quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Resenha: Tricolor 5 x 4 Grêmio


Amigos, acreditem: o roteiro da grande batalha entre Fluminense e Grêmio estava escrito, em cada mínimo detalhe, numa profecia de sessenta séculos. Até a fina chuva que desceu sobre o Engenho de Dentro foi prevista: era a água que cairia do céu para produzir cinco pérolas eternas.

O Grêmio fez 1 a 0, com Rafael Marques, mas o Fluminense logo empatou, com Fred completando um sinuoso cruzamento de Marquinho. O leve desvio de cabeça matou as chances do goleiro Victor. Era a primeira pérola tricolor.

No lance derradeiro da primeira etapa, o Grêmio voltou à frente, com Marquinhos cobrando falta. Estava o Fluminense novamente em desvantagem, mas não por muito tempo: logo Deco, o artista, entraria em ação. Seu lançamento para Fred é mais um lance para as antologias tricolores. Coube ao centroavante dominar e fuzilar a meta defendida por Victor. Era a segunda pérola tricolor.

Pouco depois, foi a vez de Carlinhos bagunçar a defesa gaúcha pelo flanco esquerdo. A bola sobrou para Rafael Sobis, que driblou, ajeitou, e repetiu o torpedo que já fez outras vítimas neste Campeonato Brasileiro: Victor capitulou, irremediavelmente. Era a terceira pérola tricolor.

Quando eram decorridos trinta do segundo tempo, o onze do Fluminense teve um minuto de cochilo, e foi o suficiente para o Grêmio empatar e virar para 4 a 3. Mas não tardaria para Carlinhos voltar a agir, sofrendo pênalti. Fred contra Victor, os olhares de todo o país voltados para a marca de cal, os próprios movimentos das placas tectônicas cessam. O centroavante não sente a pressão, e cobra rasteiro, no canto direito do arqueiro. Era a quarta pérola tricolor.

Restava pouco tempo. Deco, o artista, lança a bola parada para a área. Os zagueiros gremistas entram em pânico: parecem pressentir que aquela será a bola do jogo. Bate, rebate, Fred ajeita e chuta, quase de costas: Victor nem pula. Era a quinta pérola tricolor.

Pouco depois, vem a merecida ovação: Deco é substituído, e seu nome ecoa no cimento do Estádio Olímpico João Havelange. O camisa 20 tem sorte: pode ver sua arte ser reconhecida por seu povo.

Soa o apito final, e uma distante caverna é iluminada por um maravilhoso sorriso.

PC

12 comentários:

  1. Deus Abençoe o Atlético Mineiro, Figueirense e Palmeiras....

    ResponderExcluir
  2. Perdi a maior parte (temporal) do jogo. Mas perdi só 55% do que importa. Cheguei em casa, tava Flu 3 a 2.

    Aí o Grêmio fez 4 a 3, e só 2005 vinha a minha lembrança...

    Mas em poucos minutos esse time tratou de iluminar a noite.

    5 a 4 épico.

    ResponderExcluir
  3. Eu praticamente havia jogado a toalha no intervalo, achando que o gol no fim do primeiro tempo iria abater nosso 'onze' (to aprendendo, PC). Mas depois da primeira virada, mesmo nos 4x3 deles e faltando menos tempo ainda, passei a acreditar e viramos de novo! Seja campeão ou não, se tem um time que merece ser lembrado é esse nosso 'onze' (olha aí de novo, PC) pelo segundo turno que faz!

    ST

    ResponderExcluir
  4. O Vasco já tropeçou uma, faltam os dois tropeços do Corinthians e a taça começará a sorrir.

    --

    Vale lembrar a fraca atuação do juiz que inventou a falta do segundo gol do Grêmio e que inverteu várias faltinhas no meio campo, irritante.

    --

    O Abel anda meio doidão, ele ta com mania de botar um monte de atacante quando o time está perdendo e isso geralmente não dá em nada. Ontem mesmo o Flu não virou pq tinha um monte de atacantes, mas pq tinha Fred.

    --

    Falando em Fred, se ele faz o 5º ontem...

    ST

    ResponderExcluir
  5. Fabrício moraes maturana17 de novembro de 2011 13:28

    Jogo épico, inesquecível!
    Ainda dá fluzão!
    seremos campeões!

    ResponderExcluir
  6. Leandro, jogar a toalha quando se trata de Fluminense nunca é a opção mais sensata... :)

    ResponderExcluir
  7. É, Leandro. Nosso segundo turno tem sido notável mesmo. Se no ano que vem a diretoria conseguir repor à altura as possíveis perdas (He-Man, Sóbis, Lanzini) e contratar algumas peças de reposição, temos tudo pra fazer de 2012 um grande ano.

    ResponderExcluir
  8. É, PC, sempre estamos aprendendo. Não paramos nunca de aprender!

    Ontem, quase que o Ceará arranca um empate, Big. Foi por pouco!

    Ramón, não se esqueça da defesa. Precisaremos de um ou dois zagueiros!

    O goleiro está bom. Ontem o Cavalieri errou tudo o que podia errar, mas é um grande goleiro!

    A guerra em Floripa vai ser total. Independente do resultado de hoje, vamos para nova batalha! Assim que é bom!

    ST

    ResponderExcluir
  9. Desde já, o hino do Galo não me sai da cabeça.

    "Nós somos do Clube Atlético Mineiro.
    Jogamos com muita raça e amor...
    Vibramos com alegria nas vitórias
    Clube Atlético Mineiro,
    Galo forte vingador."

    Vamos pra cima, Fluzão!

    ST,
    PC

    ResponderExcluir
  10. Estou sentindo um cheiro de épico (ainda maior) no ar.....

    ResponderExcluir
  11. Engraçado como e porque o jogo não foi destacado que nem o Santos 4 Flamengo 5,pra ver realmente pra que lado a imprensa sempre vai e ainda fingem ser imparciais!imparciais é uma ova!
    Abraço
    Igor
    meu blog de esportes: http://igoresportes.blogspot.com/ e no twitter @blogdoigor05(pra quem quiser seguir o blog)!

    ResponderExcluir
  12. FLUMINENSE 5 X 4 GRÊMIO (RS)

    Motivo: Campeonato Brasileiro

    Local: Estádio do Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
    Data/hora: 16/11/2011 - 20h30 (Horário de Brasília)
    Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
    Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)
    Renda/Público: R$ 155.560,00 / 11.395 ( 8.904 pagantes )
    Cartões Amarelos: Matheus Carvalho (FLU), Fernando, Lúcio, Marquinhos, Rafael
    Marques (GRE)
    Cartões Vermelhos: Brandão (GRE)

    Gols: Rafael Marques - 16'/1ºT (0-1); Fred - 24'/1ºT (1-1), 7'/2ºT (2-2),
    33'/2ºT (4-4) e 36'/2ºT (5-4); Marquinhos - 45'/1ºT (1-2); Rafael Sobis 16'/2ºT
    (3-2); Brandão 29'/2ºT (3-3); Adilson 30'/2ºT (3-4).

    FFC: Diego Cavalieri; Mariano, Elivélton, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia,
    Diguinho, Marquinho (Matheus Carvalho, 34'/2ºT) e Deco (Souza, 40'/2ºT; Rafael
    Sobis (Rafael Moura, 34'/2ºT) e Fred. Técnico: Abel Braga.

    GFPA: Victor, Mário Fernandes, Gilberto Silva (Saimon, 21'/2ºT), Rafael Marques
    e Gabriel; Fernando, Adilson, Marquinhos (Leandro, 26'/2ºT), Douglas e Lúcio
    (Miralles, 45'/2ºT); Brandão. Técnico: Celso Roth.


    Com os quatro gols neste dia bastante chuvoso, Fred já fez 69 em 105
    jogos pelo Fluminense, 34 em 56 partidas em campeonatos brasileiros. Partida
    eletrizante, pelas viradas que pareciam pouco prováveis e, além dos nove gols,
    quatro bolas batidas nas traves, duas para cada time.

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.