham disposição para comparecer nesses jogos e honrem os deveres clubísticos, mas o meu problema mesmo nem é essa questão de "acreditar ou não acreditar".

    As vezes penso: e se o Fluminense perder?

    E respondo: Se perder perdeu e pronto.

    De 15 participações em Libertadores, o São Paulo ganhou 3,
    de 14, o Palmeiras ganhou 1.

    Mesmo com títulos e a reerguida digna nessa década, a minha preocupação é o Fluminense, gigante que é, ficar 20 anos sem entrar no "g4" por ter estrutura de um Resende da vida.

    ResponderExcluir
  18. PC,
    a situação agora ficou complicada, o pior é que seu tricolor perdeu para ele mesmo, em libertadores quem não faz a lição de casa raramente consegue ir muito longe.

    BLOG DO CLEBER SOARES
    www.clebersoares.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Ainda acredito, embora esteja difícil. Mas, o time tem crédito.

    Agora, se não der, não será o fim do mundo. O que precisamos é estar sempre entre os primeiros no Brasileiro. E isso podemos repetir e voltar à Libertadores.

    Sou a favor da faxina e da redução de preços.

    ST!

    ResponderExcluir
  20. A verdade é que o Flu sem Fred e Emerson é um time comum, e pior, ruim. Não entendo porque jogar no 5-4-1 (foi como jogamos os dois últimos jogos) precisando de vencer e com He man isolado na frente.
    Que volte logo o nosso Capitão, que os milagres tricolores sempre acontecem, e só acontecem, com ele em campo.
    Sts

    ResponderExcluir
  21. muricy tem que começar a escalar o time direito. O problema não foi falta de sorte. Foi falta de ousadia. Um time um pouco mais ofensivo, com 2 atacantes ganhava aquele jogo.

    Araujo já!

    ResponderExcluir
  22. Nas boas te apoio nas más te amo



    se não for sofrido não é fluminense

    eu acredito

    ResponderExcluir
  23. PC, vou repetir o que já tinha dito aqui antes. O Flu não necessitava da vitória ontem, mas não podia perder. E confesso que não previa uma vitória do Arg Jrs contra o Nacional no Uruguai, Ficou muito difícil, principalmente sem o Fred, quando ele volta, se é que volta? De qualquer forma, nada de demitir o Muricy, a não ser que ele queira sair, abraço Marcelo

    ResponderExcluir
  24. Outra coisa. Assim como na Champions, tá mais que na hora de a Sul-Americana oranizar 16 cabeças-de-chave, de verdade, primeiro e segundo em cada grupo. O que acontece hoje é o que vemos: vários grupos ridículos, com no máximo um time decente (às vezes nenhum), e dois ou três grupos da morte com três bons times em cada um. Além das vagas - muitas para Venezuela, Peru, Bolívia, que mereceriam no máximo um time cada na competição. Que tal estabelecer duas divisões? Politicamente impossível?? abraços M

    ResponderExcluir
  25. Luzíada, obrigado por seu comentário. Concordo com tudo que você disse.

    Não poderíamos ter perdido esse jogo pro América. Agora, precisaremos de três vitórias, e considerando que dois jogos são como visitante, ficou bastante complicado...

    Fred voltando melhoraria mesmo o time. Vamos ver se ele retorna antes do dia 23, quando é o jogo do Engenhão contra o América.

    "Nada de demitir o Muricy, a não ser que ele queira sair" - EXATO!

    Sobre a divisão dos grupos na Libertadores: está muito ruim mesmo. Há grupos com bolivianos, venezuelanos e peruanos. Enquanto o Grupo do Fluminense tem argentinos, uruguaios e mexicanos. Desproporcional.

    (isso sem falar na bizarra distribuição de vagas: Brasil e Argentina com 5 lugares; Bolívia, Peru e Venezuela com 3 - bastante desproporcional, comparando-se a força dos países)

    Abraços,
    PC

    ResponderExcluir
  26. Já defendi aqui uma distribuição da Libertadores assim:

    1 vaga para o campeão.
    1 vaga para o campeão da Sula.
    8 vagas para o Brasil.
    6 vagas para a Argentina.
    3 vagas para Uruguai, Paraguai e Chile.
    2 vagas para Colômbia e Equador.
    1 vaga para Venezuela, Peru e Bolívia.

    Totalizando 32, todos direto na fase de grupos.

    Poderiam fazer um esquema como o da Europa, com um "ranking", que determinasse o número de vagas de cada país de acordo com o desempenho de seus clubes. (esse ano, a Itália perdeu uma de suas vagas para a Alemanha, porque seus clubes têm ido mal na Liga dos Campeões)

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.