quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Efemérides tricolores - 3 de agosto


1919: foi inaugurado, na sede de Laranjeiras, o stand de tiro do Fluminense, com seis boxes, uma iniciativa pioneira no Brasil, idealizada pelo diretor de tiro esportivo Afrânio Antônio da Costa, com o apoio do presidente Arnaldo Guinle. Nos meses seguintes, neste stand, a equipe brasileira dos Jogos Olímpicos da Antuérpia realizaria seus treinamentos. Um ano depois, aqueles homens voltariam da Bélgica com as três primeiras medalhas olímpicas brasileiras.

1920: é ouro na Antuérpia! O tenente Guilherme Paraense, atleta do Fluminense, conquistou a primeira medalha de ouro da história do Brasil nos Jogos Olímpicos! Na prova de pistola rápida à distância de 30 metros, ele somou 274 pontos, contra 272 do norte-americano Raymond Bracken, que ficou com a medalha de prata, e 269 do suíço Fritz Zulauf, que ganhou a medalha de bronze. Exatamente um ano após a inauguração do stand de tiro do Fluminense, Guilherme Paraense se tornou o primeiro brasileiro campeão olímpico, demonstrando, na Bélgica, que os esforços tricolores valeram a pena!
A arma e a medalha de ouro de Guilherme Paraense.

1924: em partida válida pelo Campeonato Carioca, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense ganhou por 5 a 3 do Bangu, em grande atuação do centroavante Nilo Murtinho Braga, que marcou três gols. No primeiro tempo, após Nilo abrir o placar, Dininho empatou para o Bangu, e Nilo, Lagarto e Coelho ampliaram o placar para 4 a 1. Na segunda etapa, Nilo fez 5 a 1, e Dininho (de pênalti) e Antenor diminuíram para 5 a 3. O Fluminense conquistaria o título da competição, e Nilo seria o goleador máximo do certame.

1940: em partida válida pelo Campeonato Carioca e pelo Torneio Rio-São Paulo, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense venceu o Flamengo por 2 a 1. Os dois gols tricolores foram de Adílson, e o tento rubro-negro foi de Leônidas da Silva. Naquele ano, os clássicos estaduais valiam pelas duas competições: o Carioca e o Rio-São Paulo, que era retomado após a edição isolada de 1933. Infelizmente, o Rio-São Paulo deste ano só teria um turno completado, com os clubes paulistas abandonando a competição. Como Fluminense e Flamengo lideravam a competição no momento da interrupção, alguns historiadores consideram os clubes co-campeões, embora o título nunca tenha sido homologado.

1941: em partida válida pelo segundo turno do Campeonato Carioca, em General Severiano, o Fluminense perdeu para o Botafogo por 3 a 2, em um dos poucos tropeços daquela extraordinária campanha tricolor. Os gols do Fluminense no jogo foram de Hércules e Adílson. O Fluminense terminaria campeão carioca com 22 vitórias em 28 jogos, e o melhor ataque da história da competição (106 gols-pró).

1947: em jogo do turno do Campeonato Carioca, em Conselheiro Galvão, o Fluminense venceu o Madureira por 4 a 3. Os gols tricolores foram de Ademir Menezes (2), Pascoal e Pinhegas.

1958: em partida válida pelo turno do Campeonato Carioca, no Estádio do Maracanã, o Fluminense ganhou por 1 a 0 do America, com um gol do centroavante Waldo, de bate-pronto, aos 22 minutos do primeiro tempo.

1960: em partida pelo turno do Campeonato Carioca, no Maracanã, o Fluminense goleou o Canto do Rio por 5 a 0. Os gols tricolores foram de Jair Francisco, Pinheiro (de pênalti), Paulinho Omena e Waldo (2).
Waldo marca o segundo dele, quinto do Fluminense, contra o Canto do Rio.

1975: perante 70.763 pagantes no Maracanã, pela última rodada do terceiro turno do Campeonato Carioca, o Fluminense perdeu para o Flamengo por 2 a 1 (Rodrigues Neto e Luisinho marcaram para o Fla, e Erivelto para o Flu). Com o resultado, o Flamengo se igualou ao Vasco, provocando a decisão do turno, quatro dias depois. O Vasco venceria, e disputaria o triangular final com Fluminense e Botafogo, campeões dos outros turnos. No triangular, a Máquina Tricolor se sagraria campeã estadual.

1986: o Fluminense realizou uma exibição heroica na decisão do Trofeo Ciudad de La Línea, no Estádio Municipal de La Línea de La Concepción, na Andalucía (sul da Espanha), contra o Real Madrid, então campeão da Copa da UEFA e da Liga Espanhola. Fluminense e Real Madrid faziam uma partida muito equilibrada, com o 0 a 0 persistindo no placar, apesar das boas chances criadas pelos dois times. Aos 21 minutos do 2º tempo, o árbitro espanhol Emilio Carlos Guruceta Muro perdeu a linha e expulsou exageradamente os tricolores Renê e Washington por reclamação. Os 12.000 espectadores presentes protestaram contra o árbitro, aos gritos de "fuera, fuera" (Guruceta era famoso na Espanha por ter beneficiado o Real Madrid em uma partida contra o Barcelona - razão pela qual ficara 15 anos sem apitar um jogo do clube catalão). Mesmo com nove homens contra onze (ou doze?), o Fluminense chegou a ter duas ótimas chances de marcar seu gol, e resistiu bravamente até os 45 minutos do 2º tempo. Porém, já nos acréscimos, o Real Madrid conseguiu assinalar dois gols (Hugo Sánchez e Michel), e assim conquistou o título daquele torneio. O time do Fluminense foi bastante aplaudido pelo público andaluz, que reconheceu o seu grande esforço pela vitória, mesmo com a injusta desvantagem numérica. Já o árbitro teve que deixar o gramado sob escolta policial...
(quem quiser ver o VT do jogo completo, clique aqui)

2014: em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, diante de 40.075 pessoas no Maracanã, o Fluminense ganhou por 2 a 0 do Goiás, gols de Cícero e David (contra).

****

Aniversariantes do dia:

Gualter Freitas Xavier (1918), zagueiro do Fluminense entre os anos de 1946 e 1948. Totalizou 87 jogos pelo Fluminense, e foi campeão carioca em 1946. Jogou também por Bonsucesso, Canto do Rio e Bangu.

Antônio Reis (1927), ponta-direita que atuou 10 vezes pelo Fluminense na temporada de 1951.

Wagner Ferreira da Costa, o Mazola (1965), zagueiro com 3 gols marcados em 48 jogos pelo Fluminense no ano de 1992.

Igor Nascimento Soares (1979), zagueiro com 3 gols marcados em 53 jogos pelo Fluminense na temporada de 2005.

PCFilho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.