quinta-feira, 14 de abril de 2011

Sobre o acordo do Fluminense com a Globo


Conforme antecipei aqui há duas semanas, o Fluminense fechou contrato com a Rede Globo para a transmissão dos próximos Campeonatos Brasileiros. Atendendo a pedidos, esclareço alguns pontos do acordo.

Prazo
O contrato foi assinado por quatro temporadas (2012, 2013, 2014 e 2015), uma a mais que na minha previsão. (Aqui cabem duas críticas à diretoria: primeiro por celebrar um contrato que ultrapassa o período de sua gestão; segundo porque o contrato certamente estará com valores bastante defasados em 2015, dado o crescimento do mercado, estimado em 30% ao ano.)

Valores
O acordo foi, conforme previsto aqui, por R$ 47 milhões anuais: 32 pela TV Aberta e 15 pela TV Fechada. Destes 47, serão descontados 7 para um "fundo gestor", administrado por CBF e Globo. O Fluminense receberá um adicional pela venda dos pacotes de pay-per-view: se mantiver a proporção atual em relação aos demais clubes, serão aproximadamente R$ 9 milhões por ano.

Comparação com outros clubes
O Fluminense continua no mesmo patamar de antes: no terceiro grupo, ao lado de Botafogo, Grêmio, Internacional, Cruzeiro e Atlético Mineiro, recebendo exatamente os mesmos valores que estes clubes (exceto, claro, as diferenças nas vendas do pay-per-view). O que aumentou foi a diferença para os demais clubes grandes: Vasco, Santos, Palmeiras e São Paulo receberão R$ 70 milhões (sem considerar o adicional do pay-per-view); Corinthians e Flamengo receberão pelo menos R$ 90 milhões (sem considerar o adicional do pay-per-view).

O acordo foi bom para o Fluminense?
De fato, houve substancial aumento em relação aos valores atuais. Porém, é importante perceber que 1) este aumento veio para todos os clubes, e 2) aumentou muito a diferença para o que recebem Vasco, Santos, Palmeiras, São Paulo, Corinthians e Flamengo. Para efeito de comparação, os dois últimos receberão da televisão, todo ano, no mínimo R$ 43 milhões a mais que o Fluminense. Este montante é aproximadamente o que o Tricolor recebe da Unimed por ano. A competição torna-se bastante complicada quando os orçamentos diferem tanto...

Que cada um tire as suas próprias conclusões.

PC

9 comentários:

  1. Acho que o contrato devia prever um reajuste anual de acordo com alguma métrica.

    Enfim, acho que a cagada já estava feita quando largaram mão da licitação.

    ResponderExcluir
  2. Bola fora da Diretoria. Principalmente por fechar um contrato até 2015.

    ResponderExcluir
  3. Se fosse anual, até seria bom. Mas até 2015, creio que estará defasado.

    Saudações!!!

    ResponderExcluir
  4. A todos os que questionaram os números dos contratos:

    1) não posso revelar a(s) fonte(s). Os valores eu mesmo vi, no papel, de alguns clubes, inclusive o Fluminense.

    2) a informação antecipada de que o Fluminense assinaria com a Globo nos termos propostos veio de outra fonte.

    3) entendo a "desconfiança" quanto às minhas informações. Afinal, nem sou jornalista... Acredita quem quiser. Mas não tenho motivo nenhum para mentir, ao contrário de outros por aí. (Mesmo que tivesse motivo, não o faria.)

    ST!
    PC

    ResponderExcluir
  5. Saudações, PC!

    Outro dia, eu comentei com um amigo (flamenguista) a respeito do fim da intermediação do C13 sobre as negociações de direitos televisivos entre clubes e emissoras. Falei do mais importante, que era o aumento drástico nos valores repassados aos clubes mas, também, nas diferenças abissais entre os mesmos.
    Creia, ele não se mostrou otimista com o que poderia acontecer com o time dele. Ele alega que não se está dizendo nada sobre prestação de contas, e me deu a entender que, como os clubes não são clubes-empresa, essa fiscalização seria frouxa ou inexistente, e que, portanto, valores muito altos como os divulgados poderiam nunca chegar aos cofres dos clubes integralmente. Ele lembrou de exemplos "clássicos" como Kléber Leite e Edmundo Santos Silva.

    Resumo de tudo: parece que, a essa altura, resta torcermos para que os gestores dos clubes do "primeiro escalão" sejam um tanto quanto inescrupulosos para diminuir esse abismo a médio prazo. Que doido, não?

    Abraços e STs

    ResponderExcluir
  6. Hermê, de fato, na condição de torcedores dos clubes grandes que receberão menos, teremos que torcer por má gestão dos outros.

    Especialmente de Flamengo e Corinthians.

    (O Flamengo tá "começando bem": parece que vai torrar 40 milhões de reais para repatriar o Vagner Love.)

    Porém, mesmo com má gestão deles, reafirmo que a batalha é cruel. Eles ganharão, só na TV, mais do que uma Unimed de vantagem em relação a nós. É muito dinheiro, e acaba sempre fazendo diferença...

    ResponderExcluir
  7. Receio que o nosso campeonato se torne como os campeonatos europeus, onde 4 times (sempre os mesmos) disputam o campeonato todos os anos enquanto os 16 ou 12 restantes so fiquem fazendo numero, como meros coadjuvantes.

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.