quarta-feira, 10 de julho de 2013

Sobre o acordo do Fluminense com o Maracanã

Mapa dos setores do Maracanã.

O Fluminense assinou hoje acordo com o consórcio que administra o Maracanã, pelos próximos 35 anos (até 2048). Abaixo, seguem alguns termos do contrato, e minha opinião sobre cada um deles.

(observação: me baseei nas notícias que saíram sobre o assunto, pois não tive acesso ao contrato em si)

Renda da bilheteria
O Fluminense terá direito à renda de 43 mil dos cerca de 78 mil lugares do estádio. É a renda correspondente aos setores atrás dos gols (em verde e em amarelo no mapa acima). Considero essa proporção pequena. O Fluminense, como protagonista do espetáculo, deveria ter direito a uma proporção maior da renda do jogo. A renda de pouco mais da metade dos lugares não me parece uma compensação justa para o clube. Eu não consideraria um exagero se o clube exigisse 90% da renda dos jogos.
(confiram aqui os porcentuais conseguidos por cada clube nas negociações com os novos estádios)

Exclusividade no uso de um dos quatro vestiários, lado fixo na arquibancada e loja do clube no estádio
Nesses aspectos, o acordo foi bom. Mas convenhamos, eram condições sine qua non, obrigatórias para começo de qualquer conversa. Para um clube se sentir dono de um estádio, esses são os requisitos primários. A entrada dos torcedores do Fluminense se dará pelo lado da rampa da Uerj, e os torcedores se posicionarão sempre à direita das cabines de rádio, nos clássicos.

Receitas de bares, restaurantes, estacionamento e placas de publicidade
Todas estas receitas serão 100% do consórcio, não cabendo ao Fluminense um único e escasso centavo. Não preciso dizer que, neste aspecto, o acordo foi muito ruim para o Fluminense. Estas receitas podem atingir patamares significativos, como acontece em diversos estádios do mundo. E o Fluminense não verá a cor desse dinheiro.

Despesas com o quadro de funcionários do estádio
As despesas serão todas custeadas pelo consórcio, isto é, o Fluminense não terá gastos para atuar no Maracanã. Bom para o clube, mas nada demais: antes da reforma, o Fluminense tinha despesas pequenas, de cerca de R$ 15 mil por jogo, uma parcela insignificante das receitas do clube.

Ajuda na construção do CT
O consórcio se comprometeu a financiar 50% da construção do CT do clube em Jacarepaguá, no terreno doado pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Uma boa ideia, mas cabe ressaltar que, em menos de um ano, as receitas do consórcio em jogos do Fluminense já serão maiores que o valor a ser gasto no CT (cerca de R$ 6 milhões).

Havia alternativa?
Não, o Fluminense não tinha outra opção viável: o Maracanã é o único estádio disponível no Rio de Janeiro para que o clube mande seus jogos. Mas vale lembrar que o consórcio também dependia do Fluminense, pois precisa assinar com pelo menos dois dos quatro principais clubes do Rio de Janeiro (e Botafogo e Vasco já têm, respectivamente, Engenhão e São Januário). Os dois lados da negociação tinham dependência um do outro.

Conclusão
O acordo claramente poderia ser melhor para o Fluminense, em diversos aspectos. Para variar, o clube demonstra fraqueza na mesa de negociações, assim como acontece com transferências de jogadores (vide a recente transferência de Wellington Nem) e direitos de transmissão (vide acordo com a Globo em condições inferiores às dos principais concorrentes).

Somente teremos uma noção melhor sobre se as bases do contrato do Fluminense foram boas ou ruins, quando o Flamengo assinar o seu acordo com o consórcio. (Antes que digam que a comparação não é cabível, uma informação: as médias de público e renda recentes de Flu e Fla no Maracanã são praticamente iguais; portanto, sim, os termos dos acordos devem ser similares.) Aguardemos...

PCFilho

27 comentários:

  1. Eu acho que foi um bom acordo, não foi nada de espetacular, mas foi bom.

    Os custos de manutenção deste estádio são bem maiores que o do antigo Maracanã, neste acordo temos mais vantagens do que tínhamos antes fora o que diz respeito a renda dos ingressos. Porém, vale lembrar que a renda dos jogos no Maraca sofria diversos descontos.

    Poderia ser melhor?! Poderia. Foi ruim? Evidente que não. Capaz do Flamengo assinar um contrato melhor?! Talvez.

    ResponderExcluir
  2. O Flamengo calado, com certeza vai assinar um contrato melhor! E nós vamos voltar aqui reclamando. Fazer o que?

    ResponderExcluir
  3. Vamos ver quais serão os termos do Flamengo. Tenho até medo...

    ResponderExcluir
  4. Concordo com o Leandro. Sem grande esforço, o Flamengo vai assinar um contrato muito melhor que o nosso. Vai usar o velho blablabla da massa rubro-negra (que compra várias camisas falsificadas; e que vai ao estádio tanto quanto a nossa).

    Apostaria grana alta nisso.

    Não dá pra esperar grande coisa de uma gestão tão amadora quanto a nossa. Qualificação de m****, gestão de m****. Natural.

    ResponderExcluir
  5. A pergunta que não quer calar é: caso o Flamengo venha a se tornar sócio no futuro (não se iludam. ele será), alguma vantagem extra que porventura eles consigam será estendida ao Fluminense?

    ResponderExcluir
  6. Fernando, provável que não.

    Porém, o consorcio não é obrigado a assinar com clube nenhum.

    Aliás, se tivesse esperado pelo Flamengo assinar, a gente poderia ficar pior ainda, já que ai seriamos jogados para baixo por conta disso já que usariam o bla bla bla de sempre e eles já teriam um clube jogando lá e gerando dinheiro para eles.

    No mundo ideal onde os clubes seriam unidos em pró do melhor para o esporte, dos dois clubes negociariam em conjunto buscando o melhor para dos dois e, com isso, conseguiriam acordos melhores que ambos vão conseguir individualmente.

    Mas vai explicar isso para os nossos dirigentes...

    ResponderExcluir
  7. Thiago Neves confirma a saída.

    E o grande trabalhador do Laranjal volta a se pronunciar:

    http://globoesporte.globo.com/
    futebol/times/fluminense/
    noticia/2013/07/com-t-neves-
    de-saida-caetano-descarta-repor
    -fora-de-cogitacao.html#equipe-fluminense

    Ainda estou à procura de respostas...

    Pra que serve Rodrigo Caetano?

    O que o Celsão fumou quando assinou um contrato pagando salário de Fred pra esse m****?

    Quantas vezes mais esse peso morto vai repetir que o Fluminense não contratará?

    Me contrata também, Celsão!

    ResponderExcluir
  8. O RC não seria bom jogador de FM.

    ResponderExcluir
  9. Uma correção, Big:

    O consórcio é obrigado, sim, a assinar com dois dos quatro grandes do Rio. Está no contrato da licitação.

    ResponderExcluir
  10. Acho que esse cara não conseguiria ser promovido nem no saudoso Elifoot.

    ResponderExcluir
  11. PC:

    http://www.doentesporfutebol.com.br/2013/07/04/licitacao-permite-maracana-sem-contrato-com-clubes/

    ResponderExcluir
  12. Big:

    Reli o edital e continuo achando que é obrigatório, sim, assinar com dois clubes.

    Esse texto aí do "Doentes por Futebol" não está nada claro. (me perdi no "juridiquês" já nas primeiras linhas)

    Além disso, não acredito que nenhum grande veículo da imprensa tenha notado essa "brecha"...

    ResponderExcluir
  13. Falando mais sobre as declarações do gênio.

    Por que esse papo de que o Fluminense não contrata porque está sem dinheiro? Por um acaso tínhamos dinheiro quando contratamos Thiago Neves, Fred, Deco, Cavalieri? Claro que não. Até porque quem contratou foi a Unimed. Por que o peso de papel não diz a verdade de que o Celsão está fechando a torneira?
    Ele acha que alguém ainda acha que os 3 e pouco que o Fluminense vai receber vão pagar alguma coisa da nossa dívida de 400mi?

    Big, a cláusula de que o site trata é impraticável a meu ver. O povo vai pra rua se os clubes não jogarem no Maraca. Não tem cláusula que resista a isso. Foi muito dinheiro público injetado naquilo.

    ResponderExcluir
  14. Também questiono a credibilidade da fonte.

    ResponderExcluir
  15. http://globotv.globo.com/rede-globo/copa-das-confederacoes/t/edicoes/v/consorcio-que-vai-administrar-maracana-ainda-nao-fechou-acordo-com-clubes/2670704/

    ResponderExcluir
  16. Nunca achei que fosse dizer isso, mas...se a Globo disse, é verdade. Só nesse caso, tá flamengada?

    Mas insisto: cláusula de execução inviável. O partido dos "trabalhadores" estará extinto se tentar aceitar uma possível decisão da empresa de não abrigar jogos dos clubes.

    É o que o Eric Faria disse no final da reportagem:o tempo passa e a saudade vai aumentando.

    Essa cláusula e nada é mesma coisa.

    ResponderExcluir
  17. Bom, desde "sempre" está claro que Fluminense e Flamengo vão jogar no Maracanã, né?

    Minha dúvida sempre foi só uma: se Botafogo e Vasco vão subir na canoa também.

    Se o Botafogo jogar mesmo no Maraca nos próximos 2 anos, periga nunca mais querer voltar pro Engenhão. rs!

    ResponderExcluir
  18. Foi simplesmente o pior acordo entre clubes e as novas arenas.

    Muito, muito pior do que os outros clubes conseguiram, um verdadeiro assalto.

    Aqui conseguimos 85%, Paulo!

    Fica a minha solidariedade ao irmão tricolor!

    ResponderExcluir
  19. PC,o Peter disse na entrevista que o CT é 'um assunto do Fluminense'.Essa informação sobre o CT é de fato,relacionada ao acerto de hoje??Recebi uma informação que dizia que o CT seria 1 prerrogativa da odebretch caso esta tivesse vencido a licitação do Maraca(coisa que,se não me engano,não aconteceu)...

    ResponderExcluir
  20. Rafael Kafka, e tem gente por aqui dizendo que é "o melhor contrato da história"... Triste...

    Rafael Rigaud, essa informação sobre a ajuda na construção do CT eu vi em uma matéria do Globoesporte.com. Se ela de fato procede, eu não sei...

    ResponderExcluir
  21. bom ver q ainda resta um minimo de sobriedade por aqui! eheheh

    Tambem achei o contrato bem ruinzinho, independente de eu ser Flamengo ou não...

    Uma duvida: fiquei com a impressao, tanto pelo o q li no seu blog, qdo pelo q li em outros veiculos, de q os 43mil lugares a q o Flu tem direito são SEMPRE esses atras dos gols, justamente os menos lucrativos... procede isso?

    ResponderExcluir
  22. LeoH,

    Sim, os 43 mil ingressos do Fluminense são sempre dos lugares atrás dos gols.

    A renda dos melhores ingressos, da área central do estádio, irá toda para o consórcio.

    ResponderExcluir
  23. Interessante que o Mengo-maníaco RMP escreveu na sua última coluna no Globo que estima esse acordo do Fluminense como pagando aproximadamente 30-35% da renda total ao Flu, que foi o mesmo número que o presidente do Flamengo disse ao comentar sobre o acordo oferecido ao Fla.

    Se eu fosse chutar, diria que alguma fonte do RMP dentro do Flamengo lhe disse que o q o Flu assinou é igual ao q foi oferecido (e recusado) pelo Fla, e daí ele tirou o número de 30-35% da renda total...

    Just saying...

    ResponderExcluir
  24. LeoH,

    Eu fiz minhas contas independentemente do RMP.

    Cheguei à conclusão de que o Fluminense terá cerca de 35% da renda dos jogos com público bom.

    O Fla assinou hoje por 50% de toda a renda do estádio. Ainda acho um valor baixo, mas comparando com o do Fluminense, parece negócio da China. Até porque foi só um "test drive" por 6 meses. Se for ruim, o Fla pula fora da canoa em janeiro. E é bem capaz de pular mesmo...

    ResponderExcluir
  25. Olá povo do Flu, peço licença para bedelhar.

    Pelo que li, o Flu tem direito a 43 mil ingressos e creio que raramente coloca mais

    de 43 mil tricolores em um jogo.

    Supondo que sua torcida compre ingressos para a área do Flu, o clube sempre

    receberá 100% de SUA renda e o consórcio ficará com a renda dos torcedores

    adversários e outras rendas.

    Resumindo, o Flu joga em casa (e tem renda) em 19 dos 38 jogos no Brão. Então é

    só simular o público tricolor médio, o valor médio do ingresso e calcular a renda

    total desses 19 jogos. Só a torcida do Flu conta.

    ResponderExcluir
  26. Vitor Saba,

    Há mais considerações a fazer do que isso.

    Pra começar, os 43 mil ingressos "do Flu" são os piores do estádio (atrás dos gols), o que significa que nem todos os pagantes escolherão assistir aos jogos nos lugares do Flu. Pelo contrário, muitos preferirão os setores centrais da arquibancada, mesmo que estes sejam mais caros.

    Então, mesmo que coloque 43 mil pessoas no estádio, o Flu não terá 100% da renda (a menos que TODOS os 43 mil ingressos tenham sido vendidos atrás dos gols, cenário improvável).

    E ainda há a questão de meias-entradas (para sócios, estudantes, correntistas do Itaú e sabe-se lá quantas outras categorias), gratuidades (que provavelmente serão colocadas atrás dos gols), e cessões para torcidas organizadas (que com certeza serão colocadas atrás dos gols).

    Já fiz algumas simulações. Nos cenários mais vantajosos para o Fluminense, em jogos de público médio (entre 20 e 50 mil), o clube obterá cerca de 50% da renda dos ingressos (em jogos cheios, 30 a 35%).

    Isto é, mesmo nos melhores cenários, o contrato do Fluminense é pior que o do Flamengo, que sempre terá 50% da renda dos ingressos e também 50% de todas as outras rendas do estádio (estacionamento, bares, placas de publicidade).

    Bom, estão dizendo que os termos podem ser renegociados... quem sabe. Do jeito que está, o contrato é uma esmola para o Fluminense.

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.