terça-feira, 23 de março de 2010

Estrangeiros no Botafogo

Após publicar reportagens sobre os gringos que fizeram história no Fluminense e no Flamengo, chegou a vez da matéria sobre o Botafogo.

Nos primórdios, era comum ver vários britânicos atuando nas equipes do Rio de Janeiro. No Botafogo, não era diferente. Antes ainda de 1910, alinhavam pelo Botafogo o extrema escocês Millar, o defensor inglês Edgard Pullen, o atacante inglês Monk, e o goleiro inglês Coggin.

Em 1913, houve a chegada do atacante português Vieira. Em 1916, mais quatro ingleses jogaram pelo Botafogo: o médio Teague e os atacantes Clapshol, Edrupt e Mason. Em 1918, chegaram dois reforços da Argentina: o zagueiro Luis Monti e o atacante Eduardo Beheregaray. Em 1924, chegou Eustachio Ruiz, mais um atacante argentino.
Beheregaray.

Na década de 30, o ponta-esquerda curitibano (de forte origem polonesa) Rodolfo Barteczko, conhecido como Patesko, fez grande sucesso no Botafogo, tendo inclusive sido titular da Seleção Brasileira nas Copas do Mundo de 1934 e 1938.
Patesko

Ainda na década de 30, vieram do Uruguai o atacante Gutiérrez e o zagueiro Graham Bell. Além deles, chegaram o meia-direita alemão Engel e o atacante russo Chemp.
O uruguaio Graham Bell.

Também na década de 30, o Botafogo teve os três treinadores estrangeiros de sua história: o inglês Charles Williams e os húngaros Nicolas Ladanyi e Izidor Kürschner.

Na década de 40, mais alguns sul-americanos aportaram no Botafogo. Os primeiros foram o goleiro argentino Cileno Cuello, que não chegou a atuar, e o center-half argentino Carlos Santamaría, que fizera muito sucesso anteriormente no Fluminense.
Santamaría, antes tricolor, depois alvinegro.

Posteriormente vieram os atacantes argentinos Alfredo González e José Díaz, o ponta-esquerda uruguaio Franquito, o center-half argentino Hector Papetti, o zagueiro argentino Luiz Laidlaw, o atacante argentino Roque Valsecchi, o meia argentino Américo Alfredo Spinelli e o zagueiro paraguaio Carvallo.
O uruguaio Franquito, ponta-esquerda.

O argentino Spinelli com a camisa alvinegra.

Ainda na década de 40, o Botafogo reforçou suas fileiras com atletas europeus: o meia húngaro Pakosdi, o médio-esquerdo espanhol Cid, e o ponta-esquerda português Rogério Lantres.
O espanhol Cid.

Na década de 50, chegou a General Severiano o zagueiro argentino Oscar Alberto Américo Basso, ídolo do San Lorenzo de Almagro.

Também da Argentina, vieram nessa época o goleiro Juan Lugano, o meia-esquerda Elger Alarcón e o atacante Ruben Bravo. Do Paraguai veio o ponta-esquerda Cañete, e do Uruguai chegou o goleiro Pereyra Natero.
O argentino Alarcón, meia-esquerda.

Após um longo período sem contratar estrangeiros, na década de 70 0 Botafogo voltou a ter um gringo em suas fileiras: o atacante argentino Rodolfo José Fischer. Conhecido como El Lobo, Fischer era alto e cabeceava muito bem.
Fischer "El Lobo", artilheiro argentino.

Na década de 80, três uruguaios chegaram ao Botafogo: o goleiro Álvez e os atacantes De Lima e Varela.
O goleiro Álvez, com a camisa da Celeste Olímpica.

Na década de 90, o Botafogo contratou o zagueiro uruguaio Hugo de León, tricampeão da Libertadores da América (duas conquistas pelo Nacional-URU e uma pelo Grêmio). No alvinegro, sua passagem foi discreta.
Hugo de León e a Libertadores conquistada pelo Nacional-URU.

Ainda na década de 90, chegaram ao Botafogo mais três estrangeiros: o goleiro colombiano Niño, o atacante uruguaio Niki, e o zagueiro canadense Tony.
O zagueiro canadense Tony.

Nos últimos anos, o Botafogo tem trazido alguns atletas estrangeiros para integrar seus elencos. São os casos do meia peruano Ciurlizza, do atacante uruguaio Claudio Millar (falecido ano passado, em acidente no Rio Grande do Sul), do meia iugoslavo Vlad, do goleiro uruguaio Castillo, do zagueiro argentino Alexis Ferrero, e dos atacantes argentinos Raúl Estevez, Escalada e Zárate.

Atualmente, o Botafogo conta com dois gringos no elenco: o centroavante uruguaio El Loco Abreu e o atacante argentino Herrera.
El Loco Abreu é a esperança de gols para o Botafogo em 2010.

Herrera formou com Abreu o "ataque Mercosul" do Botafogo entre 2010 e 2012.

Em janeiro de 2011, o Botafogo anunciou a contratação do volante uruguaio Arévalo Rios, que jogou alguns meses pelo clube.

Em julho de 2012, o Botafogo anunciou a contratação do meia holandês Clarence Seedorf e do meia uruguaio Marcelo Nicolás Lodeiro:
Clarence Seedorf é o primeiro holandês a vestir a camisa do Botafogo.

Marcelo Nicolás Lodeiro assinou contrato por quatro temporadas.

PC

Fontes:
- quase todas as fotos vieram do acervo digital do amigo Bruno Lucena.

2 comentários:

  1. Sou argento-brasileiro, coisa rara, possuo as duas nacionalidades.
    Torcedor incondicional do glorioso Botafogo e, na Argentina, do San Lorenzo.
    Comento que o "Lobo" Fischer, também chegou do San Lorenzo, o que demonstra que há uma empatia entre o "Fogão" e o "Ciclón".

    ResponderExcluir
  2. parabéns pelo post. A lista é bem completa.
    Se desejar trocar links com meu site Bola Parada é só avisar.
    Abraço

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.