terça-feira, 12 de outubro de 2010

Sobre o Campeonato Carioca de 1907


Amigos, aproveitando a semana do Clássico Vovô, escrevo essas linhas para, de uma vez por todas, esclarecer os fatos sobre o polêmico Campeonato Carioca de 1907, pleiteado por Fluminense e Botafogo.

O Campeonato Carioca de 1907 foi o segundo a ser disputado. Participaram o Fluminense Football Club (campeão de 1906), o Botafogo Football Club, o Paysandu Cricket Club, e a Associação Athletica Internacional.

Os jogos foram os seguintes:
05/05/1907 - Internacional 0 x 5 Fluminense - Laranjeiras (Rio de Janeiro)
26/05/1907 - Paysandu 1 x 0 Internacional - Laranjeiras (Rio de Janeiro)
02/06/1907 - Fluminense 3 x 0 Botafogo - Laranjeiras (Rio de Janeiro)
16/06/1907 - Botafogo 5 x 3 Paysandu - Laranjeiras (Rio de Janeiro)
23/06/1907 - Paysandu 1 x 3 Fluminense - Laranjeiras (Rio de Janeiro)
14/07/1907 - Internacional 0 x 2 Botafogo - Laranjeiras (Rio de Janeiro)
15/09/1907 - Paysandu 1 x 3 Botafogo - Laranjeiras (Rio de Janeiro)
22/09/1907 - Botafogo 4 x 2 Fluminense - Laranjeiras (Rio de Janeiro)
29/09/1907 - Botafogo W x O Internacional - Laranjeiras (Rio de Janeiro)*
06/10/1907 - Fluminense W x O Internacional - Laranjeiras (Rio de Janeiro)*
20/10/1907 - Internacional 2 x 1 Paysandu - Laranjeiras (Rio de Janeiro)
27/10/1907 - Fluminense 2 x 0 Paysandu - Laranjeiras (Rio de Janeiro)
* Após não comparecer ao jogo contra o Botafogo, a Internacional foi suspensa do jogo seguinte pela Liga Metropolitana de Sports Athleticos (LMSA). Assim, o Fluminense também venceu a Internacional por WO. Para efeito de classificação no Campeonato, foi considerado aqui o placar de 1 a 0 contra a Internacional, nos dois jogos.

Assim ficou a classificação final do Campeonato:
1) Fluminense, 10 PG, 5 V, 0 E, 1 D, 16 GP, 5 GC, +11 SG, 3,2 GA.
2) Botafogo, 10 PG, 5 V, 0 E, 1 D, 15 GP, 9 GC, + 6 SG, 1,67 GA.
3) Paysandu, 2 PG, 1 V, 0 E, 5 D, 7 GP, 15 GC, -8 SG, 0,47 GA.
4) Internacional, 2 PG, 1 V, 0 E, 5 D, 2 GP, 11 GC, -9 SG, 0,18 GA.
Legenda:
PG = pontos ganhos;
V = vitórias;
E = empates;
D = derrotas;
GP = gols-pró;
GC = gols-contra;
SG = saldo de gols;
GA = goal average (média de gols).

Após o último jogo, o Fluminense declarou-se campeão, com base na ata da resolução da LMSA, de 1º de maio de 1907, a qual transcrevo abaixo, ipsis litteris:
"Fica resolvido que na presente estação, quando se der empate no final dos campeonatos, em vez de ser jogado o desempate, tira-se a média dos goals entre os empatados, sendo declarado campeão o que melhor média apresentar."

O Botafogo não concordou, e propôs um jogo-desempate, que não estava previsto no regulamento. Obviamente, o Fluminense não aceitou a "solução alvinegra", pois já havia conquistado o título com todos os méritos. Vejamos: o Tricolor teve o melhor ataque e a melhor defesa do certame; e além disso foi melhor também na soma dos confrontos diretos contra o Botafogo (5 gols a 4).

Em 28 de outubro, um dia após o último jogo, foi realizada uma Assembléia Extraordinária, na qual a diretoria da LMSA - obviamente - declarou o Fluminense Campeão Carioca de 1907, pelo critério de desempate do goal average (média de gols). O Botafogo, descontente com a situação, protestou, e o tumulto resultante deu fim à reunião.

O impasse foi tamanho que a Liga acabou dissolvida. Em 29 de fevereiro de 1908, Fluminense, Botafogo, América, Paysandu, Rio Cricket e Riachuelo fundaram a nova Liga, com o mesmo nome (LMSA). No Campeonato de 1908, o Fluminense confirmou sua hegemonia no Rio de Janeiro, conquistando o certame novamente, desta feita de forma invicta. Em 1909, o Tricolor seria novamente campeão carioca invicto, conquistando o que é, até hoje, o único tetracampeonato da história do Rio de Janeiro.

Décadas mais tarde, em 1949, o grande compositor Lamartine Babo criou, em um só dia, os hinos populares que até hoje embalam as grandes torcidas cariocas. O primeiro verso da canção do Botafogo diz assim: "Botafogo, Botafogo, campeão desde 1910". Os hinos caíram imediatamente no gosto do povo carioca, incluídos aí os botafoguenses. Parece que Lamartine Babo e o povo carioca sabiam qual foi, de fato e de direito, o legítimo campeão carioca de 1907.

Em 1996, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, dirigida por Eduardo Augusto Viana da Silva, vulgo Caixa D'Água, público e notório desafeto do Fluminense, decidiu dividir o título de 1907 entre Fluminense e Botafogo. Aqui vai uma opinião pessoal: futebol se decide dentro das quatro linhas. Para mim, uma canetada num documento noventa anos depois não muda - jamais mudará - o resultado de um Campeonato.

Dedico esta postagem aos onze homens que conquistaram, em campo, o segundo Campeonato Carioca. São os integrantes da foto acima, tirada em 27 de outubro de 1907 (o dia da conquista). Na primeira fila: Victor Etchegaray, Anderson Williams Waterman (goleiro) e Walter Salmond. Na segunda: João Leal, Alberto Borgerth e Edgard Gulden. Na terceira: Alex Martins, Hermano Simonsen, Edwin Horácio Cox, Emile Etchegaray e Félix Frias. Além deles, também foram campeões Oswaldo Gomes, Albert Victor Buchan, Octávio Simonsen e E. Reidy.

PC
(este post contém colaborações de Alexandre Magno Barreto Berwanger, Carlos Santoro, Luizinho [Flumemória], FFERJ, RSSSF e Flumania)

55 comentários:

  1. O Fluminense teve vantagem em gols porque determinou fora de campo ao Internacional que não comparecesse no último jogo dos 1ºs quadros contra o Botafogo, apesar de ter comparecido para o jogo com os 2ºs quadros.

    Foi a 1ª grande deslealdade do futebol brasileiro, ao qual os valorosos botafoguenses responderam desafinado os fluminenses a mostrarem em campo o que valiam. Os homens de bigode tiveram medo dos rapazes que, anos mais tarde, Mário Filho apelidou de Grandes de Hespanha.

    Botafogo, campeão de 1907!

    Abraços Gloriosos!

    ResponderExcluir
  2. Prezado Rui,

    O Fluminense teve vantagem em gols porque marcou mais gols e sofreu menos gols que o Botafogo. Simples assim.

    Ambos, Fluminense e Botafogo, ganharam um dos jogos da Internacional por WO. Não houve nenhum favorecimento ao Fluminense. Ambos tiveram cinco jogos disputados, e um jogo vencido por WO.

    ResponderExcluir
  3. O regulamento é claríssimo.
    O Flu é o campeão absoluto de 1907.
    Tremenda arbitrariedade a FERJ rasgar o regulamento com essa divisão do título.

    Fluzão, tetra único do Rio!

    ResponderExcluir
  4. Texto muitíssimo mal-elaborado, e tendencioso, a favor do Fluminense. Mas natural, já vi textos igualmente mal-intencionados e tendenciosos a favor do Botafogo... é o clubismo...

    Explica-se:

    - O regulamento da liga era claro, e mal-feitíssimo. Constam nos estatutos da Liga Metropolitana de Sports Athleticos de 1907, no Arquivo Nacional. Afirmavam que o campeão será o clube com o menor número de pontos perdidos. Ponto final. Isso consta em livros como "Footballmania: Uma História Social do Futebol no Rio de Janeiro", de Leonardo Affonso De Miranda Pereira; e "Memória social dos esportes: futebol e política - a construção de uma identidade nacional", de Francisco Carlos Teixeira Silva, Ricardo Pinto dos Santos e Gilberto Agostino (disponível para leitura gratuita no Google Books). Coincidentemente, livros sem a menor veia clubística, logo, se prestaram a pesquisar a verdade, sem apoiar A ou B.

    - No dia 1º de maio, em reunião da LMSA, a apenas quatro dias do início do campeonato, tentaram passar uma resolução - um acordo - de proclamar o clube com melhor goal-average como campeão. ATENÇÃO: essa resolução não era uma mudança nos regulamentos - nem poderia ser - foi apenas uma tentativa de fixar um acordo pré-estabelecido entre os clubes em caso de empate na primeira colocação. Fluminense, Paysandu e Internacional votaram a favor. Botafogo e Riachuelo contra. Os que votaram a favor entenderam que por "serem a maioria" a resolução teria que valer, e ponto. Os que votaram contra entenderam que uma tentativa de interferir no regulamento só poderia ser aprovada por unanimidade, ou só valeria entre aqueles que concordavam com a mesma. E essa resolução monstrenga ficou assim, mal-acabada, ajudando a atrapalhar ainda mais o campeonato.

    Tanto foi uma resolução mal-acabada e sem valor que a LMSA não proclamou nenhum campeão em 1907 - a prova maior de que a mesma não tinha a menor validade.

    Vale lembrar que em 1906, na segunda divisão, algo semelhante ocorreu: América e Riachuelo terminaram em primeiro lugar. Porém, foram civilizados, e entraram em um acordo pela decisão do título - o jogo-extra (olha o precedente aberto). O tipo de desempate usado em todos os campeonatos do Rio de Janeiro (e do Brasil) a partir de 1908 e até fins dos anos 60...

    Evocar essa "resolução" declarada depois como sem validade como regulamento é uma sem-vergonhice sem tamanho, repetida à exaustão em blogs tricolores pela internet na tentativa de se proclamar campeão único de um campeonato já dividido... Uma aula de como transformar mentira em verdade...

    Vão ao Arquivo Nacional, procurem pelos estatutos da LMSA de 1907, façam esse favor à verdade. Aos que gostam de transcrever notícias de jornal, façam outro favor: transcrevam todas, para favorecer o quadro maior. É muito fácil pegar um colunista que diga que ele "acha" que o campeão moral é o Fluminense e esconder outro que fala que o campeão moral é o Botafogo... É fácil transcrever a resolução sem transcrever as notícias que dizem que ela não tem validade... E por aí vai...

    ResponderExcluir
  5. Outro comentário importante: o passo a passo das decisões da justiça acerca do caso.

    1) O Fluminense enviou ofício "pedindo" à FFERJ que fosse proclamado campeão de 1907, isso em 1988 (se não me falha a memória). A FFERJ atendeu ao pedido, e proclamou o Flu campeão de 1907. Isso no escuro, por baixo dos panos.

    2) O Botafogo descobriu, e entrou na justiça. Finalmente foi feito um trabalho elaborado sobre o caso, com cada clube apresentando as suas provas... A justiça determinou que... adivinhem? A resolução capenga evocada pelo Flu não valia nada, pois não era regulamento, e que o regulamento era aquele que não especificava nenhum critério de desempate.

    3) Definido o verdadeiro regulamento, como proceder? Bem, a justiça decidiu que a única forma de só haver UM campeão era essa: o Fluminense COMPROVADAMENTE abandonou a Liga Metropolitana antes que a mesma tomasse uma decisão sobre o caso... Logo, ao abandonar a liga, teria aberto mão de qualquer reinvidicação. Logo, o Flu desistiu do título. logo, o único campeão fora o Botafogo. Assim sendo, o Botafogo foi proclamado o campeão único.

    4) O Fluminense entrou com recurso: vendo que não mais conseguiria ser o único campeão, mudou a tática pela divisão de título. O argumento era bem consistente: se o regulamento dizia que quem fizesse mais pontos seria o campeão, e ambos foram os que fizeram mais pontos... e se o desempate não ocorreu, os dois devem ser os campeões.

    5) Sucessivamente, com recurso sobre recurso, foram proclamados os dois campeões, depois o Botafogo sozinho, e novamente (e derradeiramente) os dois campeões, de forma definitiva. Fim da história.

    ResponderExcluir
  6. Auriel,

    Quem está sendo "tendencioso" e "clubista" aqui é você. Eu cito, ipsis litteris, uma resolução da Federação, datada de antes do começo do Campeonato, estabelecendo o critério de desempate. (corrigindo assim o "claro e mal-feitíssimo" regulamento, para usar suas próprias palavras) Isto deixa as coisas muito claras, e não há argumentação que consiga se sobrepor aos fatos.

    Na Taça Colombo, que o Fluminense conquistou definitivamente em 1919, estão gravados os anos das oito conquistas tricolores (1906, 1907, 1908, 1909, 1911, 1917, 1918 e 1919). Ela está disponível na sede do Fluminense, para observação. Pode ir lá verificar.

    No acervo do Flumemória, várias notícias de jornais, de várias épocas, sempre listam o título de 1907 como do Fluminense.

    O próprio Botafogo sempre ignorou essa conquista - o próprio hino de Lamartine Babo, composto na década de 40 e adotado amplamente pela própria torcida alvinegra - diz que o clube é campeão desde 1910.

    Sobre o seu "passo a passo das decisões da justiça", prove o que está dizendo. Não tenho por quê levar a sério o que você escreveu.

    É isso: apresente provas, fatos novos, como eu fiz no post, citando a resolução que determinou a forma de desempate.

    Uma sugestão: o Botafogo não precisa inventar títulos para ser grande. O Botafogo é um dos pioneiros do futebol brasileiro, é um dos maiores colaboradores da Seleção ao longo dos anos, é um rival à altura dos outros grandes do futebol brasileiro. ;)

    Abraços,
    PC

    ResponderExcluir
  7. PS: se acha que sou "mal-intencionado" com relação ao Botafogo, sugiro que leia no blog meus textos sobre o título carioca de 2010, elogiados por vários alvinegros. Ao contrário de você mesmo, eu respeito a história do Glorioso Botafogo...

    ResponderExcluir
  8. Pelo que entendi foi feita uma tentativa de melhorar o mal feito regulamento ANTES do início do mesmo, e não houve unanimidade para adoção da solução proposta.
    Gostaria de saber se o Botafogo registrou formalmente o seu entendimento da não validade da resolução proposta ANTES do início do campeonato, ou se esta questão foi levantada apenas após a disputa de todos os jogos.

    ResponderExcluir
  9. Frederico, isso mesmo: a ata que corrige o regulamento foi publicada 4 dias antes do início do Campeonato.

    Se existe algum protesto formal do Botafogo antes do início do Campeonato, eu o desconheço completamente, nunca o vi.

    Será que os botafoguenses encontram tal documento?

    ResponderExcluir
  10. O Botafogo não ter assinado tal acordo é um protesto formal.

    ResponderExcluir
  11. Não é, não, anônimo.

    A ata da resolução da LMSA mostrada no post tem data anterior ao início do Campeonato. Qualquer clube que fosse contrário à resolução, ou não disputaria o Campeonato, ou deixaria claro que não concordava com ela.

    Quem cala consente.

    ResponderExcluir
  12. O Botafogo só passou a reclamar depois que viu que perderia o Campeonato no critério de desempate.

    Aí é difícil de levar a sério, né?

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Prezado PC,
    É curioso como a paixão clubística não permite o torcedor observar alguns fatos:
    No dia 29/09, o Internacional compareceu ao jogo com o Botafogo com apenas 5 jogadores (Wilkes, C. Riether, Mitchell, C. Waymar e C. Mutzenbecher), o que lhe valeu o W.O. Em consequência, ele (Internacional) foi suspenso e não houve o jogo com o Fluminense em 06/10.
    Assim, pela LMSA o título seria decidido no saldo de gols, já que a pontuação de Flu e Bota era idêntica.
    Argumenta-se, para justificar o direito do Botafogo ao título, que se ele tivesse jogado contra o Internacional teria tido a chance de aumentar seu saldo de gols. Ora, e o Fluminense? Se ele tivesse jogado contra o Internacional também não teria feito saldo? Os botafoguenses teriam que tirar os 5 gols de desvantagem e mais os que provavelmente o Fluminense marcaria, já que eles alegam que o Internacional era "galinha morta".
    Abraço,
    Giuseppe

    ResponderExcluir
  15. Caro Giuseppe,

    Excelente comentário.

    É isso mesmo. Essa argumentação de que o Botafogo poderia utilizar o jogo contra a Internacional para "tirar a diferença" para o Fluminense é tão "desonesta" que ignora o fato de que o Fluminense também poderia golear a "galinha morta" - até porque o Tricolor saberia de quantos gols precisaria, pois o seu jogo aconteceria depois de Botafogo x Internacional.

    Abraço,
    PC

    ResponderExcluir
  16. Caro PCFilho,

    Me enviaram este link (novamente), eu não tinha acompanhado sua resposta.

    Como eu afirmei (e você não quer acreditar), a resolução de primeiro de maio não teve validade. Motivo: não foi aprovada com unanimidade, e nem foi votada pelo conselho. E outra: não era um "adendo" às regras, mas uma proposta de acordo pré-fixado. E acordo aprovado por A e B não pode ser imposto à C só por A e B serem maioria, certo? Foi exatamente por esse motivo que a liga NÃO PROCLAMOU um campeão em 1907. Foi por esse motivo que houve a confusão. Não é difícil de entender, mas explicarei melhor daqui a pouco, acompanhe.

    Você cita a Taça Colombo, que o Fluminense conquistou definitivamente em 1919 (pelo tricampeonato) como "prova", pois está escrito lá o ano de 1907 como sendo do Fluminense. Ora, é óbvio que o próprio Fluminense gravou o que quis na taça, por ter a posse da mesma. Não foi a liga quem gravou nada, é fato notório e confirmado em todos os jornais que a liga ACABOU sem proclamar um campeão. Aliás, quando a Taça Colombo foi instituída, seu regulamento previa que o clube que a conquistasse por três anos seguidos ficaria com a posse definitiva (está lá nos jornais, já em 1906). Se o Fluminense fosse proclamado campeão de 1907, teria ganho a posse da mesma já em 1908. Não o foi, pois tinha um "buraco" no que só desde 1996 é um tetra do Flu. Um argumento que sequer se sustenta.

    Eu conheço o acervo do Flumemória. É excelente. Mas não estranho que o mesmo recorte e guarde jornais que dizem que o Flu é campeão de 1907 (e os que fazem isso, e não são muitos, o fazem em notícias elogiosas de aniversário do clube, e a partir dos anos 10). Eu estranharia que o mesmo recortasse e guardasse com carinho as notícias que afirmam que não houve campeão em 1907, ou que deveriam haver dois campeões. Ou os jornais dos anos 30 que "tiram" o título de 1936 do Fluminense quando contam os campeões cariocas oficiais (afinal, só nos anos 40 o conceito de duas ligas começa a ser aceitável - até então os jornais eram partidários de um lado ou de outro. Se quiser eu te mando uma cópia de um desses jornais que esnoba o título tricolor de 1936). Jornais que elegem seus campeões são mais do que conhecidos. Está aí o caso Flamengo x Sport, SPFC x SPFC "da Floresta", jornais que esnobam a Taça de Prata ou a Taça Brasil etc. Por isso, é bom ir na Biblioteca Nacional, e consultar o máximo de jornais o possível, não apenas uma "seleção" feita pelo clube A ou B.

    Você cita o hino do Botafogo (do Lamartine Babo) como prova d e que "o Bota ignorava o título", mas esquece de lembrar que o hino do Fluminense celebra o clube como um tricampeão, ignorando um tetra (pois o mesmo ainda não existia), da mesma forma como o Tricolor sempre celebrou seus tris, nunca o tetra, levando os tris na camisa, sendo chamado de "o valoroso tricampeão" etc. etc.. Aliás, dê uma rápida pesquisa por flâmulas antigas do Flu, daquelas que listam os títulos, no mercado Livre (ou se quiser te mando por email). O título de 1907 é igualmente ignorado - pois NÃO FOI PROCLAMADO.

    E o porquê não foi proclamado? Não o foi pois a liga NÃO TINHA MEIOS LEGAIS PARA ISSO, pois a resolução foi comprovada sem efeito. Se essa resolução tivesse validade, esse caso todo não existiria, e o Flu seria campeão de 1907 desde... 1907!, e não desde 1989 ou 1996.
    (continua)

    ResponderExcluir
  17. É tendencioso sim a tentativa desse blog, e de outros blogs tricolores, de subverter a história e tentar emplacar esse mito de que existia um regulamento com saldo de gols (o regulamento não previa saldo), que o Flu deveria ser campeão sozinho, que o Botafogo paralisou o campeonato no grito (quanto poder tinha o clube dos rapazes, não?). E dizer que o Flu "sempre foi campeão de 1907 e a FFERJ mudou isso" não é nem tendenciosidade, é equívoco puro e simples...

    Você diz que não tem por quê levar a sério o que eu escrevi, pois não transcrevi as fontes para o que eu disse, direito seu. Mas você ignora a boa-fé ao tentar me ofender, dizendo que eu não respeito a história do Botafogo, que não mereço ser levado a sério, falando que o título de 1907 é "inventado", que o Botafogo não precisava disso...

    E o pior de tudo, você mesmo não cita fontes. Você copiou e colou a resolução de primeiro de maio (não disse de onde ela foi transcrita), afirma que no dia 28 de outubro a diretoria da LMSA proclamou o Fluminense campeão (fonte?), o que é fato notório que NÃO ACONTECEU, já que o campeonato permaneceu sem campeão até 1989 (quando iniciaram-se os processos na justiça para a definição do título), diz que o Caixa D'Água "alterou" a posse do título em 1996 (ERRO BRABO), lembrando que o Caixa era desafeto do Flu (esqueceu que também era do Bota, e do Fla, e do América, e do Goytacaz e de todos que não fossem Vasco, Americano e pequenos chapa-branca...)... tudo sem fontes.

    Pois então, alguns textos para você refletir, todos com fontes:
    - Estatutos da Liga Metropolitana de Sports Athleticos (Typographia Leuzinger, 1907, tem no Arquivo Nacional), na seção "regulamento dos campeonatos de foot-ball", é estabelecido que o clube com menos pontos perdidos, sendo dois por derrota e um por empate, será o campeão. Apenas isso. Este era o regulamento.

    - A resolução DA DIRETORIA, por você mencionada, de 1o de maio de 1907, que seria derrubada no mesmo ano, esquecida, reutilizada como argumento pelo Flu em 1989-96 e novamente considerada sem efeito: não preciso transcrevê-la, você já a tem. Existe uma cópia dela na CBF. Ressalto que foi tomada pela diretoria, talvez você saiba disso. A mesma é citada em atas de assembléias gerais e atas de diretorias tanto do Fluminense quanto do Botafogo. Os dois clubes são abertos à pesquisa. Lá constam as recusas e protestos do Bota e do Riachuelo. Chamo a atenção para o fato de que a resolução foi votada pela diretoria da liga, e não pelo conselho, o que teve consequências. E que a resolução, incompleta, era falha, pois dizia "média de gols" sem explicar como a mesma seria tirada.

    - Gazeta de Notícias, 22 de setembro de 1907 - no meio do campeonato, a diretoria tenta dar solução à questão do que seria a tal "média de gols". Ou seja, uma "emenda da emenda". E vota que a "média de goals" é definida subtraindo os gols contra dos gols pró e dividindo pelo número de partidas. Esse fato faz com que muitos pesquisadores pensem que "a regra foi alterada no meio do campeonato". Na verdade uma resolução que não era regra - e que em outubro seria tornada sem efeito - foi "completada" em setembro. Sim, a Liga era uma bagunça só.
    (continua...)

    ResponderExcluir
  18. - Gazeta de Notícias, 3 de novembro de 1907, seção de sports, explicando como a resolução da diretoria a respeito da média de gols não vale nada:
    "(...)houve na segunda-feira (28/10) uma sessão do conselho da Liga. Os seus resultados foram desastrosos, e devido a elles deu-se a demissão do secretário da Liga e o da A.A. Internacional. (...) toda a origem do barulho foi o célebre caso de medidas de goals. Queixaram-se os clubs que nada sabiam sobre esse ponto e que mesmo que soubessem elle CONSTITUIA UM CASO DE OMISSÃO NOS ESTATUTOS, e que, portanto, só podia ser posto em execução por deliberação do CONSELHO e NÃO DA DIRECTORIA. A discussão desse caso deu em resultado ser votada a INCOMPETÊNCIA DA DIRECTORIA, e d'ahi a demissão do secretário". Traduzindo: o conselho da liga DERRUBOU a resolução da diretoria, por você mencionada. A resolução de primeiro de maio NÃO VALE NADA há MAIS DE UM SÉCULO, e ainda assim é usada como argumento.

    - Em 1918, o Fluminense sinalizou uma trégua. Conforme carta lida e registrada na Ata da sessão da diretoria do Botafogo F.C. de 29 de julho de 1918 (pode ser pesquisada na sede do clube, no livro de julho-1918 a abril-1919), o Fluminense sugeriu ao Bota que ambos redigissem uma carta concordando com a divisão do título de 1907, que seria enviada à Liga para que a mesma emitisse os certificados - contudo, o Botafogo não aceitou o acordo. Por que o Fluminense faria isso se já fosse o campeão?

    - O caso só foi ressucitado em 1989. Como? O Fluminense, em ofício, pediu para que a FFERJ o reconhecesse como campeão de 1907. E a FFERJ o fez, na surdina, no dia. (ué, o Caixa D'Água não odiava o Flu?).

    - Óbvio que o Botafogo não aceitou, e aí o caso foi para a justiça. Após a análise das provas, entre as quais a que te mostro, a justiça (e não a arbitrariedade do Caixa D'Água, que beneficiou o Flu em 1989), decidiu que o Botafogo era o único campeão por considerar que 1- a resolução não valia nada 2- nenhuma forma de decisão foi tomada, de fato, à época 3- se o Fluminense abandonou a liga antes da solução do problema, abriu mão do título.

    - O Flu recorreu (lógico), e a estratégia passou a ser reivindicar a divisão - pois alegar que era campeão sozinho NÃO COLAVA MAIS. O argumento do Flu era bom: ter abandonado a Liga era um detalhe irrelevante ao caso, e se o regulamento só previa o número de pontos para definir um campeão, e os dois empatavam no quesito, os dois deveriam ser campeões. E para encerrar o caso, o presidente da FFERJ, Eduardo Vianna, declarou os dois clubes como campeões empatados.

    Eis os fatos. Espero que esteja satisfeito e se convença a abandonar os falsos argumentos, que são:
    - Uma resolução que foi considerada sem efeito já em 1907, mas que volta e meia alguém “descobre” e quer dizer que vale hoje (quando ela já foi descartada inúmeras vezes)
    - O apego à falsa ideia de que o Fluminense era campeão de 1907 até que o Botafogo veio na justiça, com seu "aliado" Caixa D'água, e dividiu o título na marra (não houve campeão declarado antes dos anos 90, mais do que documentado, isso é fartamente documentado).
    - O hino de futebol do Lamartine Babo (ele era juiz?), já retificado (como a inscrição na taça Colombo, que seria dado ao primeiro tri, e o mesmo só veio em 1919, não em 1908)

    Esperando que finalmente se conformem que o assunto foi decidido a favor da divisão de título, e que entendam que até os anos 90 nenhum campeão foi proclamado, e que não existia regulamento que dava o título ao Flu – se existisse, o mesmo o teria com exclusividade desde 1907, e essa história toda nunca teria acontecido – me despeço.

    Att,

    Auriel

    ResponderExcluir
  19. Caro Auriel,

    Os fatos estão claros:

    1) Havia uma resolução ANTERIOR AO INÍCIO do Campeonato, estipulando qual seria o critério de desempate em caso de igualdade no número de pontos.

    2) Não há um registro formal de reclamação do Botafogo a respeito desta resolução. (se há, peço que o publique aqui, datado)

    3) A reunião de 28 de outubro (POSTERIOR ao encerramento do Campeonato) não tem o poder de "anular" resolução alguma. Ora, o Campeonato já havia acabado (!!!). Pior que uma mudança de regulamento durante o torneio, só mesmo uma mudança APÓS o torneio!

    Se os botafoguenses querem se considerar campeões de 1907, que assim o façam. O Fluminense se considera campeão mundial de 1952, sem reconhecimento da FIFA. O Flamengo idem com a Copa Toyota de 1981 e o Brasileiro de 1987. O Botafogo pode se considerar campeão do que quiser.

    Mas, quando mostrar a tabela do Campeonato, terá que dar 1001 explicações sobre como um time pode ser campeão empatado em pontos com outro, e perdendo em qualquer critério de desempate possível e imaginável...

    Nós tricolores não precisamos explicar nada. A tabela diz tudo.

    Decisões da Justiça noventa anos depois? Não nos interessam. Uma canetada a posteriori não muda o que aconteceu em campo.

    Atenciosamente,
    PC

    ResponderExcluir
  20. Rapaz, tornastes-te cego ao assunto, não é mesmo? Não está mais discutindo comigo, mas com as provas. É uma pena, pois não chegaremos a lugar algum. Apenas as últimas considerações sobre sua resposta:

    1) Você diz "Havia uma resolução anterior ao início do campeonato" - sim, meu caro, mas não anterior ao regulamento. Está tudo exaustivamente demonstrado. Não importa que tenha sido antes do início do campeonato, o regulamento estava pronto, não previa desempate por gols, e a resolução, tentativa de ALTERAR o regulamento, foi considerada ilegal. Isso em 1907! E tanto ela foi jogada no lixo que nenhum clube foi proclamado campeão naquele ano! Isso é um fato, que você não admite. Prefere a fantasia onde o Fluminense foi proclamado campeão, o que não aconteceu.

    2) Você diz que "a reunião de 28 de outubro não tem poder de anular a resolução" - tanto tinha como o fez, oras. O conselho está acima da diretoria, e considerou que a mesma tentou fazer algo para o qual SEQUER TINHA PODER. Anular é declarar nulo, sem validade. Ela nunca valeu, nem antes, nem durante, nem depois. E quando você diz que "pior do que mudar o regulamento durante o torneio, só depois do mesmo terminado", está usando de falácia. Não estamos falando de regulamento, estamos falando justamente de um adendo inválido ao regulamento, comprovadamente ilegal, que nunca valeu de fato.

    3) Você diz "se os botafoguenses querem se considerar campeões de 1907, o façam", bem, fazemos nós e a justiça, desde os anos 90 - assim como o Fluminense. Antes disso, ninguém era campeão legal do campeonato da Liga Metropolitana de 1907. Isso é um fato. Sobre o Flu-52 ou o Fla de 81 e 87, é inegável que são campeões desses torneios. O status legal dos mesmos é assunto distinto, você está tergiversando.

    4) Você diz "quando mostrar a tabela do campeonato terá que dar 1001 explicações sobre como um time pode ser campeão empatado em pontos com outro e perdendo em qualquer critério de desempate possível e imaginável", bem, por partes.

    Primeiro, sobre as explicações devidas, o nome disso é história. Se seu argumento é "praticidade de infográficos", pelo amor de Deus. Tabelas não dizem tudo, e por esse raciocínio é que campeonatos como os dos anos 20 (com séries distintas) ou o Especial de 79 tornem-se mais e mais mal-compreendidos com o tempo.

    Segundo, é curioso que você diga "empatado em pontos e derrotado em todos os critérios de desempate possíveis e imagináveis" - você está falando de hipóteses, de imaginar critérios de desempate de campeonatos distintos e aplicá-los neste específico, que NÃO OS POSSUÍA. Aliás, um dos critérios "possíveis e imagináveis" para um desempate seria um jogo-extra. E não dá para imaginar quem o venceria. Dando um exemplo de "critérios possíveis e imagináveis", Fluminense e Bangu empataram em 1951. Inclusive no saldo de gols e número de vitória. Mas o Bangu tinha mais gols pró!! Deveria ser o campeão, se "imaginarmos" os critérios de hoje nesse campeonato? Não, pois não é assim que a banda toca. Usou-se o jogo-extra, que deu o título ao Flu. Aliás, pouco importaria se o Bangu tivesse um saldo de 200 gols e o Fluminense de 20, ou que o Bangu tivesse mais vitórias, pois esses critérios não existiam naquele regulamento. Como não existiam em 1907, ou 1906, ou 1910, ou em todos os campeonatos até os anos 70. Era a regra.

    5) "Decisões da justiça não nos interessam, e uma canetada não muda o que aconteceu em campo" - canetada foi o que o Caixa D'Água deu, quando resolveu que o Flu era campeão. A justiça corrigiu o absurdo e pôs ponto final a uma briga arrastada. Pena que tem gente que não quer enxergar esse ponto até hoje.

    att,

    ResponderExcluir
  21. Eis a nossa diferença fundamental. Para você, o ponto final do Campeonato Carioca de 1907 se deu em 1996, quando provavelmente todos os atletas que o disputaram estava mortos.

    Para mim, o ponto final do Campeonato Carioca de 1907 se deu em 1907, quando o Fluminense comemorou a conquista de seu segundo Campeonato Carioca, ainda em campo, no dia 27 de outubro.

    ResponderExcluir
  22. Tem razão: futebol se decide dentro das quatro linhas... E agora José?

    ResponderExcluir
  23. Andre Vitor,

    Exatamente: o futebol se decide dentro de campo, desde que os times obedeçam às regras previamente acertadas.

    Como foi em 1907, quando o Fluminense obteve campanha melhor que a do Botafogo e, de acordo com as regras estabelecidas, sagrou-se campeão carioca.

    Como foi em 2013, quando os 18 times que cumpriram à risca o regulamento do Brasileirão tiveram suas pontuações preservadas, e os 2 times que o descumpriram foram devidamente punidos, exatamente conforme previsto no citado regulamento.

    ResponderExcluir
  24. http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=73334&tid=5995560890239342510

    ResponderExcluir
  25. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fato de alguns Campeonatos Cariocas posteriores terem sido decididos em jogo extra não altera o regulamento do Campeonato Carioca de 1907, que previa o desempate de outra maneira (goal average).

      Quanto às demais "informações" que você expõe em seu comentário tendencioso (falsificando dados e depreciando uma conquista do Fluminense), aguardo que você cite as devidas fontes, porque eu nunca as encontrei em lugar algum.

      Excluir
  27. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto ao Botafogo, eu não sei. Que Eduardo Viana sempre foi desafeto do Fluminense, é um fato notório e amplamente conhecido. Não à toa, desde sua ascensão ao poder, o domínio do Fluminense nos Campeonatos Cariocas terminou (desde 1986, o Tricolor conquistou somente quatro Campeonatos; antes, era campeão ano sim, ano não).

      Excluir
    2. Caixa D'Agua sempre teve ódio do Fluminense , o botafogo nunca o incomodou muito pelo contrário. 89 que o diga

      Excluir
  28. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  30. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  31. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  32. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  33. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os comentários foram excluídos porque desrespeitaram as regras do blog, como fugir do assunto do post ou usar palavras debochadas.

      Quanto aos históricos dos confrontos, aponte lá nos posts específicos quais jogos estão sendo contados e não deveriam, ou não estão sendo contados e deveriam, e mostre as fontes para seus questionamentos, que eu terei prazer de corrigi-los, como já fiz em alguns casos.

      Mas tem que ser Fonte de verdade. Não pode ser "Folha de São Paulo" só. Tem que ser "Revista do Esporte, número 223, página 17". ;)

      Excluir
  34. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, houve deboche explícito nos seus comentários, com o uso de termos como "Caixonete" e com ironias sobre cinquistas históricas e legítimas do Fluminense. Além disso, você ataca diretamente minha credibilidade, sem mostrar nenhuma fonte de verdade (só citar "Folha de São Paulo" não conta, você precisa dizer pelo menos em qual das milhares de edições está a sua suposta informação).

      Com isso tudo, somado à fuga do assunto do post, houve motivos mais do que suficientes para a exclusão dos seus comentários.

      Excluir
    2. Quanto ao histórico do confronto, repito: é só me apontar os jogos que estão errados e a fonte da sua informação. Se ela proceder, terei prazer em corrigir o histórico. Já fiz isso algumas vezes, em algumas das centenas de listas que publiquei.

      Excluir
  35. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Caixonete" é um termo que eu nunca havia lido na vida. E é, sim, pejorativo, e um absoluto deboche. Você sabe disso.

      Sobre o "Diário do Grande ABC", bom, o texto da matéria tem tantos erros grosseiros de português que eu sequer consegui ler até o fim. Escreve os nomes dos times de maneira incorreta, "esquece" diversos acentos... Enfim, se é essa a sua melhor fonte, você está muito mal de fonte...

      De qualquer forma, pareceu muito claro que, se Eduardo Viana defendeu os interesses do Fluminense ali, não foi porque "gostava do Fluminense", mas sim para evitar que o seu Americano enfrentasse o Fluminense e fosse eliminado da competição. Portanto, não é prova alguma de que o Fluminense é seu aliado.

      Por outro lado, há DEZENAS de demonstrações de ódio e rancor dele contra o Fluminense. Procure sobre o caso da dengue em 1986: o Fluminense foi impedido de disputar o tetra porque levou um W.O. quando não foi a Campos, porque metade do elenco estava com dengue. O senhor Caixa d'Água, esse amigão do Fluminense, ignorou completamente os pedidos do Fluminense para adiar o jogo. Que estranho, né?

      Estranho também é o Fluminense, que era o senhor absoluto do Campeonato Carioca até 1985 (de 1969 a 1985 ganhou em NOVE dos 17 anos), simplesmente PARAR DE GANHAR a partir de 1986. Mesmo tendo sido o clube carioca mais bem-sucedido no Brasil e na América do Sul, COM SOBRAS, desde 2001, só ganhamos três Carioquinhas. E na maioria das eliminações, FOMOS ASSALTADOS, contra os três rivais. Você deve se lembrar de um gol do Botafogo com Herrera em um impedimento obsceno, que mesmo assim foi validado pela arbitragem. Ou da final de 2017, aquele gol inacreditável do Flamengo, com Réver cometendo uma falta surrealmente ignorada.

      Cadê a amizade? Cadê o aliado? O Fluminense é, DISPARADO, o clube mais prejudicado pelos árbitros cariocas. E isso certamente se deve a uma perseguição ao Fluminense, que já teve até um título incontestável posto "sob judice" anos depois, por Caixa d'Água e seus aliados.

      Excluir
    2. Sobre a Folha, comete um erro grosseiro na descrição dos fatos: não foram o Fluminense e o Bragantino os clubes salvos pela "virada de mesa", mas sim o Corinthians e o Atlético Paranaense, que deveriam ter sido rebaixados pelo caso Ivens Mendes, em que manipularam resultados.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  36. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já expliquei: Eduardo Viana só defendeu o Fluminense em 1999 (se é que defendeu mesmo), não porque gostava do Fluminense, mas para evitar uma eliminação precoce do Americano de Campos, clube do seu coração.

      Ponto final.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  37. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) A explicação para as referências do Fluminense ao "TRI" e não ao "TETRA" é óbvia: o futebol não era tão popular assim em 1909, mas já era "uma coqueluche" em 1919. Portanto, foram poucos os que acompanharam o tetra, em comparação à multidão que acompanhou o tri. Naturalmente, o "tricampeonato" de 1919 foi um feito muito maior que o "tetracampeonato" de 1909, ao menos do ponto de vista da divulgação. Ali, em 1919, com o Estádio construído e a posse definitiva da Taça Colombo, o Fluminense demonstrou que era a grande potência do futebol do Rio de Janeiro. Daí todas as referências ao "tricampeão": nosso tri foi (muito) maior e mais importante que nosso tetra. :)

      ****

      2) Na verdade, os regulamentos foram bem diversos entre 1906 e 1971. Embora a fórmula tenha sido quase sempre de pontos corridos (com exceção de 1953 a 1955), detalhes das fórmulas sempre foram modificados.

      Em 1907, por exemplo, havia o critério do desempate por goal-average. Nos anos 20, havia a previsão de um duelo contra o campeão da segunda divisão, caso este vencesse o último colocado na repescagem. Em alguns anos, houve três turnos. Em 1941, foram quatro turnos. Nunca existiu essa "uniformidade" nos regulamentos que você tenta desenhar. Repito: o fato de outros anos terem tido jogos extras não anula o fato de que o regulamento de 1907 previa o desempate por goal-average (um desempate do qual eu até discordo - sou uma das vozes a defender que o Campeonato Brasileiro tenha partidas de desempate - mas que era a regra do Campeonato, a qual deveria ter sido respeitada, como hoje em dia é).

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  38. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  39. Quando foi o último campeonato carioca que o fluminense ganhou ?

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.