terça-feira, 13 de maio de 2014

História do pó-de-arroz completa 100 anos


Meu amigo Alexandre Berwanger acaba de me lembrar, por e-mail, que há exatos 100 anos, no dia 13 de maio de 1914, começava a história do pó-de-arroz.

Fluminense e America jogavam no campo do Tricolor, pelo Campeonato Carioca daquele ano. E o clima entre as torcidas não era lá muito amistoso. Afinal, alguns atletas haviam se transferido do America para o Fluminense, e os torcedores do clube tijucano naturalmente estavam chateados com a situação.

Um dos transferidos do America para o Fluminense foi o meia-atacante Carlos Alberto, um jogador mulato que jogaria pela primeira vez contra seu ex-clube. (Nota: percebam que - ainda em 1914, e até antes disso - o Fluminense já escalava atletas mulatos em seu time. O Vasco da Gama, famoso pelo suposto pioneirismo na escalação de mulatos e negros, só começou a jogar futebol no ano seguinte...)

Carlos Alberto.

Desde os tempos de America, Carlos Alberto passava um talco no rosto, provavelmente como um tipo de loção pós-barba, como explica Marcos Carneiro de Mendonça, amigo e companheiro de Carlos Alberto tanto no America quanto no Fluminense. A torcida tijucana, sabendo do costume do rapaz, passou a provocá-lo naquela tarde, gritando "pó-de-arroz".

Como costuma acontecer com as provocações das arquibancadas, o grito foi copiado pelas outras torcidas rivais, e o apelido de "pó-de-arroz" acabou passando de Carlos Alberto para o Fluminense como um todo.

Algum tempo depois, a inteligente torcida tricolor deixou de se irritar com o apelido pejorativo, e adotou o pó-de-arroz como um de seus símbolos. As espetaculares festas de pó-de-arroz no Maracanã são um show à parte, encantando tricolores e até mesmo os torcedores rivais.



Apesar das insistentes tentativas de associar o costume tricolor do pó-de-arroz a racismo (exemplo), nunca houve comprovação desta teoria. Trata-se de uma comparação sem cabimento, já que nem mesmo a suposta "origem racista" do termo tem fundamento real, e a celebração do pó-de-arroz sempre foi festejada por todos os tricolores - brancos, pretos, mulatos, índios, amarelos, laranjas, verdes e grenás - nada tendo de racista ou preconceituosa.

Time de aspirantes do Fluminense em 1910, com o negro Alfredo Guimarães.
O Tricolor era mesmo racista?

A festa do pó-de-arroz ainda não aconteceu no Novo Maracanã, mas já existem conversas a respeito. Provavelmente no segundo semestre, voltaremos a fazer o belo espetáculo. Quem sabe se para comemorar mais um Campeonato Brasileiro? :-)

PCFilho
(colaborações de Alexandre Magno Barreto Berwanger e João Claudio Boltshauser)

Um comentário:

  1. A dor de cotovelo, e a insistencia dos medíocres em fazer do Fluminense que nasceu aristocrático, um clube apenas elitista é somente para tentar desviar atenções das próprias mediocridades:-)

    É certo que o Flu tinha o glamour de Hollywood. A nata da sociedade se reunia em 2 locais:ou no Copacabana Palace ou no Fluminense, mas daí a dizer que o clube era racista vai uma distância infinita.

    Muitas vezes fui no Marca onde o saudoso Careca distribuía saquinhos de talco a todos na arquibancada, e quando o Flu entrava em campo, a gente ...não via:-)

    É dor de cotovelo, mais nada...

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.