sábado, 9 de agosto de 2014

FIFA reconhecerá Palmeiras e Fluminense como campeões mundiais de clubes


Finalmente, a FIFA fará justiça e reconhecerá Palmeiras e Fluminense como os campeões mundiais de clubes, respectivamente de 1951 e 1952. Foi o que declarou Joseph Blatter, presidente da entidade, neste sábado 9.

"O Palmeiras, naquela época, foi o campeão do mundo de clubes. Naquela época, eles foram os campeões. Vamos dar um certificado para todos os campeões. Agora, temos um campeão a cada ano", afirmou Blatter, na Suíça, em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo".

De acordo com o jornal paulista, a declaração do presidente da FIFA chegou a deixar funcionários do departamento de comunicação da entidade irritados, mas ele insistiu: "Isso eu posso dizer".

O reconhecimento histórico da FIFA é resultado de uma pressão da diretoria do Palmeiras, que comemora seu centenário este ano, e já busca o reconhecimento da Copa Rio como Mundial Interclubes há vários anos.

O Palmeiras teve a seguinte campanha no título da Copa Rio de 1951:
Palmeiras 3 x 0 Olympique Nice-França (30/06, Copa Rio, Pacaembu)
Palmeiras 2 x 1 Estrela Vermelha-Iugoslávia (04/07, Copa Rio, Pacaembu)
Palmeiras 0 x 4 Juventus-Itália (08/07, Copa Rio, Pacaembu)
Palmeiras 2 x 1 Vasco (11/07, Copa Rio, Maracanã)
Palmeiras 0 x 0 Vasco (15/07, Copa Rio, Maracanã)
Palmeiras 1 x 0 Juventus-Itália (18/07, Decisão da Copa Rio, Maracanã)

O Fluminense teve a seguinte campanha na conquista da Copa Rio de 1952:

Este blog sempre considerou a Copa Rio como Mundial Interclubes, e sempre defendeu este reconhecimento. Há exatamente uma semana, publiquei um post celebrando o 62º aniversário da conquista do Fluminense.

PCFilho

29 comentários:

  1. Convenhamos, isso de campeão mundial, é basicamente o mesmo do Vasco dizer que é bi de libertadores. Não faz sentido.

    ResponderExcluir
  2. Por que não faz sentido, Wellerson?

    Em 1952, o Fluminense derrotou 5 adversários de altíssimo nível, campeões nacionais, incluindo o Peñarol base da Seleção Uruguaia campeã mundial de 1950 e o melhor Corinthians da história.

    Não só foi campeão mundial, como teve até mais mérito que os atuais campeões mundiais, que enfrentam só 2 adversários, sendo 1 fraquinho de doer...

    ResponderExcluir
  3. Matérias sobre o reconhecimento:

    No Estadão:
    http://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,palmeiras-foi-o-campeao-do-mundo-de-clubes-afirma-blatter,1541367

    No Globoesporte:
    http://globoesporte.globo.com/futebol/times/palmeiras/noticia/2014/08/presidente-da-fifa-reconhece-titulo-de-51-como-mundial-do-palmeiras.html

    No Netflu:
    http://netflu.com.br/palmeiras-pede-e-fifa-deve-reconhecer-mundial-flu-pode-se-beneficiar/

    ResponderExcluir
  4. Claro que faz sentido. Existem e existiam vários campeonatos que dão títulos internacionais. Libertadores, Copa Sulamericana, Recopa, Mundial Interclubes, Mundial Fifa e esse Mundial de 51 e 52. Qual o problema em aceitar que o Flu é, sim, o legítimo campeão MUNDIAL DE 52???

    ResponderExcluir
  5. Outro detalhe...a Fifa também não reconhece os títulos da Copa Intercontinental que foi até 2000 como títulos legitimamente mundiais....só a partir do título do Corínthians, desse mesmo ano, que começou a ser considerado. E no entanto, todos se acham Campeões Mundiais...inclusive a mulambada.

    ResponderExcluir
  6. A Globo como sempre não cita o Flu. Mas vai ter que falar sobre, mais cedo ou mais tarde...rsrs

    ResponderExcluir
  7. Só pq derrotou adversários de alto nível, significa que é mundial? Então o campeão do torneio Emirates que o Arsenal realiza todo ano também pode se considerar mundial? N gosto disso de inventar título. Copa Rio é Copa Rio, Mundial Interclubes Fifa é Mundial, e Intercontinental é intercontinental.

    ResponderExcluir
  8. Wellerson,

    O Campeonato Brasileiro só passou a ter esse nome em 1989. Você defende que os campeões brasileiros anteriores não sejam considerados, só porque o nome e a fórmula do Campeonato eram diferentes?

    ResponderExcluir
  9. Ainda tem o torneio octogonal rivadavia corrêa meyer - 1953 e o Quadrangular Internacional do Rio de Janeiro - 1954 para serem reconhecidos... já como os dois também são de mesma matriz da Copa Rio. Fora a Taça Paris e o Mundialito de Clubes. Enfim... A FIFA TERÁ MUITO TRABALHO !!! Porém tem que reconhecer estes títulos !!!

    ResponderExcluir
  10. Se até aquele torneio de verão, mundialito, de 2000 foi reconhecido, então, os de 1951 e 1952 tem que ser também, pois valem até mais.

    ResponderExcluir
  11. Jesse, Copa Rio só houve duas: 1951 e 1952. Os torneios subseqüentes obviamente tiveram critérios diferentes, que resultaram em nível técnico inferior. Basta olhar os participantes para perceber isso.

    ResponderExcluir
  12. Jesse Simmons, o "Quadrangular Internacional do Rio de Janeiro" sequer existiu. É um factoide plantado na wikipedia por um botafoguense doente mental.

    O Octogonal Rivadavia Corrêa Meyer contou com 5 clubes brasileiros e apenas 3 estrangeiros. Alguns times foram convidados sem critério técnico de seleção. Não duvido que a FIFA passe a considerá-lo mundial, mas será uma cagada ainda maior do que a da CBF ao considerar a Taça Brasil como Campeonato Brasileiro.

    Torneio de Paris, Teresa Herrera e Pequena Taça do Mundo de clubes são torneios amistosos sem o mais vago critério técnico de seleção. O reconhecimento desses torneios como campeonatos mundiais seria uma afronta à racionalidade.

    As Copas Rio não apenas contaram com alto nível técnico (carência notória dos atuais mundiais da FIFA), como tiveram critério técnico de seleção. Apenas campeões nacionais eram chamados.

    É uma questão de bom senso o reconhecimento. Assim como também o é o reconhecimento do Sul-Americano vencido pelo Vasco em 1949.

    ResponderExcluir
  13. Então, ano que vem seremos bicampeões mundiais!!!!

    ST

    ResponderExcluir
  14. Outro fato que demonstra a importância da Copa Rio é a extraordinária média de público, talvez a maior da história de um torneio de clubes no Brasil.

    A estreia do Fluminense, contra o Sporting Lisboa, teve 73.915 pessoas no Maracanã. A final de 1951, Palmeiras x Juventus, mesmo sem um time do Rio, levou 100.093 ao Maracanã. Além destes, pelo menos outros 5 jogos levaram multidões ao estádio.

    Quero ver se esses outros torneios tiveram esses públicos... ;)

    ResponderExcluir
  15. Concordo. Como alguém já disse aí em cima, o Campeonato Brasileiro só passou a ter esse nome em 1989. Mas o Fluminense foi reconhecido como campeão brasileiro de 1970. Assim, o Fluminense tem 5 campeonatos brasileiros: 1970, 1984, 1999, 2010 e 2012

    ResponderExcluir
  16. PC, (não sei se alguém já perguntou... não li os comentários anteriores) a FIFA reconheceu o Vasco também?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anderson,

      Você se refere a qual campeonato? Que eu saiba, a sinalização da FIFA se refere apenas às 2 Copas Rio (uma vencida pelo Palmeiras, outra pelo Fluminense), e às Copas Intercontinentais (que o Santos venceu em 1962 e 1963, o Flamengo em 1981, o Grêmio em 1983, o São Paulo em 1992 e 1993).

      Excluir
  17. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  18. O Sul-Americano do Vasco foi em 48, e não em 49, como eu havia dito. O Vasco foi reconhecido como primeiro clube campeão sul-americano pela CONMEBOL, que é a quem cabe essa atribuição.

    O 'cagueiaqui' escolheu o nick certo, afinal, só escreve m...

    ResponderExcluir
  19. Ué, PC, não teve a Copa Rio de 53 (que o Flu também participou)?
    Há ainda o Torneio Internacional de Paris, vencida em 57 pelo Vasco sobre o poderoso Real Madrid de Di Stefano.

    ResponderExcluir
  20. Não, Anderson. Como já escrevi acima, na resposta para o Jesse, Copa Rio só houve duas: 1951 e 1952. Os torneios subseqüentes obviamente tiveram critérios diferentes, que resultaram em nível técnico inferior. Basta olhar os participantes para perceber isso.

    A "Copa Rio de 1953" não foi Copa Rio, mudou de formato e até de nome (chamou-se Torneio Octogonal Rivadávia Corrêa Meyer). De olho nas polpudas rendas proporcionadas nas Copas Rio de 1951 e 1952, os clubes brasileiros pressionaram a CBD a mudar os critérios, e o torneio de 1953 foi outra coisa, com 5 brasileiros e apenas 3 clubes estrangeiros. Não houve critério técnico para a escolha dos participantes. O nível técnico e o interesse do público, naturalmente, diminuíram consideravelmente.

    O Anuário do Esporte, publicado em janeiro de 1953, escreveu o seguinte sobre a criação do Torneio Octogonal Rivadávia Correa Meyer: "Um detalhe que acabou marcando, de forma mais expressiva a II Copa Rio, é que ela foi a segunda e última. Em verdade, não se sabe bem porquê, cinco clubes do Rio e de S. Paulo reuniram-se e resolveram forçar a CBD a extinguir a Copa Rio. Deixaram a entidade máxima com um torneio internacional na mesma época, mas com outro nome e outro regulamento. Inclusive aumentando o número de concorrentes brasileiros, que agora serão quatro: dois do Rio e dois de S. Paulo. E essa fórmula nova deverá começar a vigorar agora, neste ano de 1953."

    De quatro ainda aumentaram para cinco os brasileiros: Botafogo, Fluminense, Vasco, Corinthians e São Paulo. A eles se juntaram Olimpia (Paraguai), Sporting Lisboa (Portugal) e Hibernian (Escócia). Não dá pra chamar de "Mundial", ou dá?

    Compare com os times da Copa Rio de 1952:
    - Fluminense (campeão carioca)
    - Peñarol (campeão uruguaio)
    - Sporting Lisboa (campeão português)
    - Grasshopper-Club (campeão suíço)
    - Corinthians (campeão paulista)
    - Austria Viena (campeão austríaco)
    - FC Saarbrücken (líder do Campeonato do Saar - uma das regiões da Alemanha pós-II Guerra)
    - Libertad (líder do Campeonato Paraguaio)

    Nem preciso dizer mais nada, né?

    ResponderExcluir
  21. Quanto ao Torneio de Paris, maravilhosa a conquista do Vasco sobre o Real Madrid de Di Stefano. Diria até espetacular. Mas daí a chamar de Mundial de Clubes? Qual é o critério de seleção dos times?

    E olha que considerar o Torneio de Paris como Mundial beneficiaria muito o nosso Fluminense, hein? Fomos campeões desse torneio em 1976 e 1987. Em 1976 vencemos "só" a Seleção Europeia na decisão, no famoso Parc des Princes. Mas não sou maluco de dizer que um mero torneio amistoso para clubes convidados seja içado à condição de "maior torneio interclubes do mundo". Porque, obviamente, não é.

    Minha lista de campeões mundiais eu já publiquei AQUI, ainda em 2009. Considero:
    - a Copa Rio (1951-1952);
    - a Copa Intercontinental (1960-1974, 1976-1977, 1979-2004);
    - o Mundial FIFA (2000, 2005-).

    E acredito que a FIFA reconhecerá exatamente estes, que são, para quem observar com a devida imparcialidade, os verdadeiros campeões mundiais da história.

    ResponderExcluir
  22. Um pouco de história:

    Antes da Copa Rio, já haviam ocorrido algumas tentativas de campeonatos internacionais de clubes. De 1927 a 1940, foi organizada na Europa a Copa Mitropa, entre clubes de Áustria, Hungria, Romênia, Iugoslávia, Suíça, Tchecoslováquia e Itália. Mas como só havia europeus, a tendência é considerar a competição apenas como uma antecessora da Liga dos Campeões da UEFA. A competição foi retomada após a II Guerra, mas sem o mesmo prestígio. Por aqui, em 1948 ocorreu o Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões, no Chile, vencido pelo Vasco. Na Europa, de 1949 a 1957, outra competição teve razoável atenção: a Copa Latina, envolvendo clubes de Itália, Espanha, França e Portugal.

    A primeira competição "transatlântica" de clubes foi a Copa Rio, em 1951. Com seu sucesso de crítica, público e renda, em 1952 aconteceram a II Copa Rio, e a Pequena Taça do Mundo, na Venezuela. Embora haja tentativas de se igualar o prestígio da Pequena Taça com o da Copa Rio, nada chegou perto de me convencer. Não havia aval da FIFA, nem critérios técnicos para a escolha dos participantes da Pequena Taça. Em 1952, jogaram Botafogo, La Salle (Venezuela), Millonarios (Colômbia) e Real Madrid (Espanha), sendo que apenas o Millonarios havia sido campeão em 1951. O Real Madrid foi o campeão da Pequena Taça, e o Millonarios venceu no ano seguinte.

    Repito o que escrevi em um comentário acima: um fato que demonstra a importância da Copa Rio é a extraordinária média de público, talvez a maior da história de um torneio de clubes no Brasil. Nenhum dos outros torneios citados chegou sequer perto de ter o sucesso da Copa Rio. E eu desafio quem quiser a vir aqui provar o contrário, seja da Pequena Taça do Mundo, seja do Torneio de Paris, seja do Torneio Octogonal Rivadávia Corrêa Meyer, seja da Teresa Herrera, seja da Copa Kirin, seja do torneio que for...

    Nem mesmo a decantada Copa Intercontinental - que defrontou o campeão da Libertadores e o campeão (nem sempre) da Liga dos Campeões da Europa entre 1960 e 2004 - gozava do mesmo prestígio que a Copa Rio. Tanto que, na década de 70, 7 dos 10 campeões europeus simplesmente não quiseram disputá-la...

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.