quarta-feira, 26 de julho de 2017

Efemérides tricolores - 26 de julho



1931: em partida do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, a Seleção Carioca venceu a Seleção Mineira por 5 a 0, no Estádio de Laranjeiras. Os cinco gols foram de atletas do Fluminense: três de Ripper e dois de Preguinho. Velloso, IvanAlfredinho e Theóphilo foram os outros tricolores na Seleção Carioca, que jogou com: Velloso; Domingos e Hildegardo; Hermógenes, Cabral e Ivan; Ripper, Leônidas, Alfredinho, Preguinho e Theóphilo. A Seleção Carioca terminaria aquela competição como campeã, pela quinta vez na história.

1939: em amistoso no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense ganhou por 5 a 1 do Fluminense de Niterói. O grande destaque da partida foi o aniversariante Russo, autor de dois gols. Celeste, Fogueira e Novelli marcaram os outros gols da vitória tricolor.

1958: em partida válida pelo turno do Campeonato Carioca, o Fluminense ganhou por 3 a 1 do Olaria, no Estádio do Maracanã, gols de Mário, Escurinho e Léo Briglia.

1959: em jogo válido pelo turno do Campeonato Carioca, em Teixeira de Castro, o Fluminense venceu o Bonsucesso por 1 a 0, com um gol de peixinho de Jair Francisco.

1964: em partida do turno do Campeonato Carioca, em Laranjeiras, o Fluminense venceu o Canto do Rio por 5 a 1. Os gols tricolores foram de Joaquinzinho (2), Carlos Alberto Torres e Mateus (2).

1977: no primeiro amistoso da excursão à Europa, o Fluminense empatou em 1 a 1 com o Paris Saint-Germain, perante 30.612 pessoas no Stade Olympique de Colombes, nos arredores de Paris (palco dos Jogos Olímpicos de 1924 e da final da Copa do Mundo de 1938). O gol do Fluminense foi marcado pelo centroavante argentino Doval.

1980: em jogo da Taça Guanabara (competição à parte do Campeonato Carioca), o Fluminense ganhou por 2 a 0 do America, no Maracanã, com gols de Robertinho e Zezé (de pênalti).

1986: o Fluminense se despediu do Campeonato Carioca com uma vitória por 1 a 0 sobre o Bangu, no Maracanã, gol de Édson Souza. O Fluminense terminou o segundo turno apenas um ponto atrás do Flamengo - devido à derrota por W.O. para o Americano, em jogo que a Federação do Rio de Janeiro se recusou a adiar, a pedido do Fluminense, que tinha vários atletas adoecidos com dengue. Assim, na canetada, a Federação tirou o Fluminense da fase final, impedindo o tetracampeonato tricolor.

1989: no quinto amistoso na Alemanha Ocidental, o Fluminense obteve a quinta vitória: 2 a 0 sobre o SSV Reutlingen 05, no Stadion an der Kreuzeiche, em Reutlingen, gols de Hélio e Marcelo Henrique.

1992: após vencer a partida de ida por 3 a 0, o Fluminense perdeu para o Americano por 1 a 0, no Godofredo Cruz, em Campos. Apesar do melhor saldo do Fluminense, houve prorrogação, que terminou empatada em 0 a 0. Na definição por pênaltis, Fluminense venceu por 4 a 3 e se classificou para a final da Copa Rio de Janeiro (competição que, apesar do regulamento maluco e do desprestígio da torcida, dava vaga na Copa do Brasil).

2017: no Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, o Fluminense derrotou a Universidad Católica do Equador por 2 a 1, e se classificou para as oitavas-de-final da Copa Sul-Americana. Os gols tricolores na partida foram de Henrique Dourado e Marlon Freitas.

****

Aniversariantes do dia:

Adolpho Milman, o Russo (1915), atacante com 149 gols em 248 partidas pelo Fluminense, entre as temporadas de 1933 e 1944. Participou das campanhas vitoriosas dos Campeonatos Cariocas de 1936, 1937, 1940 e 1941. Após se aposentar dos gramados, trabalhou no Fluminense como auxiliar técnico, treinador (comandou o time principal em duas partidas da temporada de 1955) e assessor de futebol.


Sylvio Pirillo Cesarino (1916), oitavo treinador com mais partidas no comando técnico do Fluminense (140 jogos, entre 1956 e 1958). Foi o técnico campeão do Torneio Rio-São Paulo de 1957.

Telê Sant'Ana da Silva (1931), ponta-direita com 163 gols marcados em 559 jogos pelo Fluminense, sendo o quinto maior artilheiro e o terceiro jogador com mais atuações na história tricolor. Jogou no Fluminense entre 1950 e 1961, e foi campeão carioca duas vezes (1951 e 1959), campeão do Rio-São Paulo duas vezes (1957 e 1960) e campeão mundial em 1952. Posteriormente, teve 3 passagens como treinador do Fluminense, em 1967-68, 1968-69 e 1989, totalizando 109 partidas no comando técnico do clube, tendo conquistado o Campeonato Carioca e a Taça Guanabara de 1969. Também comandou a Seleção Brasileira, nas Copas do Mundo de 1982 e 1986. Um mito do Fluminense, Telê foi devidamente ovacionado na festa do centenário do clube, em 21 de julho de 2002.


André Ricardo César Capone, o Didé (1981), meio-campista que integrou o plantel profissional do Fluminense entre 2000 e 2002. Foi campeão carioca em 2002.

Renato Assis da Silva (1983), zagueiro que fez parte do elenco do Fluminense na temporada de 2007. Na segunda das três partidas que jogou com a camisa tricolor, foi pego no exame anti-doping, razão pela qual teve seu contrato rescindido.

PCFilho

8 comentários:

  1. Acrescentado o evento de 1992:

    1992: após vencer a partida de ida por 3 a 0, o Fluminense perdeu para o Americano por 1 a 0, no Godofredo Cruz, em Campos. Apesar do melhor saldo do Fluminense, houve prorrogação, que terminou empatada em 0 a 0. Na definição por pênaltis, Fluminense venceu por 4 a 3 e se classificou para a final da Copa Rio de Janeiro (competição que, apesar do regulamento maluco e do desprestígio da torcida, dava vaga na Copa do Brasil).

    ResponderExcluir
  2. Corrigido o número de gols do aniversariante Telê, de 164 para 163 (erro de digitação).

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Telê, o Fio de Esperança, eterno ídolo tricolor. Esse amava demais o Fluminense.

      Até depois de morto ajudou o Fluminense a ser campeão, com seu pupilo Muricy em 2010. :)

      Excluir
  4. Lembro desse episódio de 1986, os jornais criticando o Fluminense por ter levado o W.O. Quando, na verdade, o presidente da FERJ nos prejudicou. Esse não faz falta nenhuma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa história de 1986 foi um absurdo. Adiar o jogo era uma questão de bom senso e até de fair-play. Foi um dos três únicos W.O.'s da história do Fluminense (o primeiro foi na última rodada de 1918, quando o Fluminense já era o campeão e não quis comparecer, já que a cidade ainda vivia a epidemia de gripe espanhola; e o terceiro foi o W.O. duplo do Fla-Flu de 1998).

      Ali, a Federação do Rio de Janeiro começou sua implacável perseguição ao Fluminense, que dura até os dias de hoje. De 1969 a 1985, ganhamos 9 dos 17 Campeonatos Cariocas. Desde 1986, só ganhamos 4 dos 32... Não é coincidência...

      Excluir
  5. Correção feita no evento de 1931: o ponta Theóphilo também era atleta do Fluminense na ocasião. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ( os times dos jogadores da Seleção Carioca de 1931 podem ser conferidos em:
      http://memoria.bn.br/DocReader/112518_01/436 )

      Excluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.