sábado, 30 de julho de 2016

História do Futebol nos Jogos Olímpicos

Selo do torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de Tóquio (1964).

O torneio olímpico de futebol foi, entre 1908 e 1928, a principal competição internacional de seleções. A partir de 1936, passou a ser disputado por seleções restritivas, compostas por atletas não-profissionais ou com restrição de idade. Segue abaixo uma breve história de cada uma das edições das Olimpíadas em que houve um torneio de futebol.

Jogos Olímpicos de 1900 (Paris)
Na segunda edição dos Jogos Olímpicos, em 1900, foi disputado o primeiro torneio de futebol, entre os dias 20 e 23 de outubro. Houve apenas dois jogos de exibição, sem distribuição de medalhas, disputados por um clube francês contra um clube inglês e uma universidade belga, no Vélodrome de Vincennes, na capital francesa. Durante muito tempo, como não foi disputado por seleções nacionais, o torneio não era considerado oficial. Porém, décadas depois, o Comitê Olímpico Internacional passou a creditar medalhas de ouro, prata e bronze para os países dos times envolvidos (Grã-Bretanha, França e Bélgica, respectivamente). No primeiro jogo, o Upton Park FC, da Grã-Bretanha, venceu a Union des Societés Françaises de Sports Athlétiques, da França, por 4 a 0. Na segunda partida, a USFSA venceu a Université de Bruxelles, da Bélgica, por 6 a 2.

Jogos Olímpicos de 1904 (Saint Louis)
Em 1904, novamente, o torneio de futebol olímpico foi disputado por três clubes. Desta vez, os participantes foram o Galt FC, do Canadá, o Christian Brothers College, dos Estados Unidos, e o St. Rose Parish, também dos Estados Unidos. O Galt FC garantiu a medalha de ouro com duas vitórias de goleada: 7 a 0 sobre o Christian Brothers College, e 4 a 0 sobre o St. Rose Parish. As duas equipes dos Estados Unidos então disputaram três partidas para definir as medalhas de prata e bronze: as duas primeiras terminaram empatadas em 0 a 0, e a terceira terminou com vitória do Christian Brothers College por 2 a 0. O COI credita uma medalha de ouro para o Canadá, e uma medalha de prata e uma de bronze para os Estados Unidos.

Jogos Olímpicos de 1908 (Londres)
Em 1908, pela primeira vez, aconteceu de fato um torneio de futebol disputado por seleções nacionais. Havia oito seleções inscritas, representando sete países (a França levou duas equipes). No entanto, as seleções da Hungria e da Boêmia desistiram antes do início do torneio. Nas quartas-de-final, a Dinamarca venceu a segunda seleção da França  por 9 a 0, e a Grã-Bretanha derrotou a Suécia por 12 a 1. Nas semifinais, a Grã-Bretanha derrotou a Holanda por 4 a 0, e a Dinamarca venceu a primeira seleção da França por incríveis 17 a 1. A derrota francesa foi tão chocante que a equipe desistiu de disputar a decisão do terceiro lugar, que foi jogada pelas seleções da Holanda e da Suécia, com vitória holandesa por 2 a 0. Na final, a seleção da Grã-Bretanha venceu a Dinamarca por 2 a 0, ganhando a medalha de ouro. Os jogos foram disputados no estádio White City, em Londres, e as medalhas de ouro, prata e bronze foram, respectivamente, para Grã-Bretanha, Dinamarca e Holanda. Uma curiosidade: um dos titulares da seleção da Dinamarca vice-campeã foi o brilhante matemático Harald Bohr, irmão de Niels Bohr, Prêmio Nobel de Física. Harald marcou dois gols na vitória de 9 a 0 sobre a França B. Será que há alguma outra família na história com uma medalha olímpica e um prêmio Nobel na estante?

Jogos Olímpicos de 1912 (Estocolmo)
Em 1912, o torneio olímpico de futebol atraiu 11 seleções nacionais. Na fase inicial, a Áustria venceu a Alemanha por 5 a 1, a Finlândia eliminou a Itália por 3 a 2 (na prorrogação), e a Holanda derrotou a anfitriã Suécia por 4 a 3 (também na prorrogação). Nas quartas-de-final, os placares foram: Grã-Bretanha 7 x 0 Hungria, Finlândia 2 x 1 Rússia, Dinamarca 7 x 0 Noruega e Holanda 3 x 1 Áustria. As seleções eliminadas nestas duas primeiras fases disputaram um torneio de consolação, que a Hungria venceu ao bater a Áustria na final por 3 a 0. Nas semifinais do torneio principal, a Grã-Bretanha venceu a Finlândia por 4 a 0, e a Dinamarca derrotou a Holanda por 4 a 1. Na decisão do terceiro lugar, a Holanda goleou a Finlândia por 9 a 0, no Estádio Rasunda; e na final a Grã-Bretanha venceu a Dinamarca por 4 a 2, no Estádio Olímpico de Estocolmo. As medalhas de ouro, prata e bronze foram, então, para Grã-Bretanha, Dinamarca e Holanda, respectivamente (o mesmíssimo resultado dos Jogos de 1908, curiosamente).

Jogos Olímpicos de 1920 (Antuérpia)
Em 1920, após a I Grande Guerra, os Jogos Olímpicos foram retomados, com sede na Antuérpia, na Bélgica. O torneio de futebol contou com 14 seleções participantes. 12 equipes estrearam na primeira fase, com os seguintes placares: Tchecoslováquia 7 x 0 Iugoslávia, Espanha 1 x 0 Dinamarca, Itália 2 x 1 Egito, Noruega 3 x 1 Grã-Bretanha, Holanda 3 x 0 Luxemburgo e Suécia 9 x 0 Grécia. Às seis vencedoras, juntaram-se a anfitriã Bélgica e a França, para a disputa das quartas-de-final, com os seguintes placares: Holanda 5 x 4 Suécia (4 x 4 no tempo normal, 1 x 0 na prorrogação), Tchecoslováquia 4 x 0 Noruega, França 3 x 1 Itália, e Bélgica 3 x 1 Espanha. Nas semifinais, a Tchecoslováquia venceu a França por 4 a 1, e a Bélgica venceu a Holanda por 3 a 0. Na decisão da medalha de ouro, entre Bélgica e Tchecoslováquia, aconteceu a maior polêmica da história do futebol olímpico. A anfitriã Bélgica vencia por 2 a 0 quando, aos 40 minutos do primeiro tempo, a equipe da Tchecoslováquia resolveu pedir o cancelamento da partida, alegando que os árbitros não estavam sendo imparciais, que houve uma invasão do campo, e que a sua bandeira nacional estava sendo insultada por soldados belgas. Como o pedido foi negado, a Tchecoslováquia abandonou o jogo e foi desclassificada do torneio. A medalha de ouro ficou com a Bélgica, e a medalha de prata foi decidida entre a Espanha (que, no torneio de consolação, venceu a Suécia por 2 a 1 e a Itália por 2 a 0) e a Holanda (que foi eliminada na semifinal pela campeã Bélgica). A Espanha venceu a Holanda por 3 a 1, ficando os espanhóis com a medalha de prata e os holandeses com a medalha de bronze.

Jogos Olímpicos de 1924 (Paris)
Em meio a discussões sobre a inclusão de atletas profissionais, o torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de 1924 teve ausências de seleções importantes, como Grã-Bretanha e Dinamarca. Ainda assim, foi o primeiro torneio internacional que envolveu equipes da Europa e da América, os dois continentes mais relevantes do esporte no século XX. A seleção do Uruguai começou em Paris o seu período de domínio do futebol mundial, conquistando a medalha de ouro com uma campanha espetacular: 7 a 0 sobre a Iugoslávia, 3 a 0 sobre os Estados Unidos, 5 a 1 sobre a anfitriã França, 2 a 1 sobre a Holanda, e 3 a 0 sobre a Suíça, que ficou com a medalha de prata. O bronze ficou com a Suécia, que venceu a Holanda por 3 a 1 no segundo jogo da decisão do terceiro lugar.

Jogos Olímpicos de 1928 (Amsterdã)
O Uruguai consolidou seu domínio do futebol mundial com mais uma medalha de ouro, nos Jogos Olímpicos de Amsterdã, em 1928. A campanha uruguaia começou com uma vitória sobre a anfitriã Holanda, por 2 a 0, e continuou com uma vitória sobre a Alemanha, por 4 a 1. Na semifinal, a Celeste Olímpica derrotou a Itália por 3 a 2, no confronto entre a seleção que dominava o esporte naqueles dias e o escrete que viria a dominar na década seguinte. Na decisão da medalha de bronze, a Itália goleou o Egito por 11 a 3. Na decisão da medalha de ouro, os rivais sul-americanos Uruguai e Argentina fariam o jogo mais esperado de todos, no Estádio Olímpico de Amsterdã, com uma imensa procura por ingressos (segundo a organização holandesa, houve mais de 250.000 pedidos por tickets, vindos de toda a Europa). No dia 10/06/1928, houve empate em 1 a 1 no tempo normal (gols de Pedro Petrone para o Uruguai e Manuel Ferreira para a Argentina) e 0 a 0 na prorrogação. No dia 13/06/1928, no jogo-desempate, Roberto Figueroa abriu o placar para o Uruguai, Luis Monti empatou para a Argentina, e Héctor Scarone marcou o gol do bicampeonato olímpico para o Uruguai. Dois anos depois, as duas seleções sul-americanas decidiriam a primeira Copa do Mundo, no Estádio Centenário, em Montevideo, com novo triunfo uruguaio (4 a 2).

Jogos Olímpicos de 1936 (Berlim)
Com o estabelecimento da Copa do Mundo, a partir de 1930, a FIFA não autorizou a realização do torneio olímpico nos Jogos de 1932, e a partir de 1936 as seleções olímpicas só poderiam relacionar seus melhores atletas se estes fossem amadores. O torneio olímpico de futebol passou a ser, portanto, uma competição de seleções restritivas. Em 1936, a Itália sagrou-se campeã, vencendo a Áustria na decisão (2 a 1, após prorrogação), com a Noruega ficando com a medalha de bronze. Os noruegueses eliminaram a anfitriã Alemanha nas quartas-de-final, diante de 55.000 pessoas no Poststadion, dentre elas a cúpula do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores (Adolf Hitler, Rudolf Hess, Hermann Göring e Joseph Goebbels). A Áustria chegou à medalha de prata de maneira controversa, pois na verdade perdeu sua partida das quartas-de-final, para o Peru, por 4 a 2, após estar vencendo por 2 a 0. Reclamando de uma invasão do campo, a Áustria solicitou e conseguiu a anulação do jogo, que foi remarcado para dois dias depois. Os peruanos se recusaram a voltar a campo, e foram desclassificados por isso. Em protesto contra a decisão da organização, as delegações completas do Peru e da Colômbia abandonaram os Jogos Olímpicos de 1936. Os peruanos lamentam até hoje, pois o país possui apenas quatro medalhas olímpicas em toda a história, e consideram que aquela seleção de futebol tinha ótimas chances de cruzar o Oceano Atlântico coberta de glórias.

Jogos Olímpicos de 1948 (Londres)
Após a II Guerra Mundial, as Olimpíadas voltaram a acontecer na capital da Inglaterra. O torneio de futebol contou com 18 seleções. A competição teve a incrível média de 5,67 gols por jogo (102 gols em 18 jogos). Na fase preliminar, a Holanda venceu a Irlanda por 3 a 1, e Luxemburgo derrotou o Afeganistão por 6 a 0. Nas oitavas-de-final, os placares foram: Dinamarca 3 x 1 Egito (após prorrogação), Iugoslávia 6 x 1 Luxemburgo, Grã-Bretanha 4 x 3 Holanda (após prorrogação), França 2 x 1 Índia, Turquia 4 x 0 China, Suécia 3 x 0 Áustria, Coreia do Sul 5 x 3 México, e Itália 9 x 0 Estados Unidos. Nas quartas-de-final, os resultados foram: Iugoslávia 3 x 1 Turquia, Suécia 12 x 0 Coreia do Sul, Grã-Bretanha 1 x 0 França, e Dinamarca 5 x 3 Itália. Nas semifinais, a Suécia venceu a Dinamarca por 4 a 2, e a Iugoslávia bateu a anfitriã Grã-Bretanha por 3 a 1. Na decisão da medalha de bronze, a Dinamarca venceu a Grã-Bretanha por 5 a 3, e na final a Suécia venceu a Iugoslávia por 3 a 1, para conquistar a medalha de ouro. As semifinais e as decisões das medalhas foram disputadas no Empire Stadium, hoje conhecido como Estádio de Wembley.

Jogos Olímpicos de 1952 (Helsinque)
O torneio de futebol olímpico em 1952 marcou a estreia do poderoso Escrete Húngaro em competições internacionais. Como outras seleções da Europa Oriental, a Hungria disputou a competição com seus melhores jogadores, que eram bancados pelo estado, e portanto eram oficialmente amadores, apesar de essencialmente profissionais. O Brasil, que participava pela primeira vez do torneio olímpico de futebol, por exemplo, não pôde escalar a Seleção principal, que havia sido vice-campeã da Copa do Mundo em 1950. O Escrete Húngaro, que estava invicto havia mais de dois anos, não deu chances aos concorrentes, e ganhou a medalha de ouro vencendo todos os adversários: 2 a 1 sobre a Romênia (que também tinha seu time principal), 3 a 0 sobre a Itália, 7 a 1 sobre a Turquia, 6 a 0 sobre a Suécia, e 2 a 0 sobre a Iugoslávia (que também tinha seu time principal) na decisão. A Suécia venceu a decisão da medalha de bronze contra a Alemanha, por 2 a 0, e tornou-se a primeira das três únicas seleções fora do "bloco oriental" a conquistar uma medalha nos 8 torneios entre 1952 e 1980. Comandada por Ferenc Puskás, Sándor Kocsis e Zoltán Czibor, aquela seleção da Hungria continuaria colecionando vitórias maiúsculas nos dois anos seguintes, permanecendo invicta até a decisão da Copa do Mundo de 1954, em que foi derrotada pela Alemanha Ocidental, no jogo conhecido como Milagre de Berna, uma das maiores zebras da história dos Mundiais.

Jogos Olímpicos de 1956 (Melbourne)
A organização do torneio olímpico de futebol em 1956 teve que lidar com diversas dificuldades, dentre as quais a pouca popularidade do futebol na Austrália, as desistências de algumas seleções, e a gritante diferença técnica entre as seleções profissionais (do bloco oriental da Europa) e as amadoras. Para esvaziar ainda mais a competição, a seleção da Hungria, que tentaria o bicampeonato e seria a grande atração do torneio, teve que desistir da disputa por questões políticas. Na fase preliminar, a União Soviética (uma das seleções profissionais) venceu por 2 a 1 a seleção da Alemanha Unida (com jogadores da Alemanha Ocidental e da Alemanha Oriental jogando juntos), a Grã-Bretanha atropelou a Tailândia por 9 a 0, e a anfitriã Austrália venceu o Japão por 2 a 0. Nas quartas-de-final, as três seleções profissionais, como era de se esperar, atropelaram as equipes amadoras: Iugoslávia 9 x 1 Estados Unidos, União Soviética 4 x 0 Indonésia e Bulgária 6 x 1 Grã-Bretanha. No outro jogo desta fase, a Índia bateu a anfitriã Austrália por 4 a 2. Nas semifinais, a Iugoslávia bateu a Índia por 4 a 1, e a União Soviética venceu a Bulgária por 2 a 1 na prorrogação, após empate em 0 a 0 no tempo normal. Na decisão da medalha de bronze, a Bulgária venceu a Índia por 3 a 0. Na final, a União Soviética venceu a Iugoslávia por 1 a 0, no único jogo do torneio que realmente atraiu a atenção do mundo (o público no Melbourne Cricket Ground foi de 86.716 pessoas). O goleiro da União Soviética nestes Jogos Olímpicos foi Lev Yashin, tido por muitos como o maior jogador da história da posição.

Jogos Olímpicos de 1960 (Roma)
16 seleções participaram do torneio olímpico de futebol em 1960, ano em que foi adotado o sistema de grupos de quatro equipes, que permanece até hoje. No Grupo A, a Iugoslávia eliminou Bulgária, República Árabe Unida (atual Egito) e Turquia. No Grupo B, a anfitriã Itália eliminou Brasil, Grã-Bretanha e China. No Grupo C, a Dinamarca eliminou Argentina, Polônia e Tunísia. No Grupo D, a Hungria eliminou França, Peru e Índia. Nas semifinais, a Dinamarca venceu a Hungria por 2 a 0, e Iugoslávia e Itália empataram em 1 a 1 na prorrogação, após 0 a 0 no tempo normal. A vaga na final foi decidida no cara-ou-coroa, com a sorte pendendo para os iugoslavos. Na decisão da medalha de bronze, a Hungria (que "perdera" seus principais jogadores devido à Revolução Húngara) venceu a Itália por 2 a 1. Na final, a Iugoslávia venceu a Dinamarca por 3 a 1, e conquistou a medalha de ouro. A vice-campeã Dinamarca foi uma das três únicas seleções fora do "bloco oriental" a conquistar uma medalha nos 8 torneios de futebol entre os Jogos Olímpicos de 1952 e 1980.

Jogos Olímpicos de 1964 (Tóquio)
No torneio pré-olímpico da América do Sul, aconteceu a maior tragédia da história do futebol, no dia 24/05/1964, durante a partida entre as seleções olímpicas de Peru e Argentina, no Estádio Nacional de Lima, que recebia 53.000 pessoas. Quando o Peru teve o gol de empate anulado, aos 39 minutos do segundo tempo, aconteceu uma grande invasão do gramado. Para prevenir que mais torcedores invadissem o gramado, a polícia lançou gás lacrimogêneo contra a multidão na arquibancada do lado norte, o que causou pânico generalizado e uma tentativa desesperada de fuga do estádio. Como as saídas estavam fechadas por imensas grades de ferro, a multidão se amontoou sobre elas, e o saldo foi trágico: 328 mortos, a maioria por asfixia e hemorragia interna, e mais de 500 feridos.

No torneio olímpico em si, não houve nenhuma surpresa, com seleções profissionais do "bloco oriental" conquistando as medalhas de ouro, prata e bronze (respectivamente, Hungria, Tchecoslováquia e Alemanha Oriental). A campanha da segunda medalha de ouro do futebol húngaro foi a seguinte: 6 a 0 contra Marrocos, 6 a 5 contra a Iugoslávia, 2 a 0 contra a Romênia, 6 a 0 contra a República Árabe Unida (atual Egito), e 2 a 1 contra a Tchecoslováquia. O grande craque da conquista foi Ferenc Bene, que marcou 12 gols nos 5 jogos da Hungria.

Jogos Olímpicos de 1968 (Cidade do México)
No torneio de futebol das Olimpíadas de 1968, a grande surpresa foi o Japão, que ficou em terceiro lugar, e tornou-se a primeira seleção asiática a conseguir uma medalha no futebol, e também uma das três únicas seleções fora do "bloco oriental" a conquistar uma medalha nos 8 torneios de futebol entre os Jogos Olímpicos de 1952 e 1980. A medalha de ouro ficou novamente com a Hungria, que venceu a Bulgária por 4 a 1, de virada, no Estádio Azteca. Com as 3 medalhas de ouro, conquistadas em 1952, 1964 e 1968, a Hungria é até hoje a maior campeã olímpica do futebol masculino.

O destaque negativo do evento foi a desistência da seleção de Marrocos, que se recusou a jogar após ser sorteada para o Grupo C, que também tinha Israel. A equipe marroquina foi substituída pela seleção de Gana.

Jogos Olímpicos de 1972 (Munique)
Mais uma vez se valendo do "pseudo-amadorismo", as seleções do "bloco oriental" dominaram o torneio olímpico de futebol. Na decisão da medalha de bronze, União Soviética e Alemanha Oriental empataram em 2 a 2, e como o empate permaneceu na prorrogação, as equipes dividiram a medalha de bronze. Na final, a Polônia impediu a quarta medalha de ouro da Hungria (a terceira consecutiva), vencendo por 2 a 1, de virada, e sagrando-se campeã olímpica pela primeira vez.

Jogos Olímpicos de 1976 (Montreal)
No Canadá, em 1976, o torneio olímpico de futebol começou mal, com as desistências das 3 seleções africanas. Um total de 25 países africanos boicotaram os Jogos Olímpicos de Montreal, em protesto contra a recusa do COI de banir a Nova Zelândia, cujo time de rugby excursionava na África do Sul, país este que estava banido das Olimpíadas desde 1964, devido à sua recusa de condenar o apartheid. No torneio em si, nenhuma surpresa: chegaram às semifinais o Brasil, que ficou em quarto lugar, e três seleções do "bloco oriental": Alemanha Oriental (ouro), Polônia (prata) e União Soviética (bronze). A Seleção Brasileira fez sua primeira boa campanha em um torneio olímpico de futebol, e contava com alguns nomes que viriam a se tornar jogadores de destaque nos anos seguintes: o goleiro Carlos, os defensores Edinho e Júnior, e os meias Marinho e Batista. A primeira medalha do futebol brasileiro escapou na derrota para a União Soviética, que era basicamente o time do Dinamo de Kiev reforçado, por 2 a 0, na decisão do bronze.

Jogos Olímpicos de 1980 (Moscou)
Devido ao boicote liderado pelos Estados Unidos, diversas seleções classificadas não participaram do torneio de futebol dos Jogos de Moscou, tendo sido substituídas por equipes de países que não participaram do boicote. Este foi o último torneio dominado pelas seleções do chamado "bloco oriental": a Tchecoslováquia conquistou a medalha de ouro, a Alemanha Oriental ficou com a prata, e a União Soviética levou o bronze.

Jogos Olímpicos de 1984 (Los Angeles)
O torneio olímpico de futebol de 1984 foi o primeiro no qual jogadores profissionais foram permitidos. Entre 1952 e 1980, a regra do amadorismo favoreceu fortemente as seleções dos países socialistas do Leste Europeu, o chamado "bloco oriental", cujos jogadores eram na verdade profissionais patrocinados pelo estado. Entretanto, de modo a preservar a Copa do Mundo como principal campeonato do futebol mundial, a FIFA determinou que a competição olímpica seria restrita a jogadores com no máximo cinco jogos por suas seleções principais (as idades dos atletas não importavam). Três seleções classificadas tiveram que ser substituídas, por causa do boicote liderado pela União Soviética.

No torneio em si, finalmente seleções tradicionais como França, Itália e Brasil fizeram boas campanhas, agora que podiam competir em igualdade de condições. Nas semifinais, a Seleção Brasileira derrotou a Itália por 2 a 1, após prorrogação, e a França venceu a Iugoslávia por 4 a 2, também após prorrogação. Na decisão da medalha de bronze, a Iugoslávia derrotou a Itália por 2 a 1, de virada. Na final, disputada no Rose Bowl, em Pasadena, diante de 101.799 pessoas, a França venceu o Brasil por 2 a 0, e ficou com a medalha de ouro. Aquela prata foi a primeira medalha olímpica da história da Seleção Brasileira - que foi representada, basicamente, pelo time do Internacional de Porto Alegre, reforçado com alguns atletas de outros clubes. Faziam parte do elenco nomes como Dunga, Gilmar Rinaldi e Mauro Galvão.

Jogos Olímpicos de 1988 (Seul)
Em 1988, o torneio olímpico de futebol teve um nível técnico muito alto, talvez o maior da história da competição, com seleções recheadas de jovens talentos que se tornariam nomes de destaque no futebol mundial nos anos seguintes, tais quais: Romário, Bebeto, Taffarel, Careca, Jorginho, Ricardo Gomes, Mazinho, Jürgen Klinsmann, Davor Suker, Dragan Stojković, Dmitri Kharine, Igor Dobrovolski, Luis Islas, Hernán Díaz, Ciro Ferrara, Alberigo Evani, Mauro Tassotti, Gianluca Pagliuca, Rashidi Yekini e Tab Ramos.

Nas quartas-de-final, a Alemanha Ocidental venceu a Zâmbia por 4 a 0, a União Soviética bateu a Austrália por 3 a 0, o Brasil eliminou a Argentina com uma vitória por 1 a 0, e a Itália derrotou a Suécia por 2 a 1 (após prorrogação). As semifinais foram duas partidas dramáticas: a União Soviética venceu a Itália por 3 a 2 (após prorrogação), e Brasil e Alemanha Ocidental empataram em 1 a 1, com a Seleção Brasileira se classificando na disputa de pênaltis, graças às defesas de Taffarel. Na decisão da medalha de bronze, a Alemanha Ocidental derrotou a Itália por 3 a 0. Na final, a União Soviética venceu o Brasil por 2 a 1, com o gol da medalha de ouro marcado na prorrogação. Este jogo foi a única derrota da Seleção Brasileira com a dupla Bebeto-Romário em campo. A prata foi a segunda medalha olímpica do futebol brasileiro - mas novamente o sonho do ouro foi adiado.

Jogos Olímpicos de 1992 (Barcelona)
O torneio olímpico de futebol de 1992 foi a primeira competição com restrição de idade: somente foram permitidos atletas com menos de 23 anos de idade. A anfitriã Espanha conquistou a medalha de ouro, a Polônia ficou com a prata, e Gana faturou a medalha de bronze. Na decisão do torneio, no Camp Nou, a seleção da casa venceu por 3 a 2, diante de 95.000 espectadores.

Jogos Olímpicos de 1996 (Atlanta)
Em 1996, foi adotada a regra que vigora até hoje nos torneios olímpicos de futebol masculino: as seleções devem ter jogadores até 23 anos de idade, mas há a permissão de utilização de até três jogadores acima dessa idade. Na fase semifinal, aconteceu um dos jogos mais emocionantes da história, com a seleção da Nigéria vencendo o Brasil por 4 a 3, na prorrogação, após estar perdendo por 3 a 1. Na outra partida da semifinal, a Argentina venceu Portugal por 2 a 0. Na decisão da medalha de bronze, o Brasil derrotou Portugal por 5 a 0. Na final, a Nigéria conquistou a medalha de ouro ao vencer a Argentina por 3 a 2, após estar perdendo por 1 a 0 e 2 a 1.

Pela primeira vez, houve o torneio de futebol feminino, sem restrições de idade. A medalha de ouro ficou com a seleção anfitriã (Estados Unidos), a prata com a China, e o bronze com a Noruega.

Jogos Olímpicos de 2000 (Sydney)
Nas Olimpíadas de 2000, em Sydney, o torneio de futebol masculino teve novamente uma seleção africana levando a medalha de ouro: desta vez, Camarões, liderada por Samuel Eto'o e Patrick M'Boma. A medalha de prata ficou com a Espanha de Xavi, e o bronze com o Chile de Iván Zamorano. A decisão, disputada no Estádio Olímpico de Sydney, teve 114.000 espectadores, o recorde da história dos Jogos Olímpicos. Após empate em 2 a 2 no tempo normal e 0 a 0 na prorrogação, a seleção camaronesa saiu campeã após vencer a disputa de pênaltis (5 a 3). A Seleção Brasileira foi eliminada por Camarões nas quartas-de-final (2 a 1, na prorrogação).

No torneio feminino, a Noruega sagrou-se campeã ao vencer a decisão contra os Estados Unidos, por 3 a 2, após prorrogação. A medalha de bronze ficou com a Alemanha, que venceu o Brasil por 2 a 0 na decisão do terceiro lugar.

Jogos Olímpicos de 2004 (Atenas)
A Argentina venceu o torneio de futebol masculino nas Olimpíadas de 2004, ao vencer o Paraguai na decisão por 1 a 0. Esta prata do futebol masculino é, até hoje, a única medalha da história do Paraguai nos Jogos Olímpicos, em qualquer esporte. A Itália ficou com o bronze após vencer o Iraque por 1 a 0 na decisão do terceiro lugar.

No torneio feminino, na decisão da medalha de bronze, a Alemanha venceu a Suécia por 1 a 0. E na final, os Estados Unidos venceram o Brasil por 2 a 1, na prorrogação. A prata foi a primeira medalha do Brasil no futebol feminino.

Jogos Olímpicos de 2008 (Pequim)
A Argentina conquistou o bicampeonato do futebol masculino nas Olimpíadas de 2008, ao derrotar a Nigéria por 1 a 0, na decisão que serviu como revanche da final do torneio dos Jogos de 1996. A Seleção Brasileira levou o bronze, ao vencer a Bélgica por 3 a 0 na decisão do terceiro lugar.

No torneio feminino, o resultado foi exatamente o mesmo dos Jogos de 2004: ouro para a seleção dos Estados Unidos, prata para o Brasil e bronze para a Alemanha. A vitória das norte-americanas na final contra as brasileiras aconteceu novamente na prorrogação, com o gol de Carli Lloyd.

Jogos Olímpicos de 2012 (Londres)
No torneio olímpico de futebol masculino de 2012, o México conquistou a medalha de ouro, ao derrotar o Brasil na final por 2 a 1, graças a dois gols de Oribe Peralta, no Estádio de Wembley. O bronze ficou com a Coreia do Sul, que derrotou o Japão por 2 a 0.

No torneio de futebol feminino, a seleção dos Estados Unidos conquistou sua terceira medalha de ouro consecutiva, ampliando seu domínio na história da modalidade (nas 5 competições entre 1996 e 2012, as norte-americanas conquistaram 4 medalhas de ouro e 1 de prata). A seleção do Japão ficou com a medalha de prata, e a do Canadá levou o bronze. O placar da final foi 2 a 1, com dois gols de Carli Lloyd, que já havia marcado o gol do título norte-americano em 2008.

Jogos Olímpicos de 2016 (Rio de Janeiro)
O torneio de futebol masculino nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro terá as seguintes 16 seleções: Brasil, África do Sul, Iraque, Dinamarca, Suécia, Colômbia, Nigéria, Japão, Fiji, Coreia do Sul, México, Alemanha, Honduras, Argélia, Portugal e Argentina. A decisão da medalha de ouro será disputada no Maracanã, no dia 20/08/2016.

O torneio feminino será disputado por 12 equipes: Brasil, China, Suécia, África do Sul, Alemanha, Austrália, Canadá, Zimbábue, Estados Unidos, Nova Zelândia, França e Colômbia. A decisão será disputada no Maracanã, no dia 19/08/2016.

Conseguirá o Brasil finalmente conquistar uma medalha de ouro no esporte mais popular do país?

PCFilho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.