segunda-feira, 19 de abril de 2021

História - Fluminense x River Plate


Fluminense e River Plate se enfrentaram duas vezes na fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2021, com uma vitória brasileira e um empate.

Dois gigantes do futebol sul-americano, Fluminense e River Plate já se enfrentaram 6 vezes ao longo da história, com duas vitórias do clube brasileiro, três empates e um triunfo do time argentino.

Confiram abaixo a lista de resultados do duelo:
23/02/1964 - River Plate 2 x 1 Fluminense - El Campín (Bogotá, Colômbia)
26/01/1972 - Fluminense 0 x 0 River Plate - Fonte Nova (Salvador)
03/02/1972 - Fluminense 2 x 0 River Plate - General Severiano (Rio de Janeiro)*
27/05/1981 - Fluminense 1 x 1 River Plate - Maracanã (Rio de Janeiro)
* O jogo de 03/02/1972 só foi disputado até os 32 minutos do segundo tempo, devido a uma briga generalizada em campo.

****

O primeiro duelo entre Flu e River se deu em 1964, em campo neutro, pelo Quadrangular Internacional de Bogotá, capital da Colômbia. O River Plate venceu por 2 a 1 e conquistou o título da competição amistosa.

23/02/1964 - River Plate 2 x 1 Fluminense - El Campín (Bogotá, Colômbia)
Motivo: Taça Cidade de Bogotá 1964.
Público: n/d.
Renda: n/d.
Árbitro: Mario Canessa (Colômbia).
River Plate: Hugo Gatti; José Manuel Ramos Delgado e Roque Mario Ditro; Carlos Alberto Sainz, Vladislao Cap e José Varacka; Ernesto Juárez, Esteban Pando, Ermindo Onega, Juan Carlos Sarnari e Juan Carlos Lallana. Técnico: Enrique Fernández Viola.
Fluminense: Márcio; Carlos Alberto Torres, Procópio, Dari e Altair; Oldair e Joaquinzinho; Sérgio, Ubiraci, Evaldo e Gilson Porto. Entraram Valdez, Nonô e Denilson. Técnico: Fleitas Solich.
Gols:
1-0: Juan Carlos Sarnari, aos 22 minutos do primeiro tempo;
2-0: Juan Carlos Sarnari, aos 32 minutos do primeiro tempo;
2-1: Joaquinzinho, aos 17 minutos do segundo tempo.
Observação: River Plate campeão da Taça Cidade de Bogotá.

****

O empate de 0 a 0 em 1972, na Fonte Nova, foi válido pela Taça Cidade de Salvador, torneio quadrangular disputado por Vitória, Fluminense, Grêmio e River Plate.

26/01/1972 - Fluminense 0 x 0 River Plate - Fonte Nova (Salvador)
Motivo: Taça Cidade de Salvador 1972.
Público: n/d.
Renda: n/d.
Árbitro: Anivaldo Magalhães.
Fluminense: Jorge Vitório; Oliveira, Silveira, Assis e Marco Antônio; Denilson e Marquinhos; Cafuringa, Jair Pereira (Ivair), Mickey e Lula. Técnico: Mário Travaglini.
River Plate: Carlos Barisio; Humberto Zuccarini (Jorge Omar Vázquez), Héctor Isaac Rodríguez, René Daulte e Osvaldo Pérez; Juan José López, Reinaldo Merlo (César Laraignée) e Norberto Alonso; Joaquín Pedro Martínez, Alfredo Granato e Jorge Ghiso. Técnico: Didi.

****

A vitória do Fluminense em 1972 foi em um jogo que, apesar de ser "amistoso", terminou com pancadaria. O Fluminense vencia por 2 a 0, graças aos gols de Silveira e Mickey. Aos 32 minutos do segundo tempo, após alguns dribles de Cafuringa, os argentinos se irritaram e o tempo fechou. Aconteceu uma briga generalizada, envolvendo jogadores e funcionários dos dois times, além de policiais e de torcedores do Fluminense. A confusão durou aproximadamente 10 minutos. O árbitro expulsou diversos atletas e decretou a vitória do Fluminense, já que não havia mais condições de retomar a partida.

Foto: Oliveira tenta revidar agressão de Jorge Ghiso.

03/02/1972 - Fluminense 2 x 0 River Plate - General Severiano (Rio de Janeiro)
Motivo: Amistoso Internacional.
Público: 1.529 pagantes.
Renda: Cr$ 12.428,50.
Árbitro: Valquir Pimentel.
Fluminense: Jorge Vitório; Oliveira, Silveira, Assis e Marco Antônio; Denilson (Sérgio Cosme) e Marquinhos; Cafuringa, Jeremias, Mickey e Jair Pereira. Técnico: Mário Travaglini.
River Plate: José Alberto Pérez; Jorge Omar Vázquez, Héctor Isaac Rodríguez, René Daulte e Raúl Giustozzi; César Laraignée, Juan José López e Norberto Alonso; Joaquín Pedro Martínez, Alfredo Granato e Jorge Ghiso. Técnico: Didi.
Gols:
1-0: Silveira, aos 33 minutos do primeiro tempo;
2-0: Mickey, aos 15 minutos do segundo tempo [assistência de Jair Pereira].
Cartões vermelhos: Jorge Vitório, Cafuringa, Mickey, René Daulte, Jorge Vázquez, Raúl Giustozzi, César Laraignée, Joaquín Pedro Martinez e Alfredo Granato.
Observação: o jogo só foi disputado até os 32 minutos do segundo tempo, devido a uma briga generalizada em campo.

****

O último duelo entre os dois gigantes antes de 2021 foi em 1981, quando o Fluminense recebeu o River Plate para um amistoso internacional no Maracanã. Embora os visitantes contassem com alguns destaques da seleção da Argentina, então detentora do título de campeã mundial, a partida atraiu somente 8.977 pagantes ao estádio. O jogo terminou empatado em 1 a 1, com ambos os gols saindo no primeiro tempo: o River Plate abriu o placar com Emilio Commisso aos 20 minutos, e o Fluminense empatou com Zezé aos 42. Na etapa complementar, Eduardo Abrahamian e Mário Marques trocaram agressões e foram expulsos.

Foto: lance de Fluminense x River Plate em 1981.

27/05/1981 - Fluminense 1 x 1 River Plate - Maracanã (Rio de Janeiro)
Motivo: Amistoso Internacional (Taça João Havelange).
Público: 8.977 pagantes.
Renda: Cr$ 2.404.400,00.
Árbitro: Arnaldo César Coelho.
Auxiliares: José Carlos Moura e Luís Antônio Barbosa.
Fluminense: Paulo Victor; Zezinho, Tadeu, Edinho e Valdir Carioca; Delei, Gilberto e Mário Marques; Robertinho, Gilcimar e Zezé. Técnico: Nelsinho.
River Plate: Ubaldo Fillol; Héctor López, Daniel Lonardi, Claudio Giúdice e Alberto Tarantini (Eduardo Abrahamian); Hugo Iervasi, Omar Labruna e Emilio Commisso; Pedro González (Pedro Vega), Ramón Díaz e René Houseman (José Vieta). Técnico: Ángel Amadeo Labruna.
Gols:
0-1: Emilio Commisso, de cabeça, aos 20 minutos do primeiro tempo [assistência de René Houseman];
1-1: Zezé, de cabeça, aos 42 do primeiro tempo [assistência de Robertinho].
Cartões amarelos: Alberto Tarantini e Claudio Giúdice.
Cartões vermelhos: Eduardo Abrahamian e Mário Marques.
Observação: com o empate, o Fluminense ficou com a Taça João Havelange.

PCFilho

8 comentários:

  1. UMA RADIOGRAFIA COMPLETA E RECHEADA DE INFORMAÇÕES PALPITANTES..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deu trabalho. Os jornais brasileiros erravam o nome de quase todos os jogadores do River Plate. 😂

      Excluir
  2. Fluminense tem muitos poucos confrontos contra os grandes arg.contra o boca ficou 42 anos sem enfrentar, de 56 a 2008.river agora depois de 40 anos volta a enfrentar...independiente ,racing e san lorenzo tb nao enfrenta ha decadas.

    ResponderExcluir
  3. 05 Jogos

    Fluminense - 01
    Empates - 03
    River Plate - ARG - 01

    GP - 05
    GC - 04

    último confronto:

    22/04/2021 - Fluminense 1 x 1 River Plate - Maracanã (Rio de Janeiro)

    ResponderExcluir
  4. SUPERIOR AO RIVER PLATE NESSE PRIMEIRO TEMP, ONDE, O BOM GOLEIRO MARCOS FELIPE, AFOITO E ANSIOSO, COMETERIA PENAL ABSOLUTAMENTE DESNECESSÁRIO E O 1 X 0 SE MANTERIA APESAR DO DOMÍNIO TRICOLOR A URGENTE, ACALMAR - SE COM RELAÇÃO AOS PASSES PRECIPITADOS E A PROCURAR ACERTAR O RUMO DO GOL NOS CHUTES E ARREMESSOS A QUE O BOM SENSO ACONSELHA MAIS PRÓXIMOS DA ÁREA PERIGOSA DESSE TIME MILONGUEIRO E QUE BATE DURO NAS CANELAS, TORNOZELOS E PERNAS SEM DISTINGUIR BEM O ALVO A MATAR AS JOGADAS ATÉ AQUI SEM SUA SENHORIA O CHILENO ALCANCE O CRIVO A PUNIR O DESTEMPERO PORTENHO. ALGUÉM, QUE, ARME O JÔGO É O QUE MAIS PRECISAMOS E SE JOHN KENNEDY ENTRAR A NÃO MUITO TARDE APONTE O CRONÔMETRO. A CONFERIR NO SEGUNDO TEMPO D'UMA PARTIDA DISPUTADA SEM HESITAÇÕES.... E NÃO GANHARÍAMOS POR CONTA DO ROGER RETRANQUEIRO E MEDROSO E DO JUIZ CHILENO UM TREMENDO VIGARISTA A DEIXAR DE MARCAR PENAL SÔBRE O LUCCA E QUE SOMENTE O MUQUIRANA DO COMENTARISTA DA FOX UM DECLARADO RUBRO - NEGRO DESAVERGONHADO, VITOR SÉRGIO RODRIGUES, CARA DE PAU, DECLARARIA SEU APOIO AO SOPRADOR DE APITO. MEXERA MAL O ROGER E RETIRARA O KAYKE E ASSIM COMO RETIRARA O LUIS HENRIQUE E NÃO FÔSSE O FRED LANÇAR NO CONTRA ATAQUE O CAZARES NA TRIVELA A DEIXAR O ARTILHEIRO ARRREMATAR NA TRAVE A EMPATAR UMA PARTIDA A HAVER MERECIDO GANHAR O FLU E CLARO COM O CAZARES NOVAMENTE NA BELA DEFESA DO ARQUEIRO ARGENTINO....QUE VENHA O SANTA FÉ E QUE ESSE ROGER NÃO TENHA TANTO MEDO DE GANHAR...

    ResponderExcluir
  5. 06 Jogos

    Fluminense - 02
    Empates - 03
    River Plate - ARG - 01

    GP - 08
    GC - 05

    último jogo:

    25/05/2021 - River Plate 1 x 3 Fluminense - Monumental de Nuñez (Buenos Aires)

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. INIMAGINÁVEL ADMITIR UM PRIMEIRO TEMPO EM QUE SALTARIA DA CADEIRA QUANDO O NENÊ BATERA A FALTA A TOCAR NA REDE, CONTUDO, FORA E VAMOS E VENHAMOS OS TRICOLORES A SOFREREM POR ANTECIPAÇÃO E, EM AGONIA, INCRÉDULOS, AINDA, QUE ,AGRACIADOS COM A VANTAGEM INEQUÍVOCA D'UM RIVER PLATE SEMPRE ALTIVO E, TODAVIA, CLARAMENTE ABATIDO SEUS CRAQUES AINDA POR SEQUELAS DESSE INIMIGO INVISÍVEEL E LETAL, A COVID 19. AOS 10'25" DOMINÁVAMOS E O NOSSO EXCELENTE GOL QUÍPER COMO DIRIA O ODUWALDO COZZI,, ESPERAVA POR EMOÇÕES FORTES. QUANDO O LATERAL CEARENSE ACHARA O FRED PELA DIREITA E ESTE CENTRARA NA MEDIDA AO CAIO PAULISTA A DESLOCAR O BOM GOLEIRO ARGENTINO E O FLU AFIRMAVA SUA MELHOR CONDIÇÃO TÉCNICA E TÁTICA, OLHEM, QUE, CITO - A, JÁ AGORA E QUASE NUNCA. É, E INDAGO - ME PORQUANTO O ROGER NÃO DESTRAVARA O TIME CONTRA AMBOS OS DOIS ÚLTIMOS ADVERSÁRIOS?....ASSIM DETERMINADOS E DISCIPLINADOS E NO ENTRETANTO E MAS COM A SORTE A QUE SÓ OS GRANDES GOLEIROS POSSUEM, APÓS, AQUELA TRAVE SALVADORA ARRANJARÍAMOS UM CONTRA ATAQUE, ONDE, O FRED APRESENTARIA TODO O SEU TALENTO E ARMARIA O NENÊ TÃO APEDREJADO ULTIMAMENTE E QUAL NÃO FÕRA SUA VIRTUOSE AO PEGAR NA VEIA E VER A PELOTA DESVIAR NO BEQUE E SÓ AS MALHAS O FARIAM SAIR A VIBRAR NA CONSECUÇÃO DE UM 2 X 0 A ALIVIAR - NOS E A TRANSFORMAR A AGONIA DO ANDEL NO MOMENTO SUBLIME DO QUE SE DESENHA NÃO APENAS COMO UMA PASSAGEM PARA O MATA - MATA COMO ADEMAIS UMA REDENÇÃO PARA O ROGER A TER SUA OPORTUNIDADE DE REVER UMA MONTANHA DE SANDICES E ASNEIRAS. VAMOS AO SEGUNDO TEMPO E A CONFERIR TODOS JUNTOS...FINALIZANDO O FLUMINENSE FAZ HISTÓRIA E NO 120º ANIVERSÁRIO DO RIVER PLATE SE IGUALA AO CRUZEIRO, QUE, BATERA TANTO O BÔCA NA BOMBONERA QUANTO O RIVER NO NUÑEZ E NÓS QUE ESPERÁVAMOS A ATENUAR AS CRÍTICAS AO ROGER DEVAMOS ESQUECER E ACENTU Á - LAS E BOMBARDEÁ - LO DESDE QUANDO COM UM HOMEM A MAIS DADA EXPULSÃO DO ZAGUEIRO MAIDANA RECUARA O TIME E TORNARA - NOS REFÉNS DO SOFRIMENTO E DA AGONIA A QUE JÁ SUPUNHA LIBERTO O ANDEL NOSSO MAIS DEVASTADO TRICOLOR, MAS, QUE, NÃO PERSEGUE O ANTÕNIO GRAMSCI O QUAL É PESSIMISTA NA TEORIA E OTIMISTA NA AÇÃO. ASSIM LEVARÍAMOS UM GOL A FALTAR 13' E ATÉ O CONTRAATAQUE NOS PÉS DO ABEL HERNANDEZ O QUAL BEM MAIS MAGRO JÁ REVELA SEJA MUITO ÚTIL E TOCARA AO YAGO QUE JÁ CHUTARA UMA NA TRAVE E DESTA FEITA DESLOCARA O ARQUEIRO ARGENTINO A SEPULTAR O RIVER PLATE E A NÓS ASSENTAR EM PRIMEIRO DO GRUPO NO MATA - MATA ONDE O ACASO É TOTALMENTE IRRESPONSÁVEL...AGORA COMEÇA A MARATONA DO BRASILEIRÃO E O SÃO PAULO, FREGUÊS, PRIMEIRA VÍTIMA...ATÉ AMANHÃ QUE EU VOU EM FRENTE E CAVALO NÃO DESÇA ESCADAS

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.