quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Efemérides tricolores - 14 de dezembro


1919: em partida válida pelo returno do Campeonato Carioca, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense ganhou por 4 a 2 do Andarahy, graças aos gols de Zezé, Welfare (dois) e Machado. A escalação tricolor foi aquela poesia que todo torcedor carioca já conhecia: Marcos; Vidal e Chico Netto; Laís, Oswaldo Gomes e Fortes; Mano, Zezé, Welfare, Machado e Bacchi. Com quinze vitórias e uma derrota, o Fluminense seguia na liderança da competição, dois pontos à frente do vice-líder Flamengo. Na rodada seguinte, o Tricolor enfrentaria exatamente o rival rubro-negro, e uma vitória bastaria para garantir o tricampeonato (vide 21 de dezembro).

1924: na semifinal do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, diante de "uma multidão entusiástica" no Estádio do Fluminense, em Laranjeiras, a Seleção Carioca ganhou por 7 a 2 da Seleção Baiana. Com cinco tricolores, a escalação do Distrito Federal foi a seguinte: Haroldo [Fluminense]; Pennaforte [Flamengo] e Hélcio [Flamengo]; Nesi [São Cristóvão], Seabra [Flamengo] e Fortes [Fluminense]; Zezé [Fluminense], Lagarto [Fluminense], Nonô [Flamengo], Nilo [Fluminense] e Moderato [Flamengo]. Os gols cariocas foram de Lagarto (quatro), Nilo e Nonô (dois). A final seria em jogo único, contra a Seleção Paulista, uma semana depois, novamente no Estádio do Fluminense - e o escrete carioca se sagraria campeão brasileiro (vide 21 de dezembro).

1939: no primeiro jogo da final do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, em São Januário, a Seleção Carioca ganhou por 5 a 1 da Seleção Paulista, graças aos gols de Carvalho Leite (dois), Carreiro (dois) e Romeu Pellicciari. A escalação do time do Distrito Federal foi a seguinte: Nascimento [Vasco]; Norival [Madureira] e Florindo [Vasco]; Zezé Procópio [Botafogo], Og [America] e Argemiro [Vasco]; Roberto [São Cristóvão], Romeu Pellicciari [Fluminense], Carvalho Leite [Botafogo], Tim [Fluminense] e Carreiro [São Cristóvão]. A segunda partida da decisão ocorreria três dias depois, em São Paulo (vide 17 de dezembro).

1941: no segundo jogo da final do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, em São Januário, a Seleção Carioca ganhou por 4 a 3 da Seleção Paulista. O escrete do Distrito Federal atuou com: Aymoré Moreira [Botafogo]; Domingos da Guia [Flamengo] e Osvaldo [Vasco]; Afonsinho [Fluminense], Zarzur [Vasco] e Argemiro [Vasco]; Pedro Amorim [Fluminense], Lelé [Madureira], Pirillo [Flamengo], Tim [Fluminense] e Patesko [Botafogo]. Os gols cariocas foram de Pirillo (dois), Tim e Lelé. Com uma vitória para cada lado na final, as duas melhores seleções do país voltariam ao mesmo gramado para decidir o título, três dias depois (vide 17 de dezembro).

1944: na quarta partida da final do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, no Pacaembu, em São Paulo, a Seleção Carioca perdeu por 4 a 3 para a Seleção Paulista. O escrete do Distrito Federal atuou assim: Jurandyr [Flamengo]; Norival [Fluminense] e Newton Canegal [Flamengo]; Biguá [Flamengo], Danilo [America] e Jayme de Almeida [Flamengo]; Pedro Amorim [Fluminense], Zizinho [Flamengo], Heleno de Freitas [Botafogo], Ademir Menezes [Vasco] e Jorginho [America]. Os gols cariocas foram de Ademir Menezes (dois) e Heleno de Freitas. Após quatro jogos, a Seleção Paulista tinha 2 vitórias, com 1 empate e 1 vitória da Seleção Carioca. Pelo regulamento, seria disputada a quinta e última partida, quatro dias depois. O sorteio determinou que o jogo final seria no Rio de Janeiro - onde a Seleção Carioca se sagraria campeã brasileira (vide 17 de dezembro).

1949: em jogo amistoso internacional, no Estádio de General Severiano, o Fluminense venceu o Malmö, então campeão nacional da Suécia, por 2 a 1, graças a dois gols do ponta-esquerda Rodrigues Tatu (um deles de pênalti).

1957: em partida válida pela penúltima rodada do Campeonato Carioca, o Fluminense ganhou por 4 a 2 do Bangu, de virada, perante 34.774 presentes (29.725 pagantes) no Maracanã. No primeiro tempo, Luiz Carlos abriu o placar para os alvirrubros. Já na etapa final, Waldo empatou para os tricolores, e Mário colocou o Bangu novamente em vantagem, cobrando pênalti. Na sequência, porém, Waldo, Róbson e Telê marcaram, e o Fluminense venceu numa virada sensacional. O resultado manteve o Tricolor na liderança da competição - na última rodada, o Fluminense decidiria o título em clássico com o Botafogo (vide 22 de dezembro).

1983: na partida final do triangular do Campeonato Carioca, o Flamengo venceu o Bangu por 2 a 0 no Maracanã, e então começou a festa tricolor: o Fluminense era novamente campeão carioca! O Fluminense dependia do resultado desta partida, porque caso o Bangu vencesse, ainda haveria uma partida extra entre tricolores e alvirrubros. Mesmo já eliminado, o Flamengo jogou com seriedade e venceu, o que possibilitou que o Fluminense garantisse o título sem precisar jogar novamente. É campeão!
Fluminense, campeão carioca de 1983!
Em pé: Aldo, Duílio, Ricardo Gomes, Jandir, Branco e Paulo Victor;
Agachados: Leomir, Washington, Deley, Assis e Tato.
(formação do jogo de 7 de agosto de 1983, vitória de 3 a 0 contra o Bangu)

2003: diante de 32.163 pagantes no Maracanã, o Fluminense se despediu do Campeonato Brasileiro com uma vitória por 1 a 0 sobre o Juventude, gol de Marcelo Macedo, de cabeça, aos 43 minutos do primeiro tempo. A vitória na última rodada da competição garantiu a permanência do Tricolor na Série A.

****

Aniversariante do dia:

José Geraldo de Nazaré Teixeira, o Geraldinho (1955), ponta-direita revelado pelo Fluminense, campeão carioca juvenil em 1975. Disputou partidas no time profissional tricolor entre as temporadas de 1974 e 1979, tendo participado da conquista do Campeonato Carioca de 1976.

PCFilho

2 comentários:

  1. Essa vitória do Flamengo em 1983 dando o título pro Fluminense... Hoje em dia eles entregaram...

    ResponderExcluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.