sábado, 16 de dezembro de 2017

Efemérides tricolores - 16 de dezembro




1934: em uma partida amistosa, o Combinado Fla-Flu venceu o São Paulo por 5 a 4, na Chácara da Floresta, em São Paulo. O Combinado Fla-Flu, sob o comando técnico de Quincey Taylor e Flávio Costa, atuou com a seguinte escalação: Velloso [Flu]; Ernesto [Flu] e Marin [Fla] (Votorantim [Flu]); Marcial [Flu] (Luciano [Flu]), Brant [Flu] e Affonsinho [Fla]; Roberto [Fla], Arthur [Fla], Vicentino [Flu], Russo [Flu] e Jarbas [Fla]. Os gols foram de Russo (dois), Vicentino, Arthur e Jarbas para o combinado, e de Vega (três) e Friedenreich para o São Paulo da Floresta. Esta não foi a primeira vez que Fluminense e Flamengo atuaram juntos no mesmo time (em 1925, a Seleção Carioca campeã brasileira foi basicamente composta por atletas dos dois rivais - vide 20 de setembro; em 1932, houve um amistoso contra a Seleção Carioca Universitária). O Combinado Fla-Flu voltaria a campo duas semanas depois, para uma revanche contra o São Paulo, que viria ao Rio de Janeiro reforçado por atletas do Santos (vide 30 de dezembro).

1945: em amistoso disputado no Estádio Caio Martins, em Niterói, o Fluminense ganhou por 3 a 1 do Canto do Rio, graças aos gols de Geraldino, Rodrigues Tatu e Pinhegas.

1951: em jogo do returno, o Fluminense sofreu sua segunda derrota no Campeonato Carioca: 3 a 1 para o Botafogo, perante 53.401 presentes (44.011 pagantes) no Maracanã. Os gols foram Otávio, Braguinha e Pirillo para o Botafogo, e de Telê para o Fluminense. Com campanha de doze vitórias, três empates e duas derrotas, o Fluminense seguia na liderança, dois pontos à frente do vice-líder Bangu. Tricolores e alvirrubros terminariam a competição empatados em pontos, e em janeiro disputariam o título em duas partidas extras, nas quais o Fluminense se sagraria campeão (vide 13 e 20 de janeiro).

1956: na penúltima rodada do Campeonato Carioca, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense venceu o São Cristóvão por 3 a 0, gols de Pinheiro (de pênalti), Léo Briglia e Waldo, e reassumiu a vice-liderança da competição, ultrapassando o Flamengo. O campeonato não era mais possível, porque o Vasco garantira o título matematicamente, ao vencer o Bangu na véspera.

1959: diante de 31.162 presentes (26.821 pagantes) no Maracanã, a Seleção Carioca goleou o River Plate, da Argentina, por 6 a 1, com gols de Quarentinha (dois), Almir Pernambuquinho (dois) e Garrincha (dois). A Seleção Carioca jogou com: Castilho [Fluminense] (Ubirajara [Bangu]); Coronel [Vasco], Bellini [Vasco] e Altair [Fluminense]; Zózimo [Bangu] e Amaro [America] (Rubens [Bangu]); Garrincha [Botafogo], Almir Pernambuquinho [Vasco], Quarentinha [Botafogo], Telê [Fluminense] (Décio Esteves [Bangu]) e Babá [Flamengo] (Pinga [Vasco]). A vitória tão acachapante contra um dos melhores times argentinos mostrava que o futebol do Rio de Janeiro estava mesmo em altíssimo nível - e vale lembrar que o Fluminense acabara de conquistar o Campeonato Carioca, com campanha sensacional (vide 12 de dezembro).

1962: na rodada final do Campeonato Carioca, o Fluminense ganhou por 2 a 1 do Madureira, em Conselheiro Galvão, graças aos gols de Walter Lino e Paulinho Omena. O Botafogo terminou campeão, e o Fluminense em terceiro lugar.

1964: perante um público de 64.084 pagantes no Maracanã, o Fluminense venceu o Bangu por 1 a 0, na primeira partida da decisão do Campeonato Carioca. O gol da vitória tricolor foi marcado pelo centroavante Amoroso, cobrando pênalti, aos 9 minutos do segundo tempo. O segundo jogo da final ocorreria quatro dias depois, e o Fluminense conquistaria mais uma vez o título de campeão do Rio de Janeiro (vide 20 de dezembro).

1970: em partida da segunda rodada do quadrangular final do Campeonato Brasileiro, o Fluminense derrotou o Cruzeiro por 1 a 0, diante de 25.922 pagantes no Mineirão, com um gol do centroavante Mickey, mais uma vez o herói da vitória tricolor. O goleiro Félix também teve excelente atuação, mantendo a cidadela tricolor intacta. Com duas vitórias em dois jogos, o Fluminense liderava, e estava perto de se sagrar campeão brasileiro pela primeira vez: bastaria empatar com o Atlético Mineiro, no Maracanã, na rodada final (vide 20 de dezembro).

1979: em amistoso para inauguração dos melhoramentos do Estádio Antônio Carlos Magalhães, em Itapetinga, na Bahia, o Fluminense ganhou por 1 a 0 do Leônico, gol de Mário Marques, nos minutos finais.

1984: na decisão do Campeonato Carioca, diante de uma multidão de 153.520 pagantes no Maracanã, o Fluminense derrotou o Flamengo por 1 a 0, e conquistou o bicampeonato do Rio de Janeiro! O gol do título tricolor foi assinalado por Assis, de cabeça, completando cruzamento de Aldo, aos 30 minutos do segundo tempo (estava inaugurada a estátua de Fillol na pequena área do Maracanã). Um ano após o gol decisivo de 1983 (vide 11 de dezembro), novamente Assis balançava a rede numa final contra o Flamengo, ganhando merecidamente o apelido de "Assis Carrasco". Extasiada, a torcida tricolor revezava os gritos de "bicampeão" com o cântico "Recordar é viver, Assis acabou com você!".
Assis cabeceia, inapelável: Fluminense bicampeão!

****

Aniversariantes do dia:

Ivo Ribeiro Soares (1938), ponta-esquerda que integrou o time de aspirantes do Fluminense entre as temporadas de 1960 e 1961.

Alexandre Vieira dos Santos, o Macalé (1970), meio-campista com 5 gols em 22 jogos pelo Fluminense, na temporada de 1993.

Sandro Alexandre Forner (1970), zagueiro que integrou o elenco do Fluminense entre 1999 e 2000, tendo participado da campanha da conquista da Série C do Campeonato Brasileiro.

Alejandro Hernán Martinuccio (1987), meia-atacante argentino que atuou no Fluminense entre 2011 e 2012.

PCFilho

2 comentários:

  1. 16 de dezembro de 1984: simplesmente inesquecível!

    O cruzamento perfeito do Aldo.
    A cabeçada perfeita do Assis.
    A "estátua" perfeita do Fillol.

    O gol mais perfeito da história do Maracanã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi meu primeiro título. Eu nasci nove dias antes. :)

      Excluir

Regras para postar comentários:

I. Os comentários devem se ater ao assunto do post, preferencialmente. Pense duas vezes antes de publicar um comentário fora do contexto.

II. Os comentários devem ser relevantes, isto é, devem acrescentar informação útil ao post ou ao debate em questão.

III. Os comentários devem ser sempre respeitosos. É terminantemente proibido debochar, ofender, insultar e/ou caluniar quaisquer pessoas e instituições.

IV. Os nomes dos clubes devem ser escritos sempre da maneira correta. Não serão tolerados apelidos pejorativos para as instituições, sejam quais forem.

V. Não é permitido pedir ou publicar números de telefone/Whatsapp, e-mails, redes sociais, etc.

VI. Respeitem a nossa bela Língua Portuguesa, e evitem escrever em CAIXA ALTA.

Os comentários que não respeitem as regras acima poderão ser excluídos ou não, a critério dos moderadores do blog.